Assalto ao Carioca Palace deflagra série de acontecimentos: relembre a história de Pega Pega - TV História

Assalto ao Carioca Palace deflagra série de acontecimentos: relembre a história de Pega Pega

Whatsapp

O roubo é uma roubada. Em Pega Pega, o assalto ao Carioca Palace, hotel cinco estrelas, deflagra uma série de acontecimentos, virando de cabeça para baixo a vida dos personagens. O amor arrebatador do empresário pela herdeira do hotel é posto à prova por conta do roubo; quatro funcionários que nunca pensaram em ser ladrões se envolvem no crime milionário, perdendo a paz e a tranquilidade; um ricaço se vê sem nenhum centavo, tendo que se adaptar à nova realidade; e a policial que investiga o caso se apaixona por um dos meliantes, sendo correspondida por ele. O assalto, em que quarenta milhões de dólares são levados do cofre do hotel, causa todo este rebuliço, fortalecendo relações e valores e discutindo ética com humor e leveza.

Ambientada no Rio de Janeiro, a trama de Claudia Souto é uma comédia romântica policial com direção artística de Luiz Henrique Rios. O Carioca Palace une os protagonistas Eric Ribeiro (Mateus Solano) e Luiza Guimarães (Camila Queiroz), que se apaixonam à primeira vista. Ele, um empresário viúvo, pai da adolescente Bebeth (Valentina Herszage), íntegro e muito bem-sucedido em seus negócios, mas que guarda um segredo em seu passado. Ela, a herdeira do hotel de luxo, moça cujo sonho é administrar o local, onde vive com o avô, Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso). O casal se conhece em Foz do Iguaçu, numa artimanha do destino. Sem a ciência e o consentimento da neta, Pedrinho (Marcos Caruso) vende o hotel a Eric (Mateus Solano) e pede a Luiza (Camila Queiroz) que leve os documentos da venda ao empresário. Ao se olharem, um interesse mútuo surge.

Se o Carioca Palace os uniu, também vai separá-los, ainda que momentaneamente. Apaixonado, Eric decide abrir o jogo à amada sobre a venda do hotel apenas num momento oportuno, o qual parece nunca surgir. No dia de sua festa de 25 anos, comemorada com um grande baile nos salões do Carioca Palace, o cofre do hotel é roubado e Luiza (Camila Queiroz) leva uma rasteira do destino: acaba descobrindo por vias tortas que Eric (Mateus Solano) é o novo dono do hotel e que está falida. Como se não bastasse o baque, Luiza tem outra decepção: Eric é apontado injustamente como suspeito do assalto e acaba preso.

O roubo, na verdade, é praticado por quatro funcionários do hotel: o concierge Malagueta (Marcelo Serrado), o garçom Julio (Thiago Martins) e o casal formado pela camareira Sandra Helena (Nanda Costa) e o recepcionista Agnaldo (João Baldasserini). Pessoas comuns, trabalhadores, que nunca pensaram em roubar, mas, movidos por diferentes razões, decidem dar o grande golpe. Na caça aos criminosos, a inspetora de polícia Antônia (Vanessa Giácomo) assume o caso. Muito racional no trabalho e com um aguçado senso de justiça, ela não tem controle sobre os assuntos do coração e, sem saber, acaba se apaixonando por um dos autores do assalto, Julio (Thiago Martins).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

O Carioca Palace e o grande baile de Luiza

Gerido por Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso), o Carioca Palace não passa por seu melhor momento. Com dívidas e falta de investimentos, o cinco estrelas de Copacabana apresenta sinais de que parou no tempo, apesar da imponência. E a festa de 25 anos de Luiza (Camila Queiroz) é vista por ele como uma despedida do local, uma vez que, com os 40 milhões de dólares da venda do hotel, Pedrinho (Marcos Caruso) planeja se mudar para Nova Iorque, acompanhado da neta e do fiel mordomo Nelito (Rodrigo Fagundes), irmão da inspetora Antônia (Vanessa Giácomo), sem se importar com o que o novo dono, Eric Ribeiro (Mateus Solano), fará do imóvel.

O locomotiva da sociedade carioca, Pedrinho (Marcos Caruso) é um playboy que herdou o hotel da família e nunca o viu como um negócio, mas como um meio de gastar e esbanjar. Deu várias festas, fez inúmeras viagens, namorou muitas mulheres, foi paparicado por celebridades mundiais e agora, diante da má situação em que o hotel se encontra, vê a venda como uma luz no fim do túnel. Mas, para driblar as burocracias, Pedrinho exige que Eric (Mateus Solano) faça o pagamento em dinheiro e o coloque em quatro malas, guardadas por uma noite no cofre do Carioca Palace. Diferentemente do avô, Luiza (Camila Queiroz) sonha em ficar à frente do hotel, administrá-lo de forma correta. Sem vocação para dondoca, ela quer trabalhar e ver o seu “palácio” crescer e voltar a ser o que era, símbolo de glamour e sofisticação.

É Pedrinho quem organiza a grande festa nos salões do Carioca Palace. Luiza está ainda mais linda e radiante, principalmente pela presença de Eric. Porém, o avô se preocupa com a aproximação do casal, não vendo o romance com bons olhos, pois conhece uma mácula no passado do empresário. Tudo maravilhoso até que o sonho de Luiza se torna seu maior pesadelo. O hotel é roubado durante a festa e ela se sente traída pelo avô e pelo grande amor, ainda mais depois das acusações de Pedrinho sobre Eric ser o autor do assalto. Mesmo sem chão, diante de tantos golpes, a moça guerreira decide recomeçar a vida.

Sem dinheiro, Luiza e Pedrinho vão procurar abrigo entre os amigos ricos, que lhes viram a cara. Quem os ajuda é Nelito (Rodrigo Fagundes), que os abriga em sua casa e continua enchendo o ex-patrão de mimos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trabalhando com o inimigo

Convidados, hóspedes e funcionários. Todos são suspeitos do roubo do Carioca Palace para a polícia, que, diante da única pista – um par de óculos com a lente descascada, deixado pelo ladrão no chão do salão – se debruça sobre as investigações. O objeto usado pelo meliante foi encontrado por Bebeth (Valentina Herszage), filha de Eric (Mateus Solano), na noite da festa. No dia seguinte, Eric, distraído, põe os óculos e é fotografado pelos jornais. A polícia confronta as imagens da imprensa com as das câmeras de segurança, e o empresário é preso. O objeto, no entanto, é de Malagueta (Marcelo Serrado), o mentor do roubo.

Ao descobrir que o Carioca Palace será vendido e que as malas ficarão no cofre, o concierge alicia os colegas de trabalho, mostrando-lhes a possibilidade de serem milionários. Sandra Helena (Nanda Costa), Agnaldo (João Baldasserini) e Julio (Thiago Martins) a princípio hesitam, mas depois topam participar do roubo. Ardiloso, o concierge, que sabe os pontos fracos do hotel, distribui as tarefas. Tudo sai como o planejado, porém, uma pergunta atormenta os ladrões: como vão usar o dinheiro sem levantar suspeitas? O jeito é esconder a grana e continuar com a vidinha simples de funcionários do hotel, torcendo para que Eric (Mateus Solano) decida vendê-lo. Mas eles não contavam com dois deslizes: os óculos deixados no chão do salão e Maria Pia (Mariana Santos), assessora pessoal de Eric, que flagra Malagueta (Marcelo Serrado) no transporte das malas.

Sem nunca terem se envolvido em nenhum crime, os ladrões são levados a praticá-lo por contingências da vida – Sandra (Nanda Costa) acredita que está grávida de Agnaldo (João Baldasserini), que não tem como sustentar um filho; Julio (Thiago Martins) é arrimo de família e está com ordem de despejo; Agnaldo (João Baldasserini) está cansado da vida medíocre que leva; e Malagueta (Marcello Serrado), quer provar ao pai, presidiário – com quem tem uma relação afetiva bastante conturbada – que pode ser melhor do que ele. Entretanto, os larápios se deparam com a decisão de Eric (Mateus Solano), após ser solto, de manter o Carioca Palace, sem demitir os funcionários.

Se antes a ideia do empresário era se desfazer do hotel, após a sua injusta prisão, ele opta por ficar com o Carioca Palace e se muda para lá com a filha Bebeth (Valentina Herszage). É a menina quem o convence da mudança, mostrando-lhe que acabar com o hotel e dispensar os funcionários seria uma atitude cruel. Bem adaptada ao local, circulando entre os trabalhadores e fazendo pequenas tarefas, Bebeth se realiza, e Eric comemora o bom momento da adolescente, estreitando a relação dos dois. Esta também é uma forma de o empresário tentar reconquistar Luiza (Camila Queiroz), provando a ela o seu amor e interesse em manter o Carioca Palace, tão importante na vida da amada. Enquanto isso, resta aos ladrões continuar trabalhando para não levantar suspeitas e bolar outro plano para conquistar, finalmente, a vida de milionários, usufruindo do dinheiro roubado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Eric e Bebeth: afeto x dinheiro

No mundo de Eric (Mateus Solano), só o trabalho interessa, os negócios estão em primeiro lugar, à frente, inclusive da única filha, a adolescente Bebeth (Valentina Herszage). Apesar de ambicioso, ele é correto e não tolera negociatas. Sua fortuna vem em parte do patrimônio herdado dos pais e também da herança da mulher, Mirella (Marina Rigueira), multiplicada por ele. Eric cobre a filha de mimos, sendo que o que a menina mais quer é carinho, atenção, proteção e limites. O empresário sofreu muito com a perda de Mirella e sofre com a relação que tem com a filha. Ele ama Bebeth, porém, não sabe demostrar, e leva um golpe a cada fuga da garota. O empresário se afunda na própria fortuna. “O dinheiro nunca o decepcionou, pelo contrário, o dinheiro o ama e se multiplica nas mãos dele. Por isso o empresário se refugiou nos negócios”, explica a autora.

Diferentemente do pai, Bebeth (Valentina Herszage) não liga para dinheiro, não gosta de morar sozinha numa casa suntuosa, romantiza a pobreza e foge para ser notada por Eric. Bebeth vive os efeitos colaterais de um trauma do passado: ela presenciou a morte da mãe num acidente de carro quando ainda era uma criança. Isso a abalou e fez com que desenvolvesse um estresse pós-traumático.
A relação de pai e filha é tumultuada, mas se aquieta quando Eric decide se mudar para o Carioca Palace, a pedido da menina, e Bebeth descobre a vida nos bastidores do hotel, o dia a dia dos funcionários, com os quais ela trava uma sincera amizade. Outro grande suporte de Bebeth é o namorado Márcio (Jaffar Bambirra), jovem que trabalha numa companhia de teatro de bonecos e que entende os problemas da namorada, respeitando-a e apoiando-a. É o rapaz quem alerta Eric sobre as consequências do trauma de Bebeth, que o próprio pai finge não ver.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Maria Pia, uma pedra nos sapatos de Eric e Luiza

Para Maria Pia (Mariana Santos), é Deus no céu e Eric Ribeiro (Mateus Solano) na terra. Desde adolescente, ela nutre uma paixão platônica pelo empresário. Eles estudaram juntos na Europa e ela sempre foi a sombra dele, abdicando de crescer profissionalmente para se tornar assessora pessoal do empresário a quem idolatra. Ela sabe de todos os passos do viúvo e acha que um dia terá o seu amor.

Sem querer, Maria Pia é peça importante no roubo do Carioca Palace. Ela flagra Malagueta (Marcelo Serrado) levando as malas e, em vez de denunciá-lo, se torna uma aliada do vilão. Vinda de um família rica, seu objetivo não é o dinheiro, mas a ajuda do concierge para acabar com Eric e depois estender-lhe a mão, a fim de que o empresário reconheça o seu valor.

Quando descobre a relação de Eric e Luiza (Camila Queiroz), Maria Pia espuma de ódio. Além de tentar revelar a Luiza que Eric é o novo dono do Carioca Palace, em plena festa da rival, a vilã se passa por amiga e se aproxima da neta de Pedrinho (Marcos Caruso). Enquanto estão juntas, Maria Pia aproveita para envenená-la sobre Eric, dando a entender que o empresário prioriza o dinheiro, tem caráter duvidoso e que pode, sim, ter culpa no assalto. Luiza passa então a desconfiar ainda mais dos sentimentos de Eric por ela, fazendo com que a vilã brade vitória.

Apesar de tentar uma relação amistosa com Bebeth (Valentina Herszage), Maria Pia não suporta a adolescente e vice-versa. Não à toa, a menina a chama de ‘Maria Pilha’ e abomina o tratamento da vilã com os funcionários do hotel e subalternos em geral, sempre maltratando-os e destratando-os. Mas, na verdade, ela é uma mulher frágil e carente. Com a autoestima baixa, Maria Pia cura suas frustrações na comida, sendo muito criticada pela própria mãe, Lígia (Angela Vieira), dondoca superficial que acredita que, fora de forma, a filha nunca conseguirá o que quer. Nem o pai, o desembargador aposentado Athaíde (Reginaldo Faria), a compreende. A única fonte de afeto de Maria Pia é Madalena (Virgínia Rosa), cozinheira da família, a quem a vilã trata com extremo carinho e atenção.

Há anos trabalhando na casa de Lígia e Athaíde, Madalena tem sempre uma palavra amiga a Maria Pia, mas guarda uma grande dor no coração: o sumiço do filho Tidinho (David Junior), ainda criança, quando o pequeno estava na praia com o pai, Cristóvão (Milton Gonçalves). Alcoolizado, o pai dormiu e, quando acordou, não soube mais do paradeiro do garoto. O casal se separou e Madalena nunca o perdoou. Cristóvão trabalha com serviços gerais no Carioca Palace e se aproxima de Bebeth (Valentina Herszage) quando ela vai morar no hotel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Sabine Favre chega ao Rio para atazanar Eric

O mar de Eric (Mateus Solano) não está mesmo para peixe. Preso injustamente pelo roubo do Carioca Palace e longe de Luiza (Camila Queiroz), ele se depara com mais um problema: a chegada de sua sócia, Sabine Favre (Irene Ravache), radicada na Suíça e que veio da Europa por conta do escândalo envolvendo a empresa deles. A famigerada mulher chega no dia em que Eric é solto.

Viúva do sogro de Eric e madrinha de Bebeth (Valentina Herszage), Sabine não suporta o empresário e não dá bola à afilhada. Ela só tem olhos para o filho Don (David Junior), rapaz adotado ainda bem pequeno em condições não legalizadas no Brasil. Don teve a melhor educação europeia e hoje ocupa um cargo de confiança na empresa, mas, para Sabine, o lugar do filho é na cadeira de Eric. Só que, diferentemente da mãe, ele não pensa em prejudicá-lo e tem um senso de justiça apurado.

Arrogante ao extremo, Sabine tem horror ao Brasil e alardeia esta repugnância em seus discursos, tanto é que cabe a ela os negócios da empresa na Europa, enquanto Eric fica à frente de tudo por aqui. Mas existe uma pessoa capaz de esquentar o coração da suíço-brasileira. Ele é Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso). Nos áureos tempos, o playboy e Sabine tiveram um romance mal resolvido que ainda hoje mexe com ambos. Pedrinho quer reconquistá-la, apesar dos foras da ex, que, no fundo, sente a falta dele.

Quem também não fica nada contente com a chegada de Sabine é Lígia (Angela Vieira), mãe de Maria Pia (Mariana Santos). Na juventude, as duas disputaram o amor de Pedrinho, e Lígia saiu perdendo, o que lhe causa o maior recalque.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Amor bandido

Julio (Thiago Martins) é o tipo de rapaz que toda sogra quer ter como genro: bom moço, trabalhador, correto, “família” e educado. Na vila da Tijuca, onde mora com as tias Elza (Nicette Bruno) e Prazeres (Cristina Pereira) e o cachorro Sherlock, esses atributos se propagaram, e o rapaz é visto como um homem acima de qualquer suspeita. Entretanto, o garçom do Carioca Palace esconde um desvio grave: é um dos autores do roubo do hotel e se arrepende de ter participado do plano que marca a sua vida para sempre.

Na iminência de ser despejado de sua casa com as tias, Julio não vê outra alternativa a não ser entrar na roubada. Não bastasse esta cilada, o destino continua pregando peças no garçom. Ele se apaixona justamente pela inspetora de polícia linha-dura Antônia (Vanessa Giácomo), cuja maior característica é ser incorruptível, e que não medirá esforços para encontrar o culpado pelo roubo no hotel. Apesar de terem personalidades bem distintas – enquanto ele é mais frágil, ela é determinada -, o amor dos dois cresce, o que faz com que o garçom arrependido viva um grande dilema: contar ou não contar a Antônia o que fez na noite do baile?

Tanto Nelito (Rodrigo Fagundes), irmão de Antônia (Vanessa Giácomo), responsável por apresentá-los, quanto as tias aprovam o romance, mas a torcida contra também é grande. Do lado de Julio, seus cúmplices no roubo não veem o namoro com bons olhos, temendo o pior; a camareira Cíntia (Bruna Spínola) também não gosta nada, uma vez que sonha cair nos braços do garçom. Do lado de Antônia, a desaprovação vem de Domênico (Marcos Veras), inspetor de polícia, que “arrasta um avião” pela colega de trabalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Pimenta Malagueta

Ardiloso, astuto, sagaz, calculista, aquele que circula bem entre todas as rodas e sabe o que quer. O concierge Vitor, vulgo Malagueta (Marcelo Serrado), como todos o conhecem, é um vilão por acaso, o chefe dos ladrões que são tão amadores quanto ele. Mas o seu charme encanta e ele sabe levar os outros “no bico”. Malagueta tem com Agnaldo (João Baldasserini), Julio (Thiago Martins) e Sandra Helena (Nanda Costa) uma amizade acima de qualquer suspeita, por isso confia neles para executar a façanha.

Mentor do roubo de 40 milhões de dólares, ele tem sempre uma carta na manga, ou melhor, um dardo no bolso, objeto que considera um talismã e que lhe traz sorte. Foi o dardo, inclusive, que o permitiu desligar o sistema de segurança do cofre. O objeto é peça fundamental na construção do personagem, que busca a precisão em seus atos. Precisão e aceitação.

Malagueta (Marcelo Serrado) elabora o roubo por ambição e para provar ao pai, Timóteo (Cacá Amaral), presidiário, ex-líder de uma quadrilha que assaltava caixas eletrônicos, que é muito melhor do que ele. O concierge nunca compactuou com as ideias de Timóteo de ganhar a vida dando golpes, mas, internamente, em busca de sua aceitação, Malagueta põe em prática o roubo do Carioca Palace e joga na cara do pai que eles são parecidos em muitos aspectos, no entanto, a diferença está na inteligência.

Ao saber que Maria Pia (Mariana Santos) o flagrou no assalto, Malagueta não se acovarda. Os dois se tornam cúmplices em busca de seus propósitos, mas a proximidade da dupla, com direito a muitas verdades e alfinetadas de ambos os lados, faz brotar uma relação intensa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Respeitável público, o teatro de bonecos vai começar!

O teatro de bonecos é uma arte ancestral e o sustento da Família Borges, composta pelo casal Borges (Danton Mello) e Tereza (Dani Barros) e pelos filhos Márcio (Jaffar Bambirra) e Drica (Leandra Caetano), todos artistas bonequeiros. Eles são os donos da companhia Serrote e ganham a vida confeccionando e manipulando os bonecos, difundindo a arte que surgiu no Oriente.

O patriarca Borges (Danton Mello) é um idealista e não aceita qualquer tipo de trabalho. É fiel ao ofício de bonequeiro, que tanto ama e acredita, mesmo que a companhia, tão premiada, não esteja conseguindo arrecadar o suficiente para manter a família. Talentoso, ele desenha, molda e talha os bonecos.

Com a falta de oportunidades, o grupo passa por dificuldades financeiras e quem segura as despesas é Tereza (Dani Barros). A mulher respeita as convicções do marido, mas o filho mais velho, Márcio, confronta o pai, alegando que arte não paga contas e que eles precisam se reinventar, fazendo outros tipos de trabalho, o que gera muitas discussões. As rusgas entre pai e filho vão além das ideologias. Borges desaprova o namoro de Márcio com Bebeth (Valentina Herszage), a quem chama de ‘Problemeth’, enquanto Tereza e Drica torcem pelo jovem casal.

Um dos bonecos da companhia Serrote é uma canguru, que se torna a melhor amiga de Bebeth. Ela a encontra em uma de suas fugas, numa situação perigosa. Aos olhos de Bebeth, a canguru não é um brinquedo, mas um bichinho com expressões reais e que interage com ela. De imediato, a garota se apega à boneca e a ‘batiza’ de Flor. Mais do que uma amiga, Flor vira o alter ego de Bebeth, mas internamente o que ela quer é que o pai lhe imponha limites.

Whatsapp


Leia também