Antes de virar figurante de luxo, Nicette Bruno teve seu último grande papel em A Vida da Gente

Whatsapp

A morte de Nicette Bruno ainda machuca. A veterana faleceu em dezembro do ano passado, vítima da Covid-19. A atriz era uma das figuras mais queridas e admiradas, tanto pelo público quanto classe artística. A sua perda foi (e continua sendo) uma das muitas feridas abertas em virtude da pandemia do novo coronavírus. Mas a decisão da Globo em reprisar A Vida da Gente veio como um alento para os fãs.

A reprise deu chance ao público para prestigiar o último grande papel de Nicette na televisão. Iná é avó das protagonistas Ana (Fernanda Vasconcellos) e Manuela (Marjorie Estiano). Normalmente, a figura da avó não tem muita importância nas novelas, o que é uma pena e prejudica os atores mais velhos. Mas, na primorosa novela de Lícia Manzo, que marcou a estreia da escritora como autora de folhetins no horário das seis em 2011, foi diferente.

Leia mais

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Iná é avó de Ana, mas ‘mãe’ de Manu. Isso porque Eva (Ana Beatriz Nogueira), sua filha, nunca suportou Manuela e jamais fez questão de esconder ou camuflar sua preferência por Ana. Mas Manuela não fica desamparada graças ao amor e compreensão de sua vó. As duas são confidentes e grandes amigas. Iná aconselha a neta e a ajuda em tudo o que pode.

Os laços ficam ainda mais fortes quando Ana entra em coma, após um grave acidente de carro sofrido pelas irmãs. Enquanto Eva praticamente passa a morar no hospital, Manu passa a cuidar da sobrinha e tem a ajuda de Iná. Já quando Ana acorda do coma e, meses depois, entra em um duro processo de depressão, após mais uma avalanche em sua vida, Iná vira o porto seguro da outra neta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nicette Bruno protagoniza diversas cenas lindas, delicadas e de grande carga dramática ao lado de Marjorie Estiano e Fernanda Vasconcellos. Mas a grande atriz também se destaca durante os fortes embates entre Iná e Eva.

Sua parceria com Ana Beatriz Nogueira é um dos trunfos do enredo, assim como sua química com Stênio Garcia, intérprete de Laudelino, namorado de Iná. A veterana brilhou tanto na novela que a autora a presenteou com a última cena da história, quando a personagem faz um emocionante discurso sobre o tempo, que ‘viralizou’ nas redes sociais, quase 10 anos depois, no dia do falecimento da atriz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Infelizmente, foi o último grande papel da veterana. Nunca faltaram convites dos autores, mas os papéis ficaram devendo. A grande maioria virou figuração de luxo.

Após a trama de Lícia Manzo, Nicette esteve em Salve Jorge (2012), Joia Rara (2013), I Love Paraisópolis (2015), Pega Pega (2017), que está sendo exibida em edição especial pela Globo, e Órfãos da Terra (2019). Foram personagens que pareciam promissores, mas não aconteceram. E não por culpa da atriz, é importante ressaltar.

Ao menos sua linda participação afetiva na última semana do quinto remake de Éramos Seis, em 2020, na pele da Madre Joana, fechou sua trajetória de uma forma amorosa.

Uma das maiores qualidades de A Vida da Gente é a valorização do talento de Nicette Bruno. A trama é a segunda mais exportada da Globo e o público pedia há anos a reprise nas redes sociais. Que bom que a emissora considerou e ainda ajuda a homenagear uma profissional que deu tanta alegria aos brasileiros.

Whatsapp


Leia também