Quase fora da Record, o que há por trás da reaproximação entre Xuxa e Globo? - TV História

Quase fora da Record, o que há por trás da reaproximação entre Xuxa e Globo?

Whatsapp

Em 2015, Xuxa se transferiu para a Record encerrando uma vitoriosa passagem de 29 anos pela Globo. Desde então, aquela que um dia foi a maior estrela da emissora, passou a ser ignorada.
Menções aos seus programas eram feitas somente quando extremamente necessário, ainda assim evitando mostrar sua imagem. Essa postura vai ao encontro de uma declaração que Xuxa deu para Leo Dias há alguns anos.

A apresentadora, após oficializar sua saída da emissora, teria ouvido de um diretor. “Se você for para o SBT tudo bem, mas se a sua escolha for a Record, passará a ser nossa inimiga”.

Ao longo desse período, Xuxa fez algumas críticas à emissora dos Marinho, especialmente nos primeiros anos. A apresentadora afirmava que teve a liberdade polida com o passar do tempo. Mais recentemente, porém, a estrela admitiu ter agido como uma pessoa mimada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


As aparições de Xuxa na Globo em 2020

Em 2020, porém, esse distanciamento começou a ser encurtado. A primeira aparição de Xuxa na Globo aconteceu em maio, no Conversa com Bial. A justificativa oficial para o convite foi a série de entrevistas que o jornalista está conduzindo para homenagear personalidades que fizeram história nos 70 anos da televisão.

Na pandemia, Xuxa confirmou que havia assinado contrato com a Globo Livros, braço editorial do Grupo Globo, para o lançamento de alguns títulos, incluindo Memórias – que revisita a sua trajetória – e o infantil Maya: o Bebê Arco-Íris, que se tornou alvo de uma agressiva campanha difamatória por parte dos conservadores.

Em decorrência disso (ou não, diria Caetano) surgiu a oportunidade para uma entrevista exclusiva para o Fantástico. Em uma longa reportagem – 17 minutos é muito tempo para os padrões da TV – a loira foi um dos grandes destaques da edição exibida em 1º de novembro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


#XuxanaGlobo (e no Multishow também)

Dois dias depois, lá estava Xuxa, de novo, em um canal do Grupo Globo. A eterna Rainha dos Baixinhos foi a escolhida para abrir a 5ª temporada do Lady Night, programa de Tatá Werneck no Multishow.

Durante o papo, Tatá fez de tudo para que Xuxa se pronunciasse, de maneira oficial, sobre um eventual retorno à Globo. A convidada, no entanto, despistou sobre o seu futuro na TV, alegando que não descarta, inclusive, a possibilidade de aposentadoria.

Neste sábado (21), mais um capítulo especial nessa reaproximação. Xuxa foi a convidada especial de um Altas Horas “todinho para ela” – como a Globo fez questão de alardear nas chamadas.

Puxando pela memória, este jornalista não se recorda de nenhuma ocasião em que a atração de Serginho Groismann, há 20 anos no ar, tenha sido inteiramente dedicada a uma única entrevista.

Isso tudo sem contar outras vezes em que ela foi relembrada. Em 2020, pela primeira vez em cinco temporadas, uma música do repertório de Xuxa (Lua de Cristal) foi interpretada no The Voice Kids. No aniversário de 21 anos do Mais Você, o clipe de abertura do programa foi ao som de Parabéns da Xuxa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A eventual insatisfação com a Record

Também é preciso considerar o contexto em que essas aparições estão acontecendo. Não deixa de ser intrigante que Xuxa volte a ser figura frequente na Globo justamente quando o seu vínculo com a Record está próximo do fim, com poucas perspectivas de renovação.

Apesar de demonstrar gratidão a Record, a apresentadora também viveu alguns períodos de desgaste com a emissora, que talvez tenham acentuado o seu desejo em não permanecer. Entre eles, está o veto ao cabelo rosa e a precoce retirada do The Four aos domingos.

Ao encontro de uma eventual insatisfação, estão os convites da Globo. A reaproximação pode ser apenas um indício de que Xuxa e Globo contornaram mágoas do passado? Pode!

Por outro lado, não deixa de ser surpreendente o fato de a Globo dar tanto destaque a uma profissional que, oficialmente, ainda é contratada da concorrência (tanto é que sempre é feito um agradecimento a Record). Hebe Camargo foi uma das poucas estrelas que teve um tratamento semelhante, em vida, com aparições no Faustão e no Fantástico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Afinal, Xuxa vai voltar para a Globo?

A resposta a essa pergunta só o tempo dirá. Oficialmente, a Globo diz que não conversa com artistas que possuem contrato com a concorrência. Mas, se, de fato, a renovação não ocorrer, esse empecilho deixará de existir.

Considerando essa hipótese, eu ficarei muito surpreso se o retorno não se concretizar, ainda que, em bases diferentes da primeira passagem. O vastíssimo acervo dos programas de Xuxa pode agregar ainda mais valor para o Globoplay, por exemplo.

Na TV aberta, ela pode comandar formatos por temporada ou então ser um bom nome para substituir Luciano Huck, caso ele realmente decida disputar a presidência.

Embora a passagem pela Record tenha rendido bons momentos – como a experiência no comando de programas ao vivo e a liberação para participações no SBT – ela nunca teve o perfil da emissora. Foi na Globo que ela se tornou a Rainha dos Baixinhos e é a emissora que a sua imagem está indiscutivelmente associada.

Os fãs torcem, para que ao contrário de Hebe – que até até chegou a ser recontratada pelo SBT, mas faleceu dois dias depois do anúncio – e Gugu, ela consiga reestrear em sua antiga casa. E eu também.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O ativismo de Xuxa

O ativismo de Xuxa e todas as bandeiras que ela defende – o respeito aos animais e as minorias – só realçam o quanto ela tem consciência de seu papel como comunicadora.

Não é um apresentador policial de uma “emissora decadente” – para usar as palavras de seu proprietário – nem a manifestação de conservadores fervorosos que vão conseguir manchar o seu legado.

A estratégia é justamente que o seu discurso de ódio repercuta, para que ele se potencialize e encontre forças entre seus semelhantes. Como jornalista, eu me recuso a dar visibilidade para os que estão alinhados com essa ideologia, refletida no presidente Bolsonaro.

Caso contrário, poderemos ver a história se repetir, com a construção de um “novo mito” para a direita conservadora. Para Xuxa, eu relembro um verso de Lua de Cristal. “Vamos com você / Nós somos invencíveis, pode crer / Todos somos um, e juntos não existe mal nenhum”.

Sobre o autor

Piero Vergílio é jornalista profissional desde 2006. Já escreveu sobre diversos temas, mas há algum tempo, tem se dedicado ao que realmente gosta: trazer notícias sobre o universo da televisão. No Twitter, interage com outros fãs do veículo no perfil @jornalistavetv. Agora, sua história se cruza com a do TV História.



Leia também