Protagonista de novelas da Globo terminou a vida bem longe da emissora

Whatsapp

Dono de importantes papeis na história da teledramaturgia brasileira, Adriano Reys morreu em 20 de novembro de 2011, aos 78 anos.

Barriga de Aluguel

Pouca gente sabia, mas o ator não era brasileiro de nascimento. Ele nasceu na cidade do Porto, em Portugal, mas veio cedo para o Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na juventude, chegou a praticar diversos esportes, mas acabou enveredando para a carreira artística, iniciada em 1963, no cinema. Antes disso, se formou em Ciências Contábeis, mas nunca exerceu a profissão.

Leia mais

“Eu era mesmo um garotão de praia e quis conhecer os bastidores do cinema, que era muito ruim naquela época. Passei a frequentar os estúdios e fui chamado para um filme. Não parei mais. A televisão de hoje tem elementos de compensação, inclusive para o teatro, dando prestígio e popularidade ao ator. Confesso, entretanto, que o teatro é a razão maior de minha arte”, explicou o artista ao jornal O Globo em 20 de junho de 1982.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estreia na televisão

Como Salvar Meu Casamento

Após algumas pontas de teleteatros e programas, seu primeiro papel em novelas veio em 1970, em E Nós, Aonde Vamos?, obscura novela da Tupi. Depois de participar de Pigmalião 70, na Globo, foi o protagonista de Bel-Ami, novamente no canal de Assis Chateaubriand.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois disso, esteve em Rosa dos Ventos, Os Inocentes, Ídolo de Pano, Ovelha Negra, A Viagem, Papai Coração, O Julgamento, Éramos Seis, O Direito de Nascer e a última novela da emissora, Como Salvar meu Casamento, que saiu do ar antes de ser finalizada.

Adriano Reys

A partir daí, fez carreira na Globo, estando em Ciranda de Pedra, quando fez um destacado vilão e chegou a ser agredido na rua, Sétimo Sentido, Final Feliz, Amor com Amor se Paga, Ti-Ti-Ti, Vale Tudo, Barriga de Aluguel, Mulheres de Areia e Quatro por Quatro.

Nessa época, teve seus papeis de maior destaque, como o Adriano, de Ti-Ti-Ti, o Renato, de Vale Tudo, o Dr. Álvaro, de Barriga de Aluguel, e o Sampaio, de Mulheres de Areia.

Adriano Reys e Lidia Brondi em Vale Tudo

Em 1988, quando fazia Vale Tudo, o ator dizia que se orgulhava do fato de “jamais ter passado mais do que três meses sem trabalhar” em 35 anos de carreira. No entanto, sua participação na telinha começou a diminuir na década seguinte.

Longe da Globo

Adriano Reys

Após deixar a Globo, Adriano rodou por várias emissoras, como a Band, onde teve uma passagem mal-sucedida na esquecida A Idade da Loba. Em 1997, foi para a Record, onde fez Canoa do Bagre, Do Fundo do Coração e Tiro e Queda. De volta à Globo, fez pequenas participações em Kubanacan e A Lua Me Disse.

Suas duas últimas novelas foram Paixões Proibidas, na Band, em 2006, e Promessas de Amor, em 2009, na Record.

Adriano morreu após ficar 10 dias internado no Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro (RJ), onde tratava um câncer no fígado e no peritônio. Ele teve embolia pulmonar e parada cardíaca.

O ator, que não teve filhos, deixou a esposa, Viviane de Amorim Cantinho, e amava os animais – tinha duas cachorras.

“Vou doar tudo: fotos, vídeos, figurinos e memórias. Quero que chegue à pessoa certa, para produzir uma bela biografia. Ele também amava os animais. Optamos por não ter filhos, mas considerávamos nossos cachorros como família”, explicou a viúva ao jornal O Globo de 21 de novembro de 2011.

Whatsapp


Leia também