Última novela de musa levada por câncer terminal ganhará reprise

Anúncio de repeteco estrelado por musa surpreendeu o público

Whatsapp

A Record surpreendeu o público e decidiu apostar na reprise de Pecado Mortal (2013) em seu horário nobre em 2024. A surpresa se dá porque, atualmente, a emissora se dedica apenas às produções bíblicas, e a novela de Carlos Lombardi está longe de ser considerada cristã…

Betty Lago
Betty Lago (Reprodução / Instagram)

A novela, que não registrou bons índices de audiência em sua exibição original, ficou marcada como sendo a última novela de Betty Lago na TV. A atriz, parceira e musa antiga de Carlos Lombardi na telinha, faleceu vítima de um câncer terminal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Copiando a concorrência

Patrícia (Simone Spoladore) e Carlão (Fernando Pavão) em Pecado Mortal
Patrícia (Simone Spoladore) e Carlão (Fernando Pavão) em Pecado Mortal (divulgação/Record)

Dirigida por Alexandre Avancini, Pecado Mortal será a arma da Record para tentar barrar o BBB24. De acordo com o portal Notícias da TV, a direção da Record quer repetir a estratégia da Globo, que escalou Todas as Flores para bater de frente com A Fazenda 15. Assim, a reprise da trama entra no ar no dia 2 de janeiro, na faixa das 22h45.

Estrelada por Betty Lago, Jussara Freire, Fernando Pavão, Simone Spoladore e Palomma Duarte, Pecado Mortal foi uma das últimas novelas da “fase de ouro” da teledramaturgia da Record. A trama gira em torno de Carlão (Pavão), um professor hippie e humilde que vive ao lado da promotora Patrícia (Spoladore).

Leia mais

No entanto, ele é herdeiro de Michelle Vêneto (Luiz Guilherme), um dos maiores bicheiros do Rio de Janeiro dos anos 1970. Ele busca se manter longe de sua família, mas é perseguido por Picasso (Vitor Hugo), filho bastardo de Michelle que nutre um ódio mortal de Carlão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Escolha surpreendente

Pecado Mortal - Vitor Hugo
Vitor Hugo como Picasso em Pecado Mortal (Divulgação / Record)

A decisão da Record de reapresentar Pecado Mortal surpreende. Afinal, a novela segue o estilo consagrado por Carlos Lombardi, com muitos homens sem camisa, perseguições policiais, violência e morte, além das piadas de duplo sentido que o autor adora. Bem diferente da atual fase da emissora, calcada em novelas inspiradas na Bíblia.

Além disso, Pecado Mortal não registrou bons índices de audiência em sua primeira exibição. A trama estreou num momento em que a Record perdia audiência com suas novelas, após os fiascos de Máscaras (2012), Balacobaco (2012) e Dona Xepa (2013). Sua média geral foi de modestos 6 pontos no Kantar Ibope Media.

A trama também penou com a concorrência. Pecado Mortal estreou na faixa das 22h30 da Record, mas a Globo passou a esticar os capítulos de Amor à Vida (2013), fazendo a trama de Walcyr Carrasco bater de frente com a novela concorrente. Isso impediu Pecado Mortal de decolar.

Para piorar, a direção da Record acreditou que seria uma boa ideia passar a novela para a faixa das 21h, na tentativa de concorrer com Em Família (2014), substituta de Amor à Vida. Mas a estratégia, claro, não deu certo e só fez Pecado Mortal afundar ainda mais.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Casa nova

Carlos Lombardi
Carlos Lombardi (Reprodução / Facebook)

Pecado Mortal marcou a estreia de Carlos Lombardi na Record. O autor deixou a Globo ao se ver sem espaço na líder de audiência – seu projeto para a faixa das sete, intitulado João ao Cubo, chegou a ser aprovado, mas foi constantemente adiado.

A emissora de Edir Macedo ofereceu a Lombardi a oportunidade de fazer algo diferente. O autor, que se consagrou com suas comédias movimentadas na Globo, como Quatro por Quatro (1994) e Uga Uga (2000), agora emplacava uma trama de ação policial com uma boa dose de violência na faixa das 22h.

Porém, Lombardi deu o azar de chegar numa fase ruim da Record. Após alcançar o auge com novelas como Vidas Opostas (2006), Caminhos do Coração (2007), Chamas da Vida (2008) e Poder Paralelo (2009), a emissora passou a enfileirar insucessos a partir de Máscaras. Balacobaco e Dona Xepa, que vieram na sequência, não conseguiram elevar os números. Pecado Mortal estreou dentro deste contexto.

Após a novela de Lombardi, a Record apostou ainda em Vitória (2014), que encerrou essa fase da teledramaturgia da emissora. Como a trama de Cristianne Fridman também não decolou, a emissora mudou de estratégia e passou a apostar em tramas bíblicas, lançando o sucesso Os Dez Mandamentos (2015).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Câncer terminal

Donana (Jussara Freire) e Stella (Betty Lago) em Pecado Mortal
Donana (Jussara Freire) e Stella (Betty Lago) em Pecado Mortal (divulgação/Record)

Pecado Mortal também ficou marcada como a última novela de Betty Lago. A atriz era parceira antiga de Carlos Lombardi, estando presente em todos os seus trabalhos desde Quatro por Quatro. Quando o autor chegou à Record, Betty já era contratada da emissora e havia atuado em Vidas em Jogo (2011). Com isso, a parceria foi retomada.

E em grande estilo. Stella, personagem de Betty, era uma das protagonistas de Pecado Mortal. Sua rivalidade com Donana (Jussara Freire) era um dos principais eixos do folhetim. No entanto, na época, Betty já tratava de um câncer na vesícula, descoberta enquanto vivia Marizete em Vidas em Jogo. Entre os altos e baixos do tratamento, ela conseguiu retornar ao trabalho na novela do amigo. No entanto, Betty precisou se afastar pouco tempo depois, abreviando a despedida de Stella do folhetim.

Betty Lago passou por uma cirurgia na vesícula, quando foi descoberto que o câncer havia atingido o fígado. Ela passou por sessões de quimioterapia e perdeu o cabelo. No entanto, ela seguiu fazendo aparições públicas, compartilhando com o público o seu tratamento. Mas, em suas últimas semanas de vida, Betty já estava fazendo um tratamento paliativo. Ela faleceu em 13 de setembro de 2015, aos 60 anos.

Whatsapp


Leia também