Globo queria outro Velho do Rio, mas acertou na escolha do substituto

Whatsapp

Zamenza

O elenco de Pantanal é repleto de talentos e até hoje vários atores da obra original da Manchete são lembrados. Muitos viveram o auge da carreira na novela de Benedito Ruy Barbosa. Alguns nunca mais conseguiram papeis tão marcantes. A missão do remake produzido pela Globo era manter o alto nível do time escalado. Algo que nunca foi difícil para a emissora, sempre repleta de grandes nomes. E de fato os atores selecionados são excelentes. Um dos maiores é, sem dúvida, Osmar Prado.

Osmar Prado

O veterano ganhou um dos perfis mais icônicos da trama: o Velho do Rio. O personagem foi interpretado pelo saudoso Cláudio Marzo na obra de 1990, que também protagonizava na pele de José Leôncio. O ator teve um trabalho duplo na época. Ou seja, ele vivia o pai e o filho. Isso porque o ‘veio’ é na verdade Joventino (Irandhir Santos), o pai do protagonista que desapareceu na natureza atrás de marruás há muitos anos.

Leia mais

A única falha do remake foi ter colocado Osmar aparecendo na primeira fase, o que confundiu o público. Afinal, era para ter surgido apenas após a passagem de tempo. Mas, como é um tipo místico, não afetou tanto a produção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dúvidas do público

Pantanal

O telespectador nunca tem certeza sobre a figura do Velho do Rio. É um espírito? Uma entidade? Uma pessoa comum? E as dúvidas fazem parte da fantasia proposta. Até porque o personagem se transforma na maior sucuri do pantanal para se camuflar ou quando precisa instaurar a ordem no ecossistema. O ‘veio’ também vira uma espécie de proteção para Juma Marruá (Alanis Guillen) depois que Maria (Juliana Paes) é assassinada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vira quase um avô para a filha da mulher-onça. Tanto que devorou o sujeito que matou a mãe da menina. Mas é um tipo que acumula funções. Além de fazer justiça, como costuma dizer, também dá conselhos enigmáticos para os poucos que conseguem vê-lo, como a própria Juma e o neto Joventino (Jesuíta Barbosa). Não por acaso, é chamado de Mestre dos Magos (a clássica figura do desenho Caverna do Dragão) nas redes sociais.

Pantanal

A força cênica de Osmar Prado é conhecida. Já foram vários personagens que contaram com ela e ficaram marcados na memória do telespectador. Mas o ator tem impressionado na pele do Velho do Rio. Como a entidade tem uma carga dramática constante, não existe cena que passe despercebida ou tenha menos impacto. Todas as suas aparições provocam emoção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Intensidade

Osmar Prado em Pantanal

E não é uma tarefa fácil manter viva a intensidade do perfil. Até porque alguns textos soam até repetitivos em determinados momentos. Mas Osmar consegue diferenciar cada sequência e imprimir sensibilidades distintas dependendo da situação. Pode ser durante um conselho amoroso a Juma, um aviso cifrado a Joventino, um olhar desconfiado a Zé Lucas (Irandhir Santos), enfim. Não há um instante sequer sem a entrega do intérprete.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma observação: a capa do personagem, quase uma camuflagem que remete a uma cobra, pesa mais de cinco quilos e Osmar tem 74 anos.

Pantanal

O veterano está tão bem que é impossível desviar a atenção enquanto o Velho do Rio está em cena. E vale ressaltar que a novela tem uma narrativa lenta, então não é raro que ocorra um certo desligamento em algumas situações que acabam andando em círculos. Osmar tem protagonizado sequências maravilhosas com Alanis Guillen, sua melhor parceira e que está começando na carreira.

Os momentos do ator ao lado de Jesuíta Barbosa também merecem menção. E o ator emocionou na sequência das queimadas. A dor e o choque do ‘veio’ com a devastação provocada pelo homem provocaram todo o impacto que a cena pedia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tinha que ser Osmar

Antonio Fagundes

É sempre um privilégio ver Osmar Prado em cena. Ainda mais em horário nobre. O intérprete ainda estava recentemente no ar durante a reprise de O Clone, no Vale a Pena Ver de Novo, onde interpretou com brilhantismo o alcoólatra Lobato.

E vendo o Velho do Rio todos os dias fica difícil imaginar outro profissional na pele do personagem. Vale lembrar que Antônio Fagundes foi o primeiro nome escolhido para o papel, mas o veterano recusou. Sorte do Osmar que ganhou mais um tipo para engrandecer seu respeitado currículo e o remake de Pantanal.

Whatsapp


Leia também