Novela que marcou retorno de Manoel Carlos à Globo terminava em 1992 - TV História

Novela que marcou retorno de Manoel Carlos à Globo terminava em 1992

Whatsapp

Novela das seis da Globo, Felicidade foi exibida com êxito entre 7 de outubro de 1991 e 29 de maio de 1992. A trama nasceu após Manoel Carlos se recusar a fazer Por Amor nesse horário. Dessa forma, a história da troca de bebês, que fez sucesso entre 1997 e 1998, poderia ter sido exibida alguns anos antes.

Quando acertou seu retorno à Globo, em março de 1991, Maneco inicialmente fechou um acordo para escrever duas obras para a emissora, uma novela das seis e outra das oito. Antes disso, ele havia passado pela Manchete e pela Band.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Globo pediu ao autor para que escrevesse Por Amor para o horário das seis, cuja sinopse já existia há algum tempo. No entanto, Maneco alegou que a história só poderia ser feita como novela das oito.

Dessa forma, sobre a mesa do escritório de Manoel Carlos, ficaram alguns livros que foram relidos e receberam anotações: “A Madona de Cedro”, de Antônio Canado, “A morte da porta-estandarte”, de Anibal Machado, e “Clara dos Anjos”, de Lima Barreto, entre outros, de acordo com reportagem do jornal O Globo de 6 de março de 1991.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A sinopse deveria ser entregue até abril daquele ano. O autor acabou escolhendo tramas e personagens de Machado, como o livro já citado acima e “Tati, a Garota”, entre outros contos.

Felicidade acompanhava a trajetória de Helena (Maitê Proença), moça de boa família, insatisfeita com sua rotina na bucólica Vila Feliz, Minas Gerais.

A chegada de dois forasteiros, Álvaro (Tony Ramos) e Mário (Herson Capri), alimenta as esperanças de Helena de seguir rumo ao Rio de Janeiro (RJ). Ela se apaixona pelo primeiro, mas casa-se com o segundo.

Anos depois, os protagonistas se reencontram – e Helena engravida. Ela cria sozinha a filha, Bia (Tatyane Fontinhas Goulart), enquanto Álvaro se une a Débora (Vivianne Pasmanter).

Eis que Helena vai trabalhar para Cândida (Laura Cardoso), mãe de Álvaro, estando outra vez próxima do advogado; bem como Bia se aproxima do meio-irmão, Alvinho (Eduardo Caldas).

“Ao trazer para os telespectadores o universo dos personagens de Aníbal Machado, Manoel Carlos acabou por desenvolver uma boa novela, marcando o seu retorno à TV Globo depois de uma ausência de oito anos”, destaca nosso colunista Nilson Xavier em seu site Teledramaturgia.

Com 203 capítulos, Felicidade foi reprisada uma única vez no Vale a Pena Ver de Novo, entre 9 de fevereiro e 24 de abril de 1998, em apenas 55 episódios. A novela também foi mostrada no canal Viva, desta vez na íntegra, entre setembro de 2012 e julho de 2013. Desde o ano passado, está disponível para os assinantes do Globoplay.



Leia também