Há 38 anos, Globo exibia final de uma das melhores novelas dos anos 80 - TV História

Há 38 anos, Globo exibia final de uma das melhores novelas dos anos 80

Whatsapp

Há exatamente 38 anos, no dia 26 de novembro de 1982, a Globo exibia o último capítulo de Elas Por Elas, novela de Cassiano Gabus Mendes.

Um dos maiores sucessos da faixa das sete da emissora na década de 1980, a novela partia do reencontro de sete amigas, vividas por Aracy Balabanian, Esther Góes, Sandra Bréa, Mila Moreira, Eva Wilma, Maria Helena Dias e Joana Fomm, que, apesar de estudarem em turmas diferentes, não se desgrudavam nos momentos de lazer no colégio.

O destino se encarregou de encaminhá-las em direções opostas, mas os acontecimentos do passado e as coincidências do presente acabam por mantê-las unidas. Acompanhando o reencontro – e os problemas que se sucedem – um atrapalhado detetive – Mário Fofoca, que se tornou um dos principais destaques da carreira de Luis Gustavo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Relembre algumas curiosidades sobre a novela:

Ideia da novela surgiu em jantar

Ao jornal O Globo de 30 de maio de 1982, Cassiano Gabus Mendes contou que a ideia para fazer a novela surgiu em jantar na casa de Marilena Arambasic, então sogra de seu filho Tato Gabus Mendes. “Estávamos jantando quando ela contou que havia conseguido reunir 13 antigas amigas de colégio. Na mesma hora, soube que tinha encontrado o que eu procurava e comecei a amadurecer a ideia”, explicou. O primeiro título pensado para a trama foi Amigo Secreto.

Excelente abertura

Criada por Hans Donner e sua equipe, Elas por Elas teve uma das melhores aberturas de novelas da Globo. Ao som de Elas por Elas, do grupo The Fevers, a vinheta fundia imagens atuais das protagonistas com fotos antigas. O público podia ver as artistas no passado, em preto e branco, e as mesmas, nos dias atuais, caracterizadas como seus personagens, em cores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mário Fofoca iria durar pouco

Um dos maiores destaques da novela, Mário Fofoca iria aparecer somente em cinco a seis capítulos da história. “Falei: deixa eu fazer esse personagem, desse detetive, mas não me mata no sexto capítulo, não me tira fora. Eu quero fazer esse detetive atrapalhado, um personagem que seja gago mentalmente”, declarou Luis Gustavo ao livro Gabus Mendes, Grandes Mestres do Rádio e Televisão, de Elmo Francfort. Mário, que aprontava mil confusões, usava sempre o mesmo terno e não resolvia nenhum caso, conquistou o Brasil, tanto que ganhou uma série própria na Globo no ano seguinte.

Sofreu com a censura

Se engana quem pensa que a novela não sofreu com a Censura. A música Falando Sério, de Roberto Carlos, foi proibida de aparecer na trama porque Mário Fofoca cantava para suas paqueras o trecho “apenas ser mais um na sua cama”. A chamada de estreia de Wanda (Sandra Bréa) também foi limada, porque apresentava a personagem como solteira e apaixonada por um homem casado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Participações especiais

A novela contou com a participação especial do cantor espanhol Manolo Otero, que fazia sucesso no Brasil. Ainda desconhecidas, atuando como modelos, também participaram Xuxa e Luiza Brunet, nos devaneios de Yeda (Cristina Pereira). Tony Ramos, Betty Faria e Maitê Proença igualmente estiveram na trama dessa forma.

Artistas estreantes

Elas por Elas foi a primeira novela de Cássio Gabus Mendes, filho do autor. Também na produção, estrearam na Globo nomes como Herson Capri, Tássia Camargo, Cristina Pereira e André De Biasi.



Leia também