Record surpreende ao demitir astro que luta contra doença incurável

O profissional, que era repórter especial do Domingo Espetacular, trabalhou durante 17 anos na emissora

Whatsapp

Considerado um dos grandes repórteres da televisão brasileira, Arnaldo Duran foi dispensado pela Record no final de dezembro. O profissional, que era repórter especial do Domingo Espetacular, trabalhou durante 17 anos na emissora de Edir Macedo.

Arnaldo Duran
Arnaldo Duran

Acostumado a dar a notícia, Arnaldo Duran virou notícia em 2016, quando foi diagnosticado com a síndrome de Machado-Joseph, uma doença degenerativa do sistema nervoso. A enfermidade, que afeta os músculos e o equilíbrio, não tem cura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Estou em choque”

Arnaldo Duran foi demitido da Record depois de 17 anos de bons serviços prestados. O repórter foi contratado pela emissora em 2006, numa época em que a Record fazia inúmeros investimentos em programação. O canal atraiu vários nomes vindos da Globo oferecendo altos salários, e Duran foi um dos profissionais conquistados.

De lá para cá, ele passou por todos os programas jornalísticos do canal, como o Jornal da Record. Nos últimos anos, vinha produzindo reportagens especiais para o Domingo Espetacular, uma das maiores audiências da emissora.

Leia mais

Em entrevista ao site F5, da Folha de S. Paulo, Duran afirmou ter ficado surpreso com a dispensa.

“Ainda estou em choque. Meus chefes disseram que foi uma decisão administrativa para contenção de despesas, sobre a qual não tiveram ingerência”, revelou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Doença sem cura

 

A demissão de Arnaldo Duran chamou a atenção porque o repórter luta há anos contra uma doença incurável. Em 2016, ele foi diagnosticado com a síndrome de Machado-Joseph, uma doença degenerativa do sistema nervoso.

Em entrevista ao programa de Gugu Liberato, em 2016, o jornalista abriu o coração e revelou como lidou com o diagnóstico.

“Eu tive dificuldade para falar para as crianças, porque é uma doença hereditária… Eu tive dificuldade para falar com eles, tive a dificuldade inicial de aceitar! Porque eu tive medo, Gugu! Muito, muito medo. Eu passei uma noite em casa no Rio, sentado no sofá, chorando e chorando, e com medo. Tinha medo do futuro. Como vai ser?”, contou.

Desde então, Duran vem tratando os sintomas da doença, como a falta de coordenação dos movimentos musculares e a falta de equilíbrio. Ele, inclusive, quase perdeu a fala por conta da síndrome, mas conseguiu recuperá-la por causa do tratamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mudança

Arnaldo Duran é jornalista há mais de 40 anos, com passagens pela Manchete, SBT e Globo, de onde saiu em 2006 rumo à Record. Na época, ele falou ao Diário do Grande ABC sobre a mudança.

“Resolvi aceitar o convite por ser uma pessoa irrequieta, que não consegue ficar parada num mesmo lugar por muito tempo. Na minha ida para a Record vislumbrei a possibilidade de crescimento profissional, do mesmo modo que aconteceu das outras vezes em que troquei de emissora. Também pesou o fato de possivelmente apresentar o Jornal da Record aos sábados. Acho instigante a apresentação de um telejornal. Além disso, não vou estar na escala do dia-a-dia, nem fazer plantão na reportagem nos fins de semana. Vou para a Record para fazer reportagens especiais sobre comportamento, que é a minha praia”, comemorou.

A demissão de Arnaldo Duran integra a lista de cortes que a Record vem fazendo desde o ano passado. A redução afeta, principalmente, o jornalismo da emissora, que conta com profissionais com altos salários. Em 2022, a Record registrou um prejuízo de R$ 517 milhões.

Whatsapp


Leia também