Romance de coadjuvantes é um dos poucos atrativos de Nos Tempos do Imperador

Romance de coadjuvantes é um dos poucos atrativos de Nos Tempos do Imperador

Whatsapp

Nos Tempos do Imperador, atual novela das seis da Globo, vem passando por muitos problemas. A trama escrita por Alessandro Marson e Thereza Falcão, dirigida por Vinícius Coimbra, sofreu rejeição do público e a audiência não tem sido satisfatória.

A ausência de bons casais protagonistas é um dos erros da produção. Mas a trama vem acertando em cheio na construção de um par secundário que vem crescendo a cada semana: Dolores e Nélio.

Nos Tempos do Imperador

O casal interpretado por Daphne Bozaski e João Pedro Zappa vem sendo muito bem construído.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É justamente por isso que há um encantamento em torno do nascimento da relação, algo que nunca aconteceu com Pilar (Gabriela Medvedovski) e Samuel (Michel Gomes), além de Pedro (Selton Mello) e Luísa (Mariana Ximenes), que se apaixonaram subitamente e logo ficaram juntos. Há um cuidado na construção do vínculo entre os perfis mais menosprezados da trama.

Mariana Ximenes, Selton Mello e Letícia Sabatella na novela Nos Tempos do Imperador

Aliás, é a humilhação constante que ambos sofrem a principal responsável pela aproximação dos personagens, que também se assemelham na personalidade: tímidos, introspectivos e um pouco atrapalhados. Eles são até parecidos fisicamente. Um telespectador que não acompanha a história pode achar que são irmãos.

Similaridades viraram elemento acolhedor

Nos Tempos do Imperador

E as similaridades viraram um elemento acolhedor. Um passou a se apoiar no outro, ainda que de forma discreta e bastante envergonhada. O sentimento nasceu, mas faltava coragem de encará-lo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dolores foi obrigada a se casar com Tonico Rocha (Alexandre Nero), após a fuga da irmã, Pilar, que estava prometida para o vilão. A mocinha até tentou salvar a irmã anos depois quando a ‘sequestrou’ no dia do casamento, mas Dolores se recusou, o que fez sentido dentro da lógica de uma obra ambientada em 1864. As mulheres eram criadas para serem submissas e conformadas com o próprio destino.

Já Nélio sempre foi o braço direito de Tonico, uma espécie de faz-tudo, ainda que sempre discorde dos atos desonestos e condenáveis do deputado.

Nos Tempos do Imperador

A triste filha de Eudoro (José Dumont) passou a conviver mais com o filho de Lota (Paula Cohen) quando passou a morar na casa de Tonico. Como Nélio vive sempre ali, uma aproximação se tornou inevitável.

Para culminar, Tonico ordena que seu ‘capacho’ leve Dolores para comprar roupas e a ensine a se comportar como uma dama. O rapaz ainda dá aulas para alfabetizá-la. Isso porque o vilão não se sente ameaçado por Nélio. Não o enxerga como homem e, sim, como um nada.

E também nunca gostou de Dolores, apenas se casou para se vingar do abandono de Pilar. Vale mencionar a cena da primeira vez dos recém-casados, que na verdade foi um estupro, já que Dolores tem horror ao marido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Daphne Bozaski merece elogios

Nos Tempos do Imperador

Daphne Bozaski merece todos os elogios por seu desempenho, após a sua marcante atuação como Benê em Malhação – Viva a Diferença e As Five. E a atriz já está acostumada a roubar a cena. A aceitação de Dolores é apenas mais uma prova.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já João Pedro Zappa não é uma figura frequente na televisão. Desde sua estreia, em 2007, faz apenas participações em novelas e séries. Costuma se dedicar mais ao cinema e teatro.

Importante lembrar seu destaque no filme Boa Sorte, em 2014, onde brilhou ao lado de Deborah Secco. É a primeira vez que o ator ganha um papel importante em um folhetim.

Nos Tempos do Imperador

Recentemente, os personagens conseguiram perder o medo e assumiram seus sentimentos, ainda que escondidos de todos por motivos óbvios. Houve uma preparação para despertar a expectativa do telespectador e o resultado foi positivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O primeiro beijo esbanjou delicadeza, assim como a primeira vez, quando ambos se viram completos e realizados. A sintonia entre os atores é bonita de ver. Os dois viraram os verdadeiros mocinhos do folhetim.

É preciso elogiar também a trilha do par: Era Pra Ser, de Maria Bethânia, cantada lindamente por Adriana Calcanhoto.

Nos Tempos do Imperador tem como principal êxito o casal formado por Dolores e Nélio. Caso a novela não estivesse toda gravada, com toda certeza os autores aumentariam o espaço dos personagens, que caíram nas graças do público graças ao bom desenvolvimento e ao talento dos atores, que tiveram química logo na primeira cena.

Whatsapp


Leia também