Senta que lá vem história: os segredos de Rá-Tim-Bum - TV História

Senta que lá vem história: os segredos de Rá-Tim-Bum

Whatsapp

1 – Rá-Tim-Bum foi um programa infantil da TV Cultura, exibido originalmente entre 5 de fevereiro de 1990 e 26 de março de 1994.

2 – O formato foi criado pelo roteirista Flávio de Souza, que depois também seria responsável por outros clássicos da emissora, como Mundo da Lua (1991) e Castelo Rá-Tim-Bum (1994).

3 – A direção geral do projeto ficou a cargo de Fernando Meirelles, que anos mais tarde se destacaria mundialmente como cineasta, produzindo filmes como Cidade de Deus (2002).

4 – A atração era composta por diversos quadros rápidos, através dos quais os espectadores mirins podiam aprender lições de temas como cidadania, higiene, cultura, ecologia, português e matemática, entre outros assuntos.

5 – De acordo com Fernando Meirelles, uma das inspirações para o formato foi sua filha, que na época tinha 4 anos. Segundo o diretor, a criança se interessava por pequenos detalhes em programas de TV, mas não acompanhava tramas extensas, o que levou ao estilo com cenas curtas e concisas.

6 – Os quadros eram interligados por histórias vividas por uma família que assistia ao programa, composta pelos pais (Roney Facchini e Grace Gianoukas) e por um casal de filhos (João Victor d’Alves e Pamella Domingue)

7 – O orçamento total do programa foi de US$ 1,3 milhão, boa parte bancada pela iniciativa privada, através de uma parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI).

8 – No total, o infantil contava com 82 cenários e 450 profissionais envolvidos.

9 – Um dos quadros mais marcantes do programa era o de Nina, uma criança que criava aventuras ao lado de sua boneca Careca; vivida por Iara Jamra, a personagem se tornou um marco do período.

10 – Na época, a equipe afirmou também ter se inspirado no clássico Vila Sésamo e também no norte-americano Pee-wee’s Playhouse.

11 – Originalmente, a personagem Cacilda seria uma boneca, mas acabou sendo vivida por uma atriz: Eliana Fonseca, também responsável pela direção de alguns quadros.

12 – Originalmente, Rá-Tim-Bum era exibido em todos os dias da semana, com três exibições diárias (9h, 15h e 19h).

13 – Fazendo referência a mitologia, o ator Norival Rizzo encarnava a Esfinge, que propunha enigmas para os pequenos espectadores.

14 – Já conhecido nacionalmente por ser o Garoto Bombril, o ator Carlos Moreno interpretou Euclides, personagem que interagia com a cobra Silvia (que viria a ser citada em Castelo Rá-Tim-Bum como prima da também cobra Celeste).

15 – O infantil contava com uma paródia do Jornal da Cultura da época; naquele período, tanto o original quanto a sátira utilizavam o tema do filme De Volta Para o Futuro como trilha de abertura.

16 – O programa teve um total de 800 figurinos, criados pelo figurinista Carlos Gardin e sua equipe.

17 – Vivendo talvez o personagem mais clássico da produção, Marcelo Tas fez muito sucesso interpretando o Professor Tibúrcio, se tornando um clássico da TV.

18 – A direção musical do programa ficou a cargo do premiado Edu Lobo, já consagrado como cantor, compositor, arranjador e instrumentista.

19 – O infantil tinha também um quadro onde peixes conversavam diretamente do fundo do mar, que deu origem ao programa Glub-Glub, exibido pela emissora a partir de 1991.

20 – No quadro dos extraterrestres que sobrevoavam São Paulo, Ricardo Corte Real, que vivia Zero Zero, dividia a cena com Luís Henrique, Zero. Anos mais tarde, Luís ficaria conhecido do grande público vivendo a personagem Mamma Bruschetta em programas da Gazeta e do SBT.

21 – Todo episódio mostrava uma esquete maior, divida em várias partes, no famoso Senta Que Lá Vem a História. Curiosamente, na época, a imprensa criticou o quadro, afirmando que a locução convidando as crianças a prestarem atenção na TV teria “tom autoritário”.

22 – O elenco do programa ainda trazia outros nomes consagrados, como Wandi Doratiotto, Marcelo Mansfield, Márcio Ribeiro, Théo Werneck e Ângela Dip.

23 – O infantil conquistou diversos prêmios, como Medalha de Ouro do Festival de New York como Melhor Programa Infantil, o Prêmio APCA de Melhor Programa Infantil, o Troféu Criança 1990 da Fundação Fundação ABRINQ pelos Direitos das Crianças e o Melhor do Ano do Caderno 2 do jornal O Estado de S. Paulo.

24 – No total, foram produzidos 192 episódios, distribuídos em 2 temporadas.

25 – A exibição original do Rá-Tim-Bum chegou ao fim em 26 de março de 1994.

26 – Porém, desde então, o programa continua sendo reprisado regularmente na TV Cultura, com alguns períodos fora do ar.

27 – Em 1991, a marca deu origem a seu primeiro derivado, o programa Teatro Rá-Tim-Bum, que trazia peças infantis e foi produzido daquele ano até 2004 e também em 2006.

28 – No ano de 1994, viria o maior sucesso da franquia, o Castelo Rá-Tim-Bum; ao longo dos anos, o infantil se tornou um marco da emissora e também da televisão brasileira.

29 – Em 2002, a Cultura exibiu o terceiro infantil derivado do programa, o Ilha Rá-Tim-Bum.

30 – Como grande homenagem ao programa, em 2004 a emissora lançou a TV Rá-Tim-Bum, canal pago que reprisa clássicos da emissora e também exibe programação original.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Whatsapp


Leia também