Humorista faliu tentando construir Disney brasileira: “Não me arrependo”

Whatsapp

Hoje em dia, ver espetáculos de stand-up pelo país é comum, com humor de todos os gostos e tipos. Mas um humorista foi pioneiro nessa arte de comédia: José Vasconcellos, um dos maiores humoristas das décadas de 1960 e 1970, que fez o público rir com esse estilo de comédia.

Ele começou sua carreira fazendo imitações de grandes personalidades da época, mas o sucesso veio com o disco Eu Sou o Espetáculo, cuja venda alcançou mais de 100 mil cópias.

Seus shows nos teatros, com piadas do cotidiano e da política do país, sempre estavam lotados. Na televisão, não foi diferente, já que suas participações em programas humorísticos elevavam a audiência das atrações. O grande sucesso de Vasconcellos abriu a mente do comediante para os negócios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois de viajar para Los Angeles e visitar a Walt Disney World, ele voltou ao Brasil como uma ideia revolucionária: implantar um enorme parque temático no Brasil.

Assim, ele fundou, em 1968, a Vasconcelândia Empreendimentos Turísticos S/A. O comediante recebeu de um amigo um terreno de 1 milhão de metros quadrados localizado em Guarulhos, para realizar o tão sonhado projeto inovador.

O local teria restaurante, hotel, lagos e ilhas artificiais, brinquedos e representações das cidades brasileiras – tudo isso poderia ser visitado pelo público em um trenzinho.

Vasconcelândia

Inspirado na Disney e nos outros parques que Vasconcellos visitou nos Estados Unidos, ele investiu fortemente no negócio, aproveitando o momento em que a Bolsa de Valores estava em alta, e começou a vender ações do projeto no mercado. No início, tudo apontava para o sucesso do empreendimento, mas durou pouco tempo.

A partir de 1974, não se vendia mais ações, e a Vasconcelândia começou a dar prejuízo.

“Não havia apoio oficial e foi ficando difícil”, afirmou o comediante em entrevista à Folha de São Paulo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dificuldades

Vasconcelândia

Em meio às dificuldades, buscou apoio de empresários japoneses e alemães, que logo desistiram do negócio ao descobrir que ainda não havia uma rodovia pavimentada que daria acesso ao parque.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As dificuldades financeiras deixaram a Vasconcelândia parada durante quase 10 anos, sem previsão alguma da inauguração do projeto, praticamente levando o humorista à falência.

Por pressão de sua família, o comediante arrendou o negócio para um grupo do Rio de Janeiro. Em 1997, o parque foi a leilão para saldar uma dívida com o governo federal.

O terreno está abandonado até hoje, com o mato tomando algumas das construções do parque projetado por José Vasconcellos.

O que aconteceu com José Vasconcellos?

Mesmo com todos os problemas, Vasconcellos continuou trabalhando na televisão e fez parte do elenco Faça Humor, Não Faça Guerra, exibido no início dos anos 1970.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já na década de 1980, esteve presente no humorístico Praça Brasil, da Bandeirantes. Em 1993, foi convidado para trabalhar na Escolinha do Professor Raimundo, vivendo o personagem gago Ruy Barbosa Sá-Silva.

Ele ainda conseguiu transportar o mesmo personagem para a Escolinha do Barulho, da Record, em 1998, e participou de A Praça é Nossa com seu humor dos palcos para a TV.

José Vasconcellos faleceu em 11 de outubro de 2011, aos 85 anos, por conta de uma parada cardíaca.

“A ideia valeu a pena e não me arrependo de ter feito”, disse o humorista em entrevista.

Mesmo não conseguindo levar adiante seu projeto, ele fez, pelo Brasil afora, inúmeras pessoas mais felizes.

Whatsapp


Leia também