Muito pedida pelo público, Pé na Jaca será trazida de volta pela Globo

Antes de sair da emissora, chefão confirmou a volta de trama produzida há quase 20 anos

Whatsapp

Carlos Lombardi foi um dos principais autores de novelas das sete da Globo entre os anos 1980 e 2000. “Sucessor” de Cassiano Gabus Mendes e Silvio de Abreu, o novelista deixou sua marca na emissora ao emplacar comédias ácidas, caracterizadas pela profusão de homens sem camisa.

Protagonistas de Pé na Jaca
Protagonistas de Pé na Jaca

Sua última incursão na faixa aconteceu com Pé na Jaca (2006), simpática trama estrelada por Murilo Benício, Juliana Paes e grande elenco. O folhetim será resgatado pela Globo em breve, já que está confirmado como uma das novidades do Globoplay ao longo do ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fãs atendidos

Juliana Paes e Murilo Benício em Pé na Jaca
Juliana Paes e Murilo Benício em Pé na Jaca

Pé na Jaca não figura entre os maiores sucessos de Carlos Lombardi. A trama teve média geral de 29,7 pontos no Kantar Ibope Media, resultado bem mais modesto que Kubanacan (2003), obra anterior do novelista, que alcançou 34,5. No entanto, a trama angariou fãs ardorosos, que sempre torceram por um repeteco e inundam as redes sociais com pedidos de resgate.

Erick Bretas, ex-diretor de Produtos Digitais e Canais Pagos da Globo, já havia confirmado que Pé na Jaca estava nos planos para o Globoplay. A notícia mexeu até com Carlos Lombardi, que revelou nas redes estar “louco” para rever a trama.

Leia mais

Pois os fãs e Lombardi já podem ficar tranquilos que a espera está acabando. Em publicação recente em seu perfil no X (antigo Twitter), no fim do ano passado, Bretas afirmou que Pé na Jaca está confirmada como uma das atrações do Projeto Resgate do Globoplay em 2024.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cinco amigos

Pé na Jaca - Fernanda Lima, Juliana Paes e Marcos Pasquim
Fernanda Lima (Maria), Marcos Pasquim (Lance) e Juliana Paes (Gui) em Pé na Jaca (Divulgação / Globo)

Pé na Jaca conta a história de cinco amigos de infância que passavam as férias em Deus me Livre, pequena cidade do interior de São Paulo. Anos depois, todos passam por reveses em suas vidas e acabam juntos novamente no lugar onde a amizade começou.

Um deles é Arthur Fortuna (Murilo Benício), um empresário cheio de manias que se vê falido. Casado com a ex-Miss Carapicuíba Vanessa (Flavia Alessandra), ele fica sem dinheiro e é obrigado a se mudar com a família para o sítio de seu tio José (Leonardo Villar), um lugar caindo aos pedaços onde o idoso cultiva jacas. Ali, ele reencontra Gui (Juliana Paes), uma dona de casa que faz de tudo para sustentar o marido folgado e os filhos.

Também voltam ao local a modelo Maria Bo (Fernanda Lima), que passa por problemas no casamento, e Lance (Marcos Pasquim), que estava fora do Brasil, mas retorna quando passa a ser perseguido pelo marido de uma mulher com quem se envolveu.

Na cidade eles reencontram Elizabeth (Deborah Secco), uma mulher amarga que se tornou noviça. Essa união vai mexer com a vida de todos eles e trazer grandes consequências.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Curiosidades

Flávia Alessandra e Arlete Salles em Pé na Jaca
Flávia Alessandra e Arlete Salles em Pé na Jaca (Reprodução / Globo)

Mantendo o espírito anárquico das comédias de Carlos Lombardi, Pé na Jaca também pisava fundo no melodrama, em uma história que falava sobre a importância do amor, da amizade e da união. Lombardi, aliás, se inspirou em personagens da Lenda do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda para criar sua história.

Dali vieram os nomes de Arthur, Guinevere (a Gui) e Lancellotti (o Lance), além de Morgana (Betty Lago) e Merlim (Humberto Martins) – este último surge na reta final. Além disso, Pé na Jaca também traz referências a várias séries de sucesso da época, como Monk.

O autor Carlos Lombardi não ficou plenamente satisfeito com a realização da novela. O novelista não aprovou a direção da trama, a cargo de Ricardo Waddington.

“Acho que realizei bem a ideia, mas não gostei tanto da direção. Houve coisas muito boas e coisas das quais não gostei. Como a cidade cenográfica. Não parecia uma cidade do interior de São Paulo. Por isso, Pé na Jaca não foi das minhas novelas mais bem realizadas. Mas foi bem interpretada”, analisou ele em entrevista ao livro Autores – Histórias da Teledramaturgia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Última novela

Carlos Lombardi
Carlos Lombardi (Reprodução / Facebook)

Autor de grandes sucessos do horário das sete da Globo, como Bebê a Bordo (1989), Perigosas Peruas (1992), Quatro por Quatro (1994) e Uga Uga (2000), Carlos Lombardi se despediu dos folhetins no canal com Pé na Jaca. Depois, ele emplacou ainda a série Guerra e Paz (2008).

Lombardi chegou a entregar a sinopse de uma nova história para o horário das 19h, chamada de João ao Cubo. A trama girava em torno de uma agência de turismo que promovia viagens no tempo (!) e um homem que mantinha três famílias – cada uma em uma linha temporal diferente.

A novela chegou a ser aprovada, mas nunca recebeu o sinal verde para ser produzida. Cansado de esperar, Lombardi decidiu atender ao chamado da Record e mudou de emissora em 2013. Na nova casa, assinou Pecado Mortal (2013), sua última novela até o momento.

Whatsapp


Leia também