Autista, único filho de Jô Soares morreu em 2014: "Jamais o esconderia"

Autista, único filho de Jô Soares morreu em 2014: “Jamais o esconderia”

Whatsapp

Longe da televisão há cinco anos, desde o término de seu programa na Globo, Jô Soares sempre teve uma agitada vida pessoal. O humorista, que chegou a ser o artista mais bem pago da televisão brasileira, teve diversos relacionamentos e apenas um filho.

Rafael Soares nasceu em 1964. Ele era fruto do relacionamento de Jô com a atriz Therezinha Millet Austregésilo, que foram casados entre 1959 e 1979.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas pouco se conhecia sobre Rafael, que sofria de autismo de alto nível. Sempre discreto em relação ao filho, Jô falava pouco sobre sua relação com ele.

“Eu tenho um filho que é autista, tem uma série de problemas que em certos momentos até se agravam ou se agravaram, já é uma condição genética que ele tem e claro que é uma situação mais difícil de você se comunicar com o filho, que tem dificuldade de se comunicar com você e com todo mundo. O autista é isso, vive no mundo dele. Mas você não pode deixar que isso seja o foco principal da sua vida. É também um foco tão importante quanto tudo”, declarou o apresentador em 2013.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Emoção na despedida

Em 30 de outubro de 2014, Rafael foi internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro (RJ), onde morava. Ele, que também lutava contra um câncer no cérebro, morreu no dia seguinte, aos 50 anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No primeiro programa após o falecimento do filho, em 3 de novembro daquele ano, Jô se emocionou ao falar sobre o acontecimento.

“Na última sexta-feira, dia 31, eu sofri a dor que é o pesadelo de todo pai: a perda de um filho”, iniciou. “Ele passou a vida inteira na realidade do seu próprio mundo, com corpo de adulto e coração e alma de criança”, continuou.

O apresentador contou ainda que Rafael adorava música, tocava piano, mas a sua grande paixão era o rádio. “Ele tinha a sua própria emissora em casa, cujo alcance eram as pessoas que o visitavam”, explicou.

Jô também faz questão de agradecer a mãe de seu filho. “Ela foi minha companheira por 20 anos, e que por 50 anos dedicou sua vida ao nosso filhinho, o acompanhando desde o berço até o fim”, concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na ocasião, o apresentador encerrou a gravação dedicando o programa ao filho e foi aplaudido de pé pela plateia.

“Obrigado por todo carinho, afeto e senso de humor de vocês hoje. Começou difícil, e graças a vocês foi se tornando mais leve e alegre”, agradeceu.

Anos mais tardes, em 2017, ao participar do Conversa com Bial, Jô rebateu acusações de que escondia o filho.

“Eu jamais esconderia meu filho. Tinha orgulho desse talento musical que ele tinha, um ouvido absoluto. Ele fez a música do meu show, tinha um dom, mas a incapacidade de produção era total. Uma capacidade para aguentar sofrimento. Ele ainda foi presenteado com câncer violento e quando começou a fazer o tratamento de quimioterapia, um enfermeiro, na hora de aplicar, errou e fez uma queimadura no Rafinha. Queimou o peito todo dele”, declarou.

Whatsapp


Leia também