Que pena: 9 novelas da Globo que o Viva desistiu de exibir

Canal pago deixou a ver navios os fãs de vários títulos; confira a lista completa

Whatsapp

No ar há 13 anos, o canal Viva já exibiu e reprisou grandes clássicos da programação da Globo. A emissora paga fez e continua fazendo a alegria do noveleiro ao resgatar várias pérolas da teledramaturgia nacional, como A Viagem (1994), Vale Tudo (1988) ou História de Amor (1995), essa última no ar pela segunda vez no canal.

Renata Sorrah em Roda de Fogo
Renata Sorrah em Roda de Fogo (divulgação/Globo)

Mas, dentre tantas novelas já reprisadas, algumas ficaram só na intenção. O Viva e a imprensa especializada chegaram a noticiar o retorno de obras que acabou não acontecendo, pelos mais variados motivos. Roda de Fogo (1986), Pecado Capital (1998) e Cara & Coroa (1995) são algumas destas produções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Público não aprovou

Pecado Capital - Carolina Ferraz e Francisco Cuoco
Carolina Ferraz e Francisco Cuoco em Pecado Capital (Divulgação / Globo)

O caso mais clássico envolvendo uma desistência do Viva de exibir uma novela aconteceu com Pecado Capital. O canal chegou a anunciar o retorno do remake do clássico de Janete Clair em duas ocasiões, mas foi obrigado a recuar.

Em 2013, o Viva anunciou a novela escrita por Gloria Perez para substituir Felicidade (1991) na grade. No entanto, o público rejeitou violentamente a ideia, protestando contra a decisão no canal na web, já que a trama foi um fiasco em sua exibição original e alvo de inúmeras críticas. Diante de tanta comoção, o Viva recuou e programou o remake de Anjo Mau (1997) para a vaga.

Leia mais

Mas, no ano seguinte, o canal tentou novamente e escalou Pecado Capital para substituir o primeiro repeteco de História de Amor. Mais uma vez, a plateia chiou na internet, fazendo o Viva desistir de vez de desengavetar o folhetim estrelado por Carolina Ferraz, Eduardo Moscovis e Francisco Cuoco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não rolou

Lua Cheia de Amor - Francisco Cuoco e Marília Pêra
Marília Pêra e Francisco Cuoco em Lua Cheia de Amor (Nelson Di Rago / Globo)

Ao desistir de Pecado Capital pela segunda vez, o Viva abriu uma enquete em suas redes, pedindo que o público opinasse sobre que novela poderia substituir História de Amor. Tropicaliente (1994) foi a mais votada e se tornou a sucessora da trama de Manoel Carlos. Despedida de Solteiro (1992) ficou em segundo lugar e voltou na sequência.

Porém, o canal simplesmente ignorou Lua Cheia de Amor (1990), trama que ficou em terceiro lugar e, portanto, esperava-se que entrasse no ar logo na sequência. Mas isso nunca aconteceu. A história escrita por Ricardo Linhares, Maria Carmem Barbosa e Ana Maria Moretzsohn ganhou sim uma nova chance, mas no Globoplay.

Curiosamente, Lua Cheia de Amor não foi um sucesso na Globo e, ainda assim, entrou na mira do Viva. O mesmo aconteceu com Jogo da Vida (1981), de Silvio de Abreu, que mesmo não sendo considerada exitosa, esteve nos planos do canal para a faixa das 15h30, mas acabou não retornando. Em seu lugar, entrou Bebê a Bordo (1988).

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Clássicos preteridos

Reginaldo Faria e Luís Gustavo em Ti-Ti-Ti
Reginaldo Faria e Luís Gustavo em Ti Ti Ti (divulgação/Globo)

Em 2020, o Viva divulgou em uma peça institucional a estreia de Ti Ti Ti (1985), um clássico de Cassiano Gabus Mendes. Os espectadores ficaram ouriçados com a oportunidade de rever Luis Gustavo e Reginaldo Faria duelando como os inesquecíveis costureiros Victor Valentim e Jacques Leclair, mas isso acabou não acontecendo. O canal desistiu da trama e desengavetou Brega & Chique (1987), outro clássico do autor.

Roda de Fogo (1986) também chegou a ser anunciada para a faixa das 23 horas do Viva, mas seu retorno acabou não acontecendo – Explode Coração (1995) assumiu a vaga. O canal não chegou a explicar a troca, mas acredita-se que tenha a ver com o fato de a novela não ter mais o capítulo 90, ou seja, não está na íntegra. A trama foi relançada no Globoplay, mas a plataforma explica ao público a ausência do capítulo em questão.

Outros clássicos, como Gabriela (1975) e Locomotivas (1977) também foram apontados, pela imprensa especializada, como fortes candidatas à programação do Viva. No entanto, nenhuma das duas retornou. A primeira provavelmente não deve retornar, já que os direitos da obra de Jorge Amado da qual a novela é baseada pertencem à Warner. Já a segunda entrou no Globoplay este ano.

Cara & Coroa, de Antonio Calmon, foi outra novela que chegou a ser anunciada, mas acabou engavetada. Na época, a explicação foi que o Viva não conseguiu desembaraçar questões de direitos autorais para viabilizar a reprise. Recentemente, Um Anjo Caiu do Céu (2001) foi cotada para a faixa das 13h, mas perdeu a vaga para Corpo Dourado (1998).

Whatsapp


Leia também