Demissões e perdas de Copa do Mundo, Libertadores e F1: o que a Globo está fazendo para economizar - TV História

Demissões e perdas de Copa do Mundo, Libertadores e F1: o que a Globo está fazendo para economizar

Whatsapp

Há algum tempo, o Grupo Globo vem passando por uma grande reformulação, denominada Uma Só Globo. O projeto unifica cinco unidades de negócios, incluindo a Globosat e o Globoplay. Dessa forma, muitos cortes estão sendo feitos para ajustar a emissora para os novos tempos que vêm pela frente.

Além disso, a pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe inúmeros prejuízos, como queda do faturamento publicitário e cancelamento das gravações de programas e novelas, que tiveram que ser substituídas por reprises.

Confira o que foi feito até agora na Globo para economizar dinheiro:

Artistas e jornalistas demitidos

A Globo está fazendo muitas demissões desde o início de 2020, aproveitando o final de contrato de diversos artistas para anunciar que não serão renovados, passando a trabalhar com pagamento por obra. Entre os que perderam seus contratos fixos com a emissora neste ano estão Bruna Marquezine, Zeca Camargo, José Loreto, Malvino Salvador, José de Abreu e até mesmo nomes históricos do canal, como Vera Fischer, Regina Duarte (que saiu para ir para o governo), Miguel Falabella e Renato Aragão. O mais novo nome a entrar para a lista foi o do ator Renato Góes, protagonista de Órfãos da Terra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Copa do Mundo de 2022

A Globo entrou na Justiça do Brasil e da Suíça para rever o contrato de US$ 600 milhões com a Fifa, ameaçando, assim a transmissão da Copa do Mundo de 2022, que será realizada no Catar. A Justiça suspendeu o pagamento de US$ 90 milhões que a emissora teria que fazer no dia 30 de junho, mas a Fifa recorreu da decisão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Taça Libertadores da América

No início de agosto, a Globo rescindiu o contrato que tinha com a Conmebol para a transmissão da Taça Libertadores da América, que era válido até 2022. A emissora pagava US$ 65 milhões pelo torneio para transmitir dois jogos por semana, às quartas, e as partidas do Sportv na TV paga. A Globo tentou negociar uma redução do valor, mas a entidade não aceitou. No entanto, nesta sexta (27), o UOL divulgou que a Conmebol avalia propostas e a competição pode voltar para a Globo – ou ir parar numa concorrente. A decisão deverá ser tomada na próxima semana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Fórmula 1

O mais novo corte no esporte veio nessa semana: a Globo não renovou com a Liberty Media e deixará de exibir a Fórmula 1 a partir de 2021. Mesmo faturamento quase R$ 500 milhões em patrocínios por ano, a emissora colocou os custos na ponta do lápis e viu que não compensava. Tentou reduzir a pedida da detentora dos direitos, mas não conseguiu. Dessa forma, resolveu deixar a categoria de lado. A temporada de 2020 continuará sendo exibida normalmente.



Leia também