Novela protagonizada por jovens atrizes deu dor de cabeça para a Globo

Whatsapp

Protagonizada pelas então jovens atrizes Glória Pires (Maria José), Nádia Lippi (Maria Augusta) e Maitê Proença (Maria da Glória), a novela As Três Marias, adaptação do livro de Rachel de Queiroz, estreava há 41 anos no horário das seis da Globo. A trama se iniciava com o reencontro das amigas de colégio depois um período distantes. Os conflitos afloram quando uma começa a se envolver nos problemas das outras.

Assim Ismael Fernandes descreveu a novela em seu livro “Memória da Telenovela Brasileira”: “Infeliz adaptação do romance de Rachel de Queiroz. Pecou principalmente por perder as origens brasileiras, criando um universo distante da nossa realidade: as três marias do título estudaram na Suíça, quando o original jamais ousou buscar outras praças que não fossem o Brasil“.

Leia mais

As Três Marias deu dor de cabeça à Globo. A novela começou sendo escrita por Wilson Rocha, com direção geral de Herval Rossano. Ante o desinteresse do público pela produção (pouca repercussão e baixa audiência), autor e diretor desentenderam-se e Rocha foi substituído por Walther Negrão, chamado às pressas para “dar um jeito” na situação (entenda: aumentar a audiência).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com “quem matou”, história virou pastiche policial

Negrão não vacilou e transformou a história em um pastiche policial com o batido recurso do “quem matou“, conseguindo por fim prender a atenção do telespectador na reta final. Os personagens Teresa (Kátia D’ Angelo), Antônio (Denis Derkian) e Macedo (Roberto de Cleto) foram assassinados. A identidade do criminoso só foi revelada no último capítulo, pelo detetive Damasceno (Jorge Cherques), que elucidou o caso.

A assassina era Alzira (Jacqueline Laurence), que, por ciúme, planejou a morte de Teresa, namorada de seu ex-marido Raul (Edney Giovenazzi). Quando Antônio, amigo da moça assassinada, começou a investigar o crime, Alzira mandou que Macedo se livrasse do rapaz. Em seguida, ela mesma matou seu cúmplice.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estreia de Maitê Proença na Globo

A novela marcou a estreia na televisão do ator José de Abreu e da atriz Clarisse Derziê. Foi também a primeira novela na Globo da atriz Maitê Proença e do ator Denis Derkian, egressos da TV Tupi. A chegada de Maitê Proença na Globo foi festejada pela mídia da época. A atriz foi concorrida pelas novas novelas das oito e das seis horas.

Cogitou-se Maitê para um papel de destaque em Coração Alado, novela de Janete Clair, em que viveria Alexandra Karany, jovem mimada de família rica. Mas Maitê ficou com outra rica mimada e problemática: Maria da Glória de As Três Marias. Por sua atuação, Maitê foi eleita pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) a atriz revelação na televisão em 1981.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ator morreu antes da novela estrear

O jovem ator Osmar de Mattos era uma aposta da televisão da época: havia estrelado as novelas Dancin’ Days e Cara a Cara (da Band). Ele foi escalado para As Três Marias, porém, antes de a novela estrear, morreu tragicamente em um acidente automobilístico, em uma rodovia em São Paulo, em outubro de 1980. Osmar gravou os primeiros cinco capítulos e chegou a aparecer na novela, como o playboy Cleber. Com o falecimento do ator, seu personagem deixou de existir. Osmar tinha 22 anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar da pouca repercussão, As Três Marias foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, entre 9 de agosto e 1º de outubro de 1982. Foi um retorno precoce: a reprise à tarde estreou menos de um ano e três meses após o seu término, quando a média de tempo para a volta na época era de dois anos e meio. Acabou sendo uma das novelas mais picotadas no Vale a Pena: apenas 40 capítulos exibidos à tarde contra 156 da apresentação original.

Em sua conta no Instagram, Glória Pires lembrou os 40 anos de estreia da novela:

AQUI tem tudo sobre As Três Marias: detalhes da trama, elenco completo com personagens, trilha sonora e mais curiosidades.

Whatsapp


Leia também