Ídolo de uma geração, Daniel Azulay morre vítima do novo coronavírus



Verdadeiro ídolo de um geração, o desenhista e artista plástico Daniel Azulay morreu nesta sexta (27), aos 72 anos, no Rio de Janeiro (RJ). Ele lutava contra leucemia e contraiu o novo coronavírus (covid-19), não resistindo.

Daniel começou sua carreira em 1968, quando criou a tira de jornal Capitão Cipó, no Correio da Manhã. Em 1975, lançou a Turma do Lambe-Lambe.

Iniciou sua trajetória na televisão em 1976, quando apresentou oficinas de desenho em canais como TVE Brasil, Band, TV Rá-Tim-Bum e Canal Futura. Ficou na televisão até 2005.

Em suas programas, ensinava as crianças a desenhar e construir brinquedos de sucata, esculturas de bexiga e brincar usando a imaginação através de jogos de raciocínio.

Além disso, viajava pelo mundo expondo suas obras, fazendo palestras e participando de workshops, sendo premiado em diversos locais.




Deixe sua opinião



Leia também