Antes da Globo, William Waack foi “convidado” a se demitir de emissora

Whatsapp

Com quase 50 anos de trabalho no jornalismo, William Waack passou pelos principais veículos de comunicação do país e participou de grandes coberturas históricas que mexeram com o Brasil e o mundo. No entanto, também esteve envolvido em polêmicas e saídas conturbadas de algumas emissoras.

William Waack

Em 1988, Waack assumiu a bancada do Jornal da Cultura. A emissora pública fazia uma reformulação em seu jornalismo e viu no profissional o ponto principal da mudança.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele, que veio da redação do Jornal da Tarde, seguia o mesmo caminho de Boris Casoy, que saiu da Folha de S. Paulo seguindo para uma emissora, o SBT, onde se tornou âncora do TJ Brasil.

No entanto, o casamento entre Waack e a emissora pública paulista durou muito pouco.

Durou pouco

William Waack

O então diretor-presidente da Fundação Padre Anchieta, Roberto Muylaert, advertiu o apresentador e a equipe de jornalistas por estarem “enviesando” as notícias. A equipe, revoltada, pediu a anulação da advertência. O dirigente pediu as contas, mas acabou voltando atrás e continuou em seu cargo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Insatisfeito, William Waack entregou sua carta de demissão ao diretor-presidente, que não a aceitou e pediu para que o jornalista continuasse na emissora.

Waack aceitou ficar, mas uma declaração sua para a Folha de S. Paulo azedou tudo, quando disse que Muylaert aceitou as condições impostas pelo apresentador de “manter independente, autônomo e imparcial” o jornalismo do canal.

Roberto Muylaert

Isso revoltou o diretor, ao ponto de “desconvidar” o jornalista de continuar na TV Cultura, o que, de fato, aconteceu.

“Retirei apenas o meu apelo para que continuasse na TV Cultura. Na notícia da Folha, Waack voltava a tocar no tema de que havia necessidade de assegurar ao jornalismo condições de liberdade”, disse. “E isso é coisa da qual a diretoria e o conselho da Fundação cuidam”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Saída da Globo também foi conturbada

William Waack

Em 1996, após mais alguns anos de trabalho no jornalismo impresso, William Wack foi para a Globo e se tornou um dos principais nomes do jornalismo da emissora. Tal performance levou-o a ser convidado para comandar o Jornal da Globo alguns anos mais tarde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Contudo, em novembro de 2017, sua trajetória no canal acabou após o vazamento de um vídeo da cobertura das eleições norte-americanas de 2016, no qual Waack, fora do ar, fez comentários racistas.

William Waack

Depois de um mês de investigação, ele foi demitido por conta da polêmica; além disso, o fato repercutiu em outros veículos e causou repúdio na opinião pública.

Em março de 2020, após três anos fora da telinha, Waack foi contratado para comandar o Jornal da CNN, na recém-inaugurada CNN Brasil.

Além dessa tarefa, o jornalista polêmico produz conteúdo para a internet em seu canal no YouTube.

Whatsapp


Leia também