Em 1999, Brasil perdeu três grandes humoristas em menos de dois meses - TV História

Em 1999, Brasil perdeu três grandes humoristas em menos de dois meses

Whatsapp

Três humoristas que marcaram seu nome no banco do programa A Praça é Nossa, do SBT, entre outros humorísticos, nos deixaram com menos de dois meses de diferença, entre julho e agosto de 1999.

A primeira foi Consuelo Leandro, que faleceu no dia 6 de julho daquele ano, em decorrência de hipertensão e enfisema pulmonar. Dos três nomes, ela era a única que ainda atuava na atração.

Intérprete de diversos personagens marcantes do programa, como Cremilda (a mulher do Oscar), Alfreda e a repórter indiscreta Lola, Consuelo tinha 68 anos e lutava contra um câncer na bexiga. Ela também se destacou na novela Cambalacho (1986), da Globo, como Lili Bolero.

Dias antes de morrer, a atriz teve uma parada cardíaca e entrou em coma profundo. O médico Fernando Ladeia, que cuidava dela, disse ao jornal Notícias Populares que Consuelo era diabética e tinha problemas cardíacos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Rony Cócegas

Eterno Lindeza, de A Praça é Nossa, e Galeão Cumbica, da Escolinha do Professor Raimundo, Rony Cócegas morreu em 25 de julho de 1999, aos 59 anos, na capital paulista, vítima de insuficiência múltipla dos órgãos.

O humorista, que iniciou sua carreira em 1967, no Programa Raul Gil, estava internado há 21 anos por conta de uma hemorragia digestiva, consequência de uma cirrose.

Depois de passar pela Praça nos primeiros anos do programa no SBT, foi para a Globo, onde ficou um bom tempo na Escolinha de Chico Anysio. Depois, participou da Escolinha do Barulho, da Record.

O corpo de Rony foi levado para Salvador (BA) em avião fretado pelo canal de Edir Macedo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Maria Teresa

Pouco mais de um mês depois, em 16 de agosto, foi a vez de Maria Teresa Fróes, intérprete da inesquecível fofoqueira Vamércia, que ficava na janela de sua casa atazanando os convidados de Carlos Alberto de Nóbrega.

Maria Teresa tinha 63 anos e faleceu em decorrência de edema pulmonar agudo e insuficiência coronariana.

Ela iniciou sua carreira em 1951, na Rádio São Paulo. Entrou na televisão no final dessa década, na Record. Além da Praça, esteve em diversas atrações, como O Riso é o Limite, Bronco Total, Show Riso e Feira do Riso, entre outros.

No SBT, ainda teve seu próprio programa, Maria Teresa Especial, entre 1992 e 1993, onde interpretava suas várias personagens.

A fofoqueira Vamércia ficou na Praça até 1995, quando a comediante acabou se afastando da televisão. Ela também tinha doença de Parkinson.



Leia também