Alma Gêmea (2005), sucesso de Walcyr Carrasco, foi confirmada pela Globo como substituta de Paraíso Tropical (2007) no Vale a Pena Ver de Novo. Será a segunda reprise do folhetim estrelado por Priscila Fantin na emissora.

Alessandra Negrini em Paraíso Tropical
Alessandra Negrini em Paraíso Tropical

A notícia pegou o público de surpresa, já que, a princípio, Alma Gêmea seria uma reprise “proibida”. Isso porque a Globo tinha vetado tramas das 18h no Vale a Pena Ver de Novo. Além disso, havia rumores de que o canal tinha proibido reprises de tramas de temática espírita.

Ou seja, a Globo resolveu quebrar duas regras de uma só vez para viabilizar o repeteco, no intuito de elevar a audiência do horário.

Quando estreia Alma Gêmea no Vale a Pena Ver de Novo?

A Globo bateu o martelo e decidiu que Alma Gêmea estreia no Vale a Pena Ver de Novo no dia 6 de maio. Com isso, Paraíso Tropical deve ter seus últimos capítulos na mesma semana, terminando no dia 10 de maio.

Assim, a emissora optou por encurtar a reprise da trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares em um mês. O planejamento inicial era que a novela ficasse no ar até o dia 7 de junho.

Porém, com a baixa audiência da reprise, Paraíso Tropical foi abreviada. A reprise da trama terá 119 capítulos e abrirá espaço para a reprise de Alma Gêmea.

A expectativa é que a novela repita o êxito das exibições anteriores e sirva como alavanca ao horário nobre da Globo, que perdeu muita audiência nos últimos meses.

Por que Alma Gêmea estava proibida de ser reprisada na Globo?

Alma Gêmea - Eduardo Moscovis e Priscila Fantin
Priscila Fantin e Eduardo Moscovis em Alma Gêmea (Divulgação / Globo)

Ao confirmar a reprise de Alma Gêmea, a Globo acabou quebrando duas regras de uma vez. A emissora vinha destinando o Vale a Pena Ver de Novo apenas para novelas das 21h, reservando tramas das 18h e 19h para a faixa Edição Especial, às 14h40. Isso cai por terra com a volta da novela de Walcyr Carrasco.

Além disso, Alma Gêmea também estaria vetada na Globo porque a novela trata de reencarnação. E a emissora vinha evitando tramas de temática espírita para não afugentar evangélicos, entendendo que eles serão maioria no país em breve.

A Globo sempre negou tal determinação. Porém, havia fortes indícios de que isso era verdade, já que Alma Gêmea chegou a ser cotada para substituir a Edição Especial de Chocolate com Pimenta (2003), mas perdeu a vaga para Mulheres de Areia (1993).

Além disso, esperava-se que A Viagem (1994) pudesse substituir a saga de Ruth e Raquel (ambas Gloria Pires) para celebrar seus 30 anos, mas o repeteco foi reservado ao Viva. E mais: Elizabeth Jhin, que escreveu sucessos espíritas como Escrito nas Estrelas (2010) e Além do Tempo (2015), foi dispensada há alguns anos. E suas novelas nunca foram reexibidas na TV Globo, mesmo tendo feito sucesso.

Por que a Globo repete sempre as mesmas novelas?

Nos últimos anos, a repetição do Vale a Pena Ver de Novo ficou evidente para o público. O canal reprisou recentemente O Rei do Gado (1996) pela terceira vez e, logo depois, investiu num segundo repeteco de Mulheres Apaixonadas (2003).

Isso aconteceu justamente porque o canal havia determinado que o Vale a Pena Ver de Novo seria destinado às novelas das 21h. Como há poucas opções recentes de sucesso para uma boa reprise à tarde, a Globo se viu obrigada a apelar para reprises batidas.

Mas, com a volta de Alma Gêmea, abre-se o caminho para que novelas das 18h e 19h voltem ao ar no Vale a Pena. Isso amplia as opções de reprises para a emissora, que pode finalmente trazer de volta alguns sucessos que andavam esquecidos.

Tramas como Bom Sucesso (2019), Além do Tempo, Cama de Gato (2009) e Paraíso (2009) poderão ganhar uma nova chance nessa “nova fase” do Vale a Pena Ver de Novo. É a chance de os noveleiros reverem tramas menos óbvias na faixa.

Compartilhar.
Avatar photo

André Santana é jornalista, escritor e produtor cultural. Cresceu acompanhado da “babá eletrônica” e transformou a paixão pela TV em profissão a partir de 2005, quando criou o blog Tele-Visão. Desde então, vem escrevendo sobre televisão em diversas publicações especializadas. É autor do livro “Tele-Visão: A Televisão Brasileira em 10 Anos”, publicado pela E. B. Ações Culturais e Clube de Autores. Leia todos os textos do autor