Três meses após morte de apresentador ao vivo, programa da Globo saiu do ar

Whatsapp

Logo em seu primeiro ano no ar, com exibição ainda restrita à cidade do Rio de Janeiro (RJ), a Globo passou por uma situação muito triste. No dia 13 de setembro de 1965, Gláucio Gil estava apresentando o Show da Noite quando sofreu um infarto fulminante com o programa sendo exibido ao vivo e morreu.

O Show da Noite estreou no mesmo dia em que o canal de Roberto Marinho foi ao ar: 26 de abril de 1965. Levado ao ar às 22h30, recebia diversos tipos de convidados e tinha cerca de duas horas de duração.

Foi o primeiro programa a ter como objeto a própria televisão. Segundo o projeto Memória Globo, durante as entrevistas era comum serem mostrados os bastidores do estúdio, além das câmeras e diversos cenários de outros programas.

A atração rapidamente alcançou grande popularidade na cidade, até que foi acometido pelo fato trágico. Importante nome do teatro, Gláucio, então com 33 anos de idade, sentiu-se mal durante a apresentação, deitou-se no sofá do estúdio e faleceu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o relato de Domingos de Oliveira, que era produtor da atração, a emissora imediatamente saiu do ar. Em seguida, uma multidão apareceu na porta da Globo, no Jardim Botânico, para saber o que havia acontecido.

Vítima de infarto fulminante, Gláucio Gil começara aquela edição do programa justamente dizendo: “Hoje é sexta-feira, 13 de agosto, mas até agora vai tudo caminhando bem, felizmente”.

Em artigo no Jornal do Brasil de 17 de agosto de 1965, Yan Michalski relatou: “A fatídica sexta-feira, dia 13, proporcionou-nos uma experiência que nos deixará, por muito tempo, um gosto amargo na boca. Estávamos, por volta das 23 horas, assistindo ao Show da Noite, com Gláucio Gil entrevistando os seus convidados, como todas as noites, irradiando a sua simpatia tão pessoal, o seu estilo tão inimitável, e a sua enorme vitalidade, que tanto impressionava. No meio do programa, resolvemos mudar de canal, para assistir a um programa de noticiário. Poucos minutos depois, ainda dentro do noticiário, soubemos que, ao girar o botão do nosso receptor, havíamo-nos despedido para sempre de Gláucio Gil”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A morte de Gláucio Gil causou comoção no Rio de Janeiro. Dona Carmem, sua mãe, não acompanhou o enterro e pediu para que os fotógrafos não fizessem “a triste foto da despedida”. O apresentador e teatrólogo foi enterrado no dia 15 de agosto de 1965, no Cemitério São João Batista, com a presença de centenas de artistas e fãs. O féretro teve mais de 100 carros e, no momento do enterro, centenas de rosas foram jogadas em sua sepultura.

Gláucio Gil hoje dá nome a um teatro na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, e uma rua no Recreio dos Bandeirantes.

Sem o mesmo fôlego, o Show da Noite continuou no ar por mais três meses, até 30 de dezembro de 1965, sendo apresentado por Paulo Roberto. Dessa forma, o programa saía do ar há exatamente 55 anos.

Curiosamente, Paulo Roberto, que substituiu Gláucio, também morreu vítima de infarto e num dia 13 – só que em 13 de fevereiro de 1973, aos 70 anos.

Whatsapp


Leia também