Em horário errado, novela da Globo terminou sem revelar seu maior segredo - TV História

Em horário errado, novela da Globo terminou sem revelar seu maior segredo

Whatsapp

Ivani Ribeiro mandou bem na maioria das novelas que fez, enfileirando sucessos como A Viagem e Mulheres de Areia. Mas ela também teve alguns furos, como Hipertensão, novela das sete que estreava há exatamente 36 anos na Globo, em 6 de outubro de 1987. Sem grande repercussão, a produção ficou marcada por dois fatos: foi exibida em horário errado e, no final, não revelou seu maior segredo.

Hipertensão trata-se de uma reedição de Nossa Filha Gabriela, que a mesma Ivani escreveu para a Tupi em 1971. Ela aproveitou a espinha dorsal da trama, mudou o nome de alguns personagens e, ao incluir novas histórias, praticamente fez uma nova novela.

Carina (Maria Zilda), estrela de uma companhia de teatro mambembe, chega à pacata cidade de Rio Belo com um segredo. No passado, os velhinhos Candinho (Paulo Gracindo), Romeu (Ary Fontoura) e Napoleão (Cláudio Corrêa e Castro) se casaram com trigêmeas e uma delas era a sua mãe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Dessa forma, ela e o público queriam saber: quem seria o seu verdadeiro pai? O romântico Candinho, o distraído Romeu ou o autoritário Napoleão?

No final das contas, ninguém ficou sabendo quem era o progenitor da garota. No último capítulo, após ver sua certidão de nascimento, Carina borra o nome do pai, pois ficou comovida com o comportamento dos três e não teve coragem de dar essa alegria somente para um deles.

Ela pede para conversar separadamente com o Candinho, Napoleão e Romeu e, para não magoar ninguém, conta a mesma história para os três: antes da certidão borrar, ela conseguiu ler o nome de seu verdadeiro pai e afirma ser o homem com quem fala.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Para evitar que algum deles descubra que nem ela sabe a verdade, Carina pede que não façam comentários entre eles. Cada um fica radiante com a notícia, e a autora deixou a dúvida no ar para o público.

No elenco da novela, também estavam nomes como Elizabeth Savalla, Cláudio Cavalcanti, Geórgia Gomide, Cláudia Abreu e Deborah Evelyn, entre outros.

De acordo com nosso colunista Nilson Xavier, em seu site Teledramaturgia, Hipertensão não pode ser considerada uma produção de grande sucesso. “Foi um caso de novelas certa no horário errado. Tinha todas as características de uma novela do horário das seis, só que passava às sete”, explicou.

Outro fato que marcou Hipertensão foi a escolha do seu nome. “Hipertensão foi um título infeliz, que nada tem a ver com a novela em si”, destaca Nilson.



Leia também