Os 5 maiores sucessos e os 5 maiores fiascos do Vale a Pena Ver de Novo

Whatsapp

O Vale a Pena Ver de Novo completa 42 anos nesta quinta-feira (5), em meio às expectativas envolvendo a reta final de O Clone (2001) e a estreia de A Favorita (2008).

Com a trama protagonizada por Claudia Raia e Patricia Pillar, em reprise a partir do dia 16, o ‘Vale a Pena’ soma 83 títulos em mais de quatro décadas; 12 deles em duas ocasiões.

Em meio às comemorações, a coluna destaca os cinco grandes sucessos da faixa, bem como os cinco flops. A lista reúne dados referentes a Grande São Paulo, sem considerar alterações de amostra – que ampliam o valor do ponto de audiência a cada ano.

Confira:

Leia mais

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em alta

Mulheres de Areia (1993)

Mulheres de Areia

A primeira passagem do clássico de Ivani Ribeiro pelo Vale a Pena Ver de Novo, entre novembro de 1996 e abril de 1997, registrou 28,3 pontos. Ruth e Raquel (Gloria Pires) elevaram a moral da sessão após os 20,1 anotados por Meu Bem, Meu Mal (1990).

A Globo aproveitou a alta de Mulheres de Areia, esticou os capítulos da novela e empurrou Anjo de Mim e Salsa e Merengue, folhetins das seis e das sete, para mais tarde. Os índices das duas produções padeciam com o horário de verão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vale Tudo (1988)

Beatriz Segall

A obra-prima de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, que figurou entre as possíveis substitutas de O Clone, rendeu 28,6 pontos para o ‘Vale a Pena’ – no embalo dos 26 de média final da antecessora Fera Radical, outro hit de 1988.

Vale Tudo foi reapresentada entre maio e novembro de 1992, coincidindo com a queda do governo Collor. Uma amostra de que o enredo sobre honestidade, que opunha Raquel (Regina Duarte) e Fátima (Gloria Pires), mãe e filha, seguia atual…

Amor com Amor se Paga (1984)

Amor com Amor se Paga

A trama de Ivani Ribeiro atingiu 29 pontos. Nonô Correia (Ary Fontoura) e companhia ocuparam as tardes da Globo entre outubro de 1987 e abril de 1988. Nesta época, títulos das seis e das sete dominavam o período vespertino.

O repeteco de Amor com Amor se Paga chegou a marcar médias próximas às de Bambolê (1987), no ar às 18h. Na última semana, de 28 de março a 1° de abril, foram 39 pontos, enquanto os seis primeiros capítulos de ‘Fera’ acumularam 40.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ti-Ti-Ti (1985)

Ti-Ti-Ti

O clássico de Cassiano Gabus Mendes, focado em Victor Valentim (Luís Gustavo) e Jacques Leclair (Reginaldo Faria), surfou na repercussão da antecessora Amor com Amor se Paga, saindo do Vale a Pena Ver de Novo com 29,3 de média.

A reprise se deu entre abril e outubro de 1988. Com o bloco em alta, a Globo resolveu apostar em Gabriela (1975), a única novela das dez reprisada no período vespertino. Os números, porém, recuaram: 22,5 pontos.

A Gata Comeu (1985)

A Gata Comeu

Ivani Ribeiro volta à lista com o folhetim capitaneado por Jô Penteado (Christiane Torloni) e Fábio (Nuno Leal Maia). A substituta de Gabriela, no ar de fevereiro a julho de 1989, detém o 1º lugar entre as maiores audiências do ‘Vale a Pena’, com 32,7.

Em 2001, após o pior momento da sessão no que diz respeito aos índices, A Gata Comeu foi recrutada outra vez. A primeira re-reprise da faixa garantiu 15,9 – em meio à concorrência acirrada, com maior oferta de canais abertos e fechados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em baixa

Da Cor do Pecado (2004)

Da Cor do Pecado

Bem-sucedida quando transmitida às 19h e no Vale a Pena Ver de Novo, em 2007, Da Cor do Pecado atingiu somente 13,5 pontos em sua segunda passagem pelo período vespertino, entre setembro de 2012 e fevereiro de 2013.

O fracasso pode ser atribuído à lembrança ainda viva do público. Na época, a Globo buscava a liberação de produções das nove, como Páginas da Vida (2006) – que talvez mobilizasse o público mais do que a obra de João Emanuel Carneiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sete Pecados (2007)

Sete Pecados

Problemático enredo de Walcyr Carrasco, Sete Pecados demorou para consolidar bons números às 19h. Mesmo assim, o regresso via ‘Vale a Pena’ foi assegurado… E a audiência correu! A média final foi de apenas 12,8.

O canal encurtou a trama, exibida entre setembro de 2010 e janeiro de 2011, recorrendo a O Clone (2001). O título, liberado desde 2003, foi protelado por questões diversas, como as coincidências com novelas do horário nobre.

Cobras & Lagartos (2006)

Lázaro Ramos e Mariana Ximenes em Cobras & Lagartos

A produção, apesar da audiência conquistada às 19h, demorou para voltar por conta da Classificação Indicativa. Cobras & Lagartos, de João Emanuel Carneiro, marcou 12,5 pontos entre julho de 2014 e janeiro de 2015.

A fase em questão foi complicada… Durante a reprise anterior, a de Caras e Bocas (2014), a Globo inverteu o horário do Vale a Pena Ver de Novo com o da Sessão da Tarde, justamente para reverter a queda nos índices.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Profeta (2013)

O Profeta

Atualização de Duca Rachid, Thelma Guedes e Walcyr Carrasco do original de Ivani Ribeiro, O Profeta parecia a cara do ‘Vale a Pena’, mas os números foram os mais baixos para uma novela da sessão: 11,8 de média, de fevereiro a agosto de 2013.

A obra sofreu com a entrega de Chocolate com Pimenta (2003) e Da Cor do Pecado, duas re-reprises que, ainda recentes, não agregaram público ao bloco – então com dificuldades para liberar tramas mais densas.

Você Decide (1992-2000)

Susana Werner

Em 2001, após várias apostas sem efeito, a Globo ocupou o Vale a Pena Ver de Novo com episódios do Você Decide. Deu ruim! Protestos anteriores ao retorno adiantaram o que estava por vir. Os 15 programas acumularam somente 11,2 pontos.

Com várias derrotas para Chaves, do SBT, e problemas junto ao Ministério da Justiça, por conta do teor dos episódios – concebidos para a linha de shows –, a atração saiu do ar, levando também a apresentação efusiva, e insuportável, de Susana Werner.

Whatsapp


Leia também