Novela baseada em livro de Chico Xavier ficou poucos dias no ar e deu prejuízo milionário - TV História

Novela baseada em livro de Chico Xavier ficou poucos dias no ar e deu prejuízo milionário

Whatsapp

Em 1982, a Band investiu em uma novela com temática espírita esperando fazer sucesso, mas Renúncia ficou no ar apenas 12 dias e foi sumariamente tirada de cena, sem maiores explicações, deixando apenas prejuízo para a emissora.

Em 1979, com a crise da Tupi, que viria a ser extinta no ano seguinte, a então TV Bandeirantes viu a possibilidade de crescer no cenário nacional e se firmar como a segunda maior rede brasileira. A Record estava em decadência e a TVS operava apenas no Rio de Janeiro (RJ).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 1981, mesmo com a chegada do SBT, a família Saad continuou investindo e contratou ninguém menos que Walter Clark, todo-poderoso da Globo nos anos 1960 e 1970 ao lado de José Bonifácio de Oliveira, o Boni. Mas o que era para ser uma revolução no canal, se transformou em mico, com milhões gastos e nenhum resultado.

Após muitas brigas, Clark deixou a Band depois do Carnaval de 1982 e a rede seguiu seu caminho. Depois do sucesso de Ninho da Serpente, uma das grandes apostas para o segundo semestre daquele ano era a adaptação de Renúncia, livro de sucesso do médium Chico Xavier (1910-2002). A trama competiria com Sétimo Sentido (foto acima), estrelada por Regina Duarte na Globo, que também tinha pitadas desse gênero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Autor de novelas de êxito, como Antônio Maria, Nino, o Italianinho e Meu Rico Português, todas da Tupi, Geraldo Vietri (1927-1996) recebeu a missão de adaptar o romance.

Em entrevista um dia antes da estreia, ele deixou clara sua expectativa positiva. “Estou apostando tudo nessa novela, que desde 1979 tento levar ao ar. Tenho certeza de seu sucesso. A Bandeirantes investiu muito: é uma das suas produções mais bem cuidadas do ponto de vista de guarda-roupas e cenários”, declarou.

Grande prejuízo

Mas, ao contrário do que o autor planejava, a trama se revelou um fiasco e derrubou a audiência da Band, deixando um grande prejuízo nos cofres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No elenco de Renúncia, estavam nomes conhecidos como Fúlvio Stefanini, Berta Zemel, Géorgia Gomide, Laura Cardoso, Yara Lins, Elias Gleizer e Serafim Gonzalez, entre outros. A direção foi feita pelo próprio Vietri.

Com baixo Ibope e prevendo que a situação não teria reversão, a emissora aproveitou a chegada do Horário Eleitoral Gratuito e simplesmente tirou Renúncia do ar, sem dar satisfação aos seus poucos telespectadores. Dessa forma, a novela foi exibida apenas entre 30 de agosto e 12 de setembro de 1982, tendo 12 capítulos.

Em 29 de setembro daquele ano, o Jornal do Brasil detonou a atitude da Band. “Jus ao nome. A Rede Bandeirantes desistiu e acabou, tipo abrupto, com a novela Renúncia. Pelo meio, sem maiores explicações e a menor ajuda dos espíritos. Enfim, a estação repete loucuras que antes diziam ter sido culpa do Guga de Oliveira ou Walter Clark (foto acima). Os dois saíram e o mesmo processo se repete. Começam uma bobagem e a cortam pelo meio sem nenhuma mercadologia ou objetivo visível. Vai acabar com menos audiência que a Educativa”, disparou a nota.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Renúncia produção entrou para a história da televisão brasileira fazendo parte da nada agradável lista de novelas que foram abruptamente tiradas do ar, como Somos Todos Irmãos, da Record (1965), Como Salvar Meu Casamento e Drácula, ambas da Tupi (1980), e Brida (foto abaixo), da Manchete (1998).

A Band voltaria a investir em teledramaturgia apenas em abril de 1983, com a estreia de Sabor de Mel, de Jorge Andrade (1922-1984), que chegou a atingir quase 20 pontos nos primeiros dias, mas caiu vertiginosamente e marcou menos de um no final.

A partir daí, com a chegada de Luciano do Valle (1947-2014) e sua equipe, as novelas foram deixadas de lado e a emissora passou a ser o Canal do Esporte até meados dos anos 1990.

Whatsapp


Leia também