TV aberta ainda terá muitas mudanças, mas não acabará em hipótese alguma - TV História

TV aberta ainda terá muitas mudanças, mas não acabará em hipótese alguma

O advento e crescimento das plataformas de streaming forçaram uma mudança impactante na programação e na forma de consumir, fazer e ofertar TV no Brasil. E seus reflexos continuarão reverberando nos próximos anos.

A fim de minimizar esse impacto – e também para não ficar para trás e garantir sua sobrevivência -, a TV aberta passa a agregar as qualidades do streaming aprovadas pelo público.

Não sou Mãe Diná (talvez a vidente mais divulgada pela televisão), mas vamos a um exercício de futurologia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A programação da TV continuará como sempre a conhecemos, com jornalismo, esporte, dramaturgia, humor, variedades e realities shows, inclusive com transmissões de eventos ao vivo. É na forma de ofertar essa programação que sentiremos os efeitos desses novos tempos.

Acredito mesmo que os dias de grade fixa e engessada como a conhecemos estão contados. O público mais e mais exige o cardápio de opções para consumir quando e onde bem desejar. Até a TV paga, com seus “inúmeros canais e nada para ver”, já dão sinais de que não resistirão.

Talvez estejamos presenciando a mais profunda transformação pela qual já passou a televisão nesses seus 70 anos. Sempre me perguntam “e o futuro da telenovela?”.

Agora, acabar? Em hipótese alguma!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A programação da TV aberta continuará com as mesmas opções, porém com maneiras diferentes de ofertá-las, agregando as características do streaming, seus diferenciais e vantagens.

Por quais outras transformações a TV passará em 10 anos, quando estiver comemorando 80 anos? Quero viver para presenciar.

SOBRE O AUTOR
Desde criança, Nilson Xavier é um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: no ano de 2000, lançou o site Teledramaturgia, cuja repercussão o levou a publicar, em 2007, o Almanaque da Telenovela Brasileira.

SOBRE A COLUNA
Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.



Leia também