Os Melhores do TV História: confira os eleitos como destaques da TV em 2020

Whatsapp

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia do coronavírus, que obrigou todos os veículos de mídia a se adaptarem a uma nova realidade, com medidas de isolamento social e severa diminuição de contato físico. A televisão, é claro, foi um dos setores mais afetados pelo Covid-19.

Durante 22 dias, entre 6 e 27 de dezembro, nós organizamos a primeira edição do prêmio Os Melhores do TV História justamente com o intuito de reconhecer o trabalho de quem se esforçou e se reinventou, mesmo diante de um cenário tão desafiador.

Foram exatos 100 indicados para um total de 20 categorias, que abordaram as mais diversas áreas do cenário televisivo do país. A premiação já nasceu com números e alcance de gente grande: ao todo, 118.897 votos foram dados aos finalistas.

Os finalistas, como já dito anteriormente, foram escolhidos pela equipe do TV História, juntamente com nomes relevantes dos mercados publicitário e televisivo. A decisão final, porém, cabia a você, leitor — a quem nós agradecemos o esforço e a audiência ao decorrer de todo ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nos próximos parágrafos, confira os eleitos pelo público como os destaques de suas categorias em 2020:

MELHOR EMISSORA ABERTA: TV Globo

Com 35,1% dos votos, a ganhadora do prêmio de melhor emissora de 2020 é a TV Globo. Líder crônica de audiência no Painel Nacional de Televisão, a rede comandada por Carlos Henrique Schroder (que deixará a sua direção no próximo ano) modificou boa parte de sua programação durante a pandemia, e ainda assim conseguiu manter o seu tradicional destaque durante o ano.

MELHOR EMISSORA REGIONAL: RIC Record TV

A afiliada da Record no Paraná venceu a categoria e obteve 53,2% dos votos. Em 2020, o canal passou a ser dirigido por Marcus Yabe, executivo que já tinha experiência reconhecida no mercado editorial da região. Sob a sua gestão, a emissora investiu na qualificação de público e voltou a disputar a vice-liderança de Ibope em Curitiba.

MELHOR CANAL DE NOTÍCIAS: Record News

49,9% dos leitores do TV História elegeram o canal de notícias da Record como o melhor de seu gênero ao decorrer do ano. A emissora ganhou o reforço do diretor Thiago Feitosa, e voltou a investir em sua programação, atingindo algumas das maiores audiências de sua história.

SUCESSO DO ANO: Big Brother Brasil 20

Apenas 40 votos separaram o reality show global do segundo colocado na categoria. A competição comandada por Tiago Leifert se reinventou e, pela primeira vez, juntou influenciadores com anônimos — fórmula que será repetida em 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

MELHOR APRESENTADOR: Marcos Mion

O público reconheceu o esforço do apresentador de 41 anos. Sua performance em A Fazenda foi elogiada pelos telespectadores e pela crítica especializada, e o comunicador passou ileso ao desafio de conduzir um reality de confinamento em plena pandemia. Com 46,6% dos votos, ele venceu nomes como Celso Portiolli e Faustão.

MELHOR APRESENTADORA: Ana Maria Braga

A culinarista teve um ano de altos e baixos: de um lado, a felicidade por vencer mais uma batalha contra o câncer. Do outro, a tristeza pela perda de Tom Veiga, o eterno Louro José. A titular do Mais Você teve 36,6% dos votos e foi eleita pelo leitor como a melhor apresentadora de TV no ano.

MELHOR ÂNCORA MASCULINO: Marcelo Cosme

O titular do Em Pauta bateu medalhões do jornalismo brasileiro e, para 45,0% dos leitores, foi o melhor âncora de noticiários no último ano. Em ascensão, Cosme é um dos queridinhos do público nas redes sociais e costuma garantir boas audiências para a GloboNews — o seu jornal cresceu 43% no Ibope em um ano.

MELHOR ÂNCORA FEMININA: Daniela Lima

A âncora do CNN 360º levou a melhor em uma disputa acirrada com Renata Vasconcellos e, por uma diferença de 367 votos, se consagrou como o destaque de sua categoria no ano. A titularidade do jornal vespertino da “inconfundível”, por sinal, é o primeiro trabalho de Daniela Lima na função.

MELHOR JORNALISTA ESPORTIVO: Neto

Como ele mesmo diria, foi uma baita vitória, diga-se de passagem. O polêmico apresentador da Band faturou o prêmio com 41,0% dos votos, e se sobressaiu em uma disputa com outros nomes relevantes, como Benjamin Back e Mauro Beting.

MELHOR APRESENTADOR LOCAL: Reinaldo Gottino

Em sua segunda passagem pelo Balanço Geral SP, da Record, Gottino teve uma vitória esmagadora e arrecadou 63,4% da votação popular — foi a maior porcentagem entre todos os vencedores. Ao lado de Fabíola Reipert e Renato Lombardi, ele disputa a liderança de audiência no início da tarde e é uma das maiores dores de cabeça da Globo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

MELHOR APRESENTADORA LOCAL: Aline Aguiar

Titular do MG1 e plantonista do Jornal Nacional desde o ano passado, a jornalista foi eleita como destaque entre as emissoras regionais por 43,5% do público. Nesta categoria, como uma prova de que a TV é imprevisível, vale o registro de que a 2ª colocada foi Mariana Sena, demitida da Record de Belém no início do mês por baixa audiência.

MELHOR REPRISE: Totalmente Demais

Tem categoria mais apropriada para um ano em que a televisão foi tomada por reprises? A novela de Rosane Svartzam e Paulo Halm fez história, mobilizou mais uma vez as redes sociais e teve mais audiência do que a sua exibição original, em 2015 — e foi eleita pelo público como a melhor reapresentação de 2020, com 27,9% dos votos.

MELHOR PROGRAMA DIÁRIO: Conversa com Bial

A pandemia fez muito bem ao programa de Pedro Bial. O talk show da Globo conseguiu receber nomes inimagináveis, como Barack Obama, e pela primeira vez em sua história, se firmou como líder de audiência com folga e ganhou a votação popular, com 27,4% dos votos dos leitores.

MELHOR PROGRAMA SEMANAL: Altas Horas

Com 46,6% dos votos, o programa de Serginho Groisman foi mais um dos beneficiados pelo home office forçado durante boa parte do ano. Como reconhecimento pela sua audiência em alta e pela repercussão, a atração conseguiu a deferência de ser exibida após a novela das nove.

MELHOR PROGRAMA POLICIAL: Brasil Urgente

Antes totalmente policialesco, o programa de Datena passou a dedicar espaço também para política e temas do cotidiano. A mudança de formato fez bem, e o Brasil Urgente conseguiu ter 52,7% dos votos, e bateu programas do gênero com mais audiência, como o Cidade Alerta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

MELHOR PROGRAMA HUMORÍSTICO: Encrenca

48,3% dos leitores do TV História elegeram a atração comandada pela trupe de Tatola Godas como o melhor alívio cômico de 2020. O quarteto é a maior audiência de toda a programação da RedeTV!, e também tem um programa de rádio bem sucedido, o Quem Não Faz Toma.

MELHOR PROGRAMA LOCAL: Tribuna da Massa

Os noticiários comunitários da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, levaram a categoria e com ampla vantagem: 62,2% dos votos, contra 37,8% da soma dos outros quatro indicados. O formato tem cinco edições regionais, produzidas pelas emissoras espalhadas pelo estado.

MELHOR PROGRAMA JORNALÍSTICO: Conexão Repórter

Cancelado pelo SBT em uma tentativa de não ter ainda mais prejuízo em 2020, o programa de Roberto Cabrini venceu a categoria e teve 36,6% dos votos. A vitória, por sinal, mostra uma força do canal de Silvio Santos com o jornalismo: as suas únicas vitórias foram com esse gênero.

MELHOR REALITY SHOW: Big Brother Brasil 20

A Fazenda bem que tentou, mas não teve jeito. 49,7% dos leitores do TV História elegeram Tiago Leifert, Boninho e o elenco que ocupou a casa mais vigiada do país em 2020 como o melhor reality show de todo o ano.

MELHOR TELEJORNAL: CNN 360º

Apresentado por Daniela Lima, eleita melhor âncora feminina, e Glória Vanique, o noticiário vespertino da CNN Brasil foi, para os leitores do site, o melhor telejornal do país em 2020, com 42,0% dos votos — e bateu produtos consagrados, como o JN e o Jornal da Record.

Whatsapp


Leia também