Personagem de Lima Duarte defende Lula em novela da Globo: “Honesto”

Discurso do personagem do veterano surpreendeu os espectadores

Whatsapp

Recentemente, a Globo resgatou a novela Marron Glacé, um clássico do horário das sete da emissora. Escrita por Cassiano Gabus Mendes em 1979, a trama está disponibilizada na íntegra no Globoplay, por meio do Projeto Resgate.

Lima Duarte e Luiz Inácio Lula da Silva
Lima Duarte e Luiz Inácio Lula da Silva

A produção, que narra o cotidiano de um grupo de garçons, vem fazendo a alegria dos nostálgicos. Além disso, Marron Glacé surpreendeu o público em uma cena na qual o personagem de Lima Duarte aparece defendendo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na época, o político despontava como líder sindical.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Um homem muito sério”

 

Marron Glacé se passa no buffet que dá nome à trama e tem a história focada em um grupo de garçons que trabalha no local, que é tocado pela proprietária Madame Clô (Yara Cortes). Dentre os funcionários está o gerente Waldomiro (Laerte Morrone) e o garçom Oscar (Lima Duarte).

Leia mais

No sexto capítulo da trama, Waldomiro aparece dando um esculacho em Oscar, acusando o garçom de ser um agitador.

“O senhor está sempre querendo dar uma de Lula aqui dentro!”, dispara o gerente, despertando a fúria do garçom.

“O que? O senhor está chamando ao Lula, o líder dos metalúrgicos, de agitador? Ora, por favor, o senhor não faça uma coisa dessas, seu Waldomiro. O senhor não faça uma coisa dessas! Lula é um homem muito sério! Um trabalhador, honesto, que lidera milhares e milhares de metalúrgicos. Eu não sou ninguém! E lhe digo mais: se o Lula fosse funcionário aqui, o senhor já não seria mais gerente!”, rebate Oscar, sério.

Waldomiro, ultrajado, ainda tenta responder, mas é interrompido por Madame Clô, que coloca fim na discussão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Líder dos metalúrgicos

Luiz Inácio Lula da Silva discursando durante uma greve dos metalúrgicos no ABC Paulista
Luiz Inácio Lula da Silva discursando durante uma greve dos metalúrgicos no ABC Paulista

Marron Glacé foi escrita em 1979. Na mesma época, o movimento sindical ganhava força por meio de greves de trabalhadores. Entre 1978 e 1980, ocorreram uma série de manifestações operárias no contexto da abertura política da ditadura militar no ABC Paulista, culminando com o surgimento de lideranças sindicais, como Lula.

Os movimentos tiveram início em 1978, quando paralisações espontâneas de trabalhadores nas cidades que formam a região do ABC protestavam contra o arrocho salarial e reivindicavam autonomia sindical. Um dos primeiros setores a se movimentar foi o dos metalúrgicos, que fizeram greves entre 1979 e 1980.

Outros setores aderiram ao movimento pelo Brasil, como professores, bancários e petroleiros. Surgia então um novo sindicalismo, introduzindo pautas trabalhistas na oposição política ao regime militar. Assim, em 1980, surge o Partido dos Trabalhadores (PT), além de organismos intersindicais de cúpula, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Confederação Geral dos Trabalhadores (CGT).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Viralizou

Lima Duarte como Oscar em Marron Glacê
Lima Duarte como Oscar em Marron Glacê

Em Marron Glacé, Waldomiro era um gerente que se dava muita importância por ter em mãos um pequeno poder. Na trama, ao apontar Lula como um “agitador”, ele repetia o discurso dos que eram contrários ao movimento dos trabalhadores. Já Oscar, um garçom trabalhador, defendia justamente a visão da classe.

Anos depois, Luiz Inácio Lula da Silva se tornou presidente do Brasil pela terceira vez ao vencer uma eleição marcada pela polarização política. Por isso mesmo, a cena de Marron Glacé em que Lima Duarte aparece fazendo uma defesa inflamada de Lula caiu nas graças dos espectadores, que começaram a compartilhar a sequência na web.

Marron Glacé entrou no Globoplay no último dia 12 de fevereiro. A trama é considerada um dos grandes sucessos de Cassiano Gabus Mendes na faixa das sete da Globo.

Whatsapp


Leia também