Pai negou Aids: promessa da Globo chocou o Brasil ao morrer jovem

Whatsapp

Marcelo Ibrahim (foto abaixo, com Suzana Queiroz) tinha muitos talentos. Além de ator, era musicista, tocando piano e cravo, formado em Direito, adepto da musculação e fisiculturismo e campeão mundial de Aikidô.

Marcelo Ibrahim e Suzana Queiroz
Reprodução / IMDB

Ele nasceu em 15 de julho de 1961, no Rio de Janeiro (RJ). Conhecido como o Rambo Brasileiro, Marcelo começou sua carreira artística na peça Rocky Stallone, em 1985.

No mesmo ano, estreou na televisão, com uma participação na novela Um Sonho a Mais, da Globo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Selva de Pedra

Selva de Pedra - Fernanda Torres e Tony Ramos
Divulgação / Globo

No início de 1986, Marcelo Ibrahim teve sua única passagem pelo principal horário de novelas da Globo. Ele viveu o personagem Gastão Neves nos primeiros capítulos do remake de Selva de Pedra.

Leia mais

O rapaz acaba morto em uma briga com o protagonista da história, Cristiano Vilhena (Tony Ramos, foto acima, com Fernanda Torres), entrecho que acaba conduzindo reviravoltas na trama.

A carreira de Ibrahim seria brevemente interrompida em 3 de julho daquele ano, enquanto a produção ainda estava no ar.

O ator morreu com apenas 24 anos, em circunstâncias pouco esclarecidas. Na época, surgiram rumores de que ele seria mais uma vítima da Aids, que explodia no Brasil e no mundo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Morte precoce

Marcelo Ibrahim
Reprodução / IMDB

No entanto, o fato foi negado veementemente pelo pai do jovem, Emílio Ibrahim, que, tempos atrás, chegou a divulgar um lado da médica Emília N. Xavier, de 12 de julho de 1986.

“Não obstante decorrido um longo período desde a ocorrência do óbito, tomo agora a iniciativa de, mais uma vez, rechaçar essa informação que ainda perdura na internet, inteiramente destituída de fundamento e veracidade, divulgada de forma irresponsável e leviana, sem o mínimo de cuidado de subsidiar-se de documentos médicos oficiais sobre o caso, como o fiz tão logo ocorreu o óbito, divulgando, à época, junto à imprensa, a verdadeira causa do falecimento do Marcelo, em razão do meu dever paterno de zelar pela memória do meu querido filho, desafortunadamente afastado do meu convívio, e de restabelecer a verdade sobre a causa da dolorosa ocorrência”, escreveu Emílio em seu blog pessoal.

No documento, a médica declara que “não havia deficiência na produção de anticorpos” e que o ator “teve uma forte infecção, que levou a um quadro irreversível de pulmão de choque”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Homenagem

Marcelo Ibrahim
Reprodução / IMDB

Marcelo Ibrahim participou, além de Um Sonho a Mais e Selva de Pedra, do filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol (1986) e do clipe Nada Mais, de Gal Costa.

O último trabalho do ator na telinha acabou sendo na série Armação Ilimitada. O episódio Jambo para Matar, uma paródia do filme Rollerball – Os Gladiadores do Futuro (1975), foi exibido após o seu falecimento. A emissora aproveitou a ocasião para fazer uma homenagem póstuma ao artista.

Na época, o público ficou chocado com a morte precoce de Ibrahim. Mais de 500 pessoas participaram de seu enterro, incluindo artistas como Marília Pêra, Íris Bruzzi e Vera Gimenez.

Marcelo Ibrahim, que também teve atuações no teatro, chegou a namorar atrizes como Débora Duarte, com quem contracenou na peça Cozinhando Maçãs, Suzana Queiroz e Claudia Magno – que morreu de Aids em 1994.

Whatsapp


Leia também