Uma das mais famosas intérpretes da boneca Emília na primeira versão da Globo do Sítio do Picapau Amarelo, em 1977, Dirce Migliaccio conquistou o público com inúmeras participações em novelas e séries.

Dirce Migliaccio como Emília no Sítio do Picapau Amarelo
Dirce Migliaccio como Emília no Sítio do Picapau Amarelo

Outras personagens da atriz lembradas até hoje são Judicéia Cajazeira, da novela O Bem Amado (1973), e Conceição, de A Gata Comeu (1985).

Dirce se foi em 2009, aos 75 anos, e seu final de vida foi bastante triste, sendo acolhida no Retiro dos Artistas, tradicional instituição localizada no Rio de Janeiro, após perder os movimentos.

O Bem-Amado e Sítio do Picapau Amarelo

Irmã do saudoso Flavio Migliaccio, Dirce Migliaccio iniciou sua carreira artística nos anos 1950, nos palcos. Na TV, ela estreou em 1969, quando integrou o elenco de Nino, o Italianinho, na Tupi.

Dirce ainda fez outros trabalhos na Tupi até migrar para a Globo em 1973, para atuar na novela O Bem Amado, de Dias Gomes. Na trama, sua personagem era uma das Irmãs Cajazeiras, três carolas sempre dispostas a defender o prefeito Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo).

Após atuar também em Pluft, o Fantasminha (1975) e Saramandaia (1976), a atriz foi escalada para o elenco da versão da Globo do Sítio do Picapau Amarelo. Ela deu vida à boneca Emília, mais popular personagem da criação de Monteiro Lobato.

O que aconteceu com Dirce Migliaccio, a eterna Emília do Sítio do Picapau Amarelo?

Dirce Migliaccio no Retiro dos Artistas
Dirce Migliaccio no Retiro dos Artistas

Apesar de ser muito lembrada pela Emília, Dirce Migliaccio ficou apenas um ano no Sítio do Picapau Amarelo, entregando a personagem a Reny de Oliveira. Ela ficou traumatizada com o volume de trabalho e pediu para deixar o infantil.

“O único problema era a quantidade de textos que eu tinha para decorar. Acordava muito cedo e trabalhava o dia todo, pois naquela época não havia a lei que protegesse o artista. Por isso, desisti da série. Mas agradeço a Deus por ter feito a Emília, que era um personagem muito rico e completo”, relembrou ao jornal O Globo em 20 de julho de 1996.

Depois, ela voltou às novelas em Marron Glacê (1979) e A Gata Comeu (1985). Ela também voltou a viver Judicéia Cajazeira na série baseada em O Bem Amado, entre 1980 e 1984.

Nos anos 1990, Dirce fez várias participações especiais, em atrações como Não Fuja da Raia (1996) e Mulher (1999), além de ter aparecido na novela Quem é Você (1996). Sua última aparição foi num episódio de Casos e Acasos, em 2008.

Qual foi a causa da morte de Dirce Migliaccio?

Em setembro de 2008, Dirce Migliaccio sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) que a fez perder o movimento dos braços e das pernas. A artista, que vivia sozinha, precisou se mudar para o Retiro dos Artistas.

Seu irmão Flávio Migliaccio a visitava constantemente, além de bancar toda a medicação e um profissional que a acompanhava diariamente.

Ao jornal Extra, em 11 de dezembro de 2008, ela se limitou a dizer que apenas passava o dia rezando, ao ser perguntada sobre sua estadia no local.

Dirce Migliaccio morreu em 22 de setembro de 2009, aos 75 anos, vítima de doença arterial coronariana, hipertensão e infecção urinária. Seu corpo foi sepultado no cemitério São João Batista, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Compartilhar.

Thais Milena é uma jornalista formada apaixonada pela história da televisão brasileira e pelo universo dos famosos. Com conhecimento e entusiasmo, se dedica a compartilhar informações, curiosidades e análises sobre os bastidores da televisão, os programas icônicos e os artistas renomados do Brasil. Através do trabalho, busca entreter e informar seus leitores, levando-os a uma viagem pelos momentos marcantes e pelas personalidades que influenciaram a cultura televisiva do país.