Problemas de saúde, sumiço da TV e processo milionário: o que aconteceu com a dupla ET e Rodolfo?

Na década de 1990, uma dupla fez muito sucesso na televisão: ET e Rodolfo trouxeram irreverência e audiência para o Ratinho e o Gugu.

Rodolfo Carlos de Almeida era repórter do 190 Urgente, programa apresentado por Ratinho na CNT/Gazeta, entre 1996 e 1997. A audiência do policialesco cresceu e levou Ratinho para a Rede Record no ano seguinte e o repórter Rodolfo acompanhou o apresentador na mudança, continuando seu trabalho no Ratinho Livre.

Em busca de pautas bem-humoradas para o programa de Carlos Massa, Rodolfo conheceu Cláudio Chirinian, funcionário público, que logo se tornaria o personagem ET.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Tudo começou quando Rodolfo, surfando na polêmica do ET de Varginha, trouxe ao palco do programa uma caixa com o “ET de Olaria”. Ao invés de um alienígena, a caixa revelava Claudio que protagonizou a cena furioso, xingando a todos. E assim começou o sucesso da dupla que ajudou a aumentar ainda mais a audiência do programa, já líder no Ibope.

Gugu, que na época também conquistava com facilidade o primeiro lugar na audiência com o seu Domingo Legal, contratou a dupla para o seu programa em fevereiro de 1998.

Na atração, a dupla invadia a residência de famosos para acordá-los. O quadro se tornou um dos pontos altos do programa e, inclusive, criou um clima de suspense no público durante as diversas tentativas em acordar o dono do Baú, Silvio Santos.

Além do famoso quadro, a dupla aprontava todas, indo a uma praia de nudismo e até mesmo na cerimônia do Oscar. O sucesso foi tão grande que ET e Rodolfo lançaram um álbum, que vendeu 270 mil cópias, rendendo diversos shows pelo Brasil e produtos para o público infantil.

A dupla acabou em 2001: ET saiu do SBT e Rodolfo continuou como repórter do Domingo Legal até 2009, deixando a emissora após recusar a diminuição do seu salário.

Em 2 de fevereiro de 2010, ET morreu, vítima de uma parada cardíaca em decorrência de um choque séptico, broncopneumonia e insuficiência renal. Muitos desses problemas de saúde foram causados pelo cigarro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Em uma entrevista para o programa Domingo Show, da Rede Record, Rodolfo contou sobre a ação milionária que moveu contra o SBT: o repórter exigiu o pagamento de direitos de férias, fundo de garantia e 13º salário pelo período que trabalhou na emissora de Silvio Santos. O ex-repórter também passa por problemas de saúde e dificuldades financeiras.

Somente em 2017, Rodolfo e o SBT fizeram um acordo para encerrar o processo, finalmente conquistando o registro em sua carteira de trabalho. De acordo com a imprensa, ele teria recebido R$ 6 milhões de indenização.

Com os ganhos, Rodolfo investiu na produção de alimentos orgânicos, que hoje é a sua fonte de renda. Atualmente, ele mora em Barueri (SP) e não deu sinais de retornar à vida artística.



Deixe sua opinião


Leia também