Lutou bravamente: como foram os últimos meses de Hugo Carvana

Saiba o que aconteceu com o ator que fez Belisário em Paraíso Tropical

Whatsapp

A reprise de Paraíso Tropical (2007) traz a possibilidade de rever diversos artistas queridos pelo público que infelizmente já nos deixaram, como Hugo Carvana. O ator e diretor, que vivia Belisário na trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, morreu em 4 de outubro de 2014, aos 77 anos, após lutar contra um câncer no pulmão.

O ator e diretor Hugo Carvana
O ator e diretor Hugo Carvana

De acordo com sua filha, Rita Carvana, o pai acreditava em sua recuperação e seguia sua vida normalmente, mesmo lutando bravamente pela vida.

“Ele estava enfraquecido. Para a gente que estava aqui e vivendo esta luta é até uma espécie de alívio porque ele estava sofrendo. Ele lutou muito e acreditava totalmente na sua cura”, explicou ela ao site Ego no dia da morte do artista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que aconteceu com Hugo Carvana, o Belisário de Paraíso Tropical?

Leia mais

Rita ainda citou que ele relutou para ser internado pouco antes de partir.

“Ele achava que era um atraso. Como tinha conseguido curar um câncer há 12 anos, ele dizia que faria isso de novo. Ele queria fazer logo a quimioterapia. Ele tinha muita garra e fez de tudo para ficar bem. Era daqueles caras que você falava que uísque com babosa fazia bem e ele tomava. Ele tinha uma visão muito positiva sobre sua doença”, completou.

A filha de Carvana ainda contou que o pai reafirmou sua paixão pela mãe, Martha Alencar, até o último momento.

“Ela está forte, mas muito cansada. Ele não queria desgrudar dela. A gente até tentou fazer um revezamento com os filhos no hospital, mas não adiantava. Ele só queria ficar com ela. Meu pai não a deixava sair e se ela se ausentasse por minutos, já perguntava: ‘Cadê a Martha?’”, concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trabalhou até o fim

Celebridade - Hugo Carvana e Nívea Maria
Hugo Carvana (Lineu) e Nívea Maria (Corina) em Celebridade (Divulgação / Globo)

Carvana, cujo última atuação na televisão foi na minissérie O Brado Retumbante (2012), trabalhou até os últimos dias de vida, ainda de acordo com a filha.

Ele estava preparando o filme Curto-circuito, com Antônio Fagundes, e ainda escrevia uma série para a Globo, fazendo o programa Saideira, junto com Miele, Agildo Ribeiro e Antônio Pedro e ainda participando de um documentário em sua homenagem, produzido por Luelane Corrêa, que foi sua assistente de direção durante anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Batalha contra a Globo

Hugo Carvana e Yoná Magalhães em Paraíso Tropical
Hugo Carvana e Yoná Magalhães em Paraíso Tropical (Reprodução / Globo)

Carvana, que ficou marcado por papéis como o de Lineu em Celebridade (2003), foi contratado da Globo por 30 anos, entre 1984 e 2014, mas acabou não tendo seu contrato renovado enquanto lutava pela vida.

O artista tinha vínculo de Pessoa Jurídica com a Globo, o que fez com que seus herdeiros entrassem na Justiça contra a emissora logo após a morte de Hugo, que aconteceu meses depois de sua dispensa da empresa.

Seus filhos alegaram que o canal o deixou “no mais completo desamparo, sem o reconhecimento de qualquer direito decorrente da rescisão [do contrato]”.

Na Justiça, a 65ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro reconheceu o vínculo empregatício de Hugo Carvana com a empresa e determinou que a Globo pagasse os direitos trabalhistas aos seus herdeiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vitória na Justiça

O ator e diretor Hugo Carvana
O ator e diretor Hugo Carvana

O fato de a Globo ter cancelado o plano de saúde do ex-contratado também gerou um condenação por danos morais. Os requerentes alegaram que a perda do vínculo aconteceu quando o profissional mais precisava de serviços médicos.

O canal chegou a recorrer da sentença, mas o TRT não aceitou a réplica da emissora e aplicou a multa no valor de R$ 100 mil.

Whatsapp


Leia também