De Dhomini a Prior: 10 participantes que saíram do BBB para o Cidade Alerta - TV História

De Dhomini a Prior: 10 participantes que saíram do BBB para o Cidade Alerta

Whatsapp

Além de garantir o entretenimento da nação no início do ano, o Big Brother Brasil também tem se tornado um prato cheio para pautas do Cidade Alerta e do programa do Datena. Nos últimos anos, o reality da Globo tem virado notícia pela conduta de alguns participantes dentro e fora da casa.

Apenas neste ano, dois ex-brothers viraram caso de polícia. O ginasta Pétrix Barbosa foi acusado de assédio dentro do confinamento, enquanto o arquiteto Felipe Prior recebeu a visita do helicóptero do comandante Hamilton após denúncias de estupro contra ele virem à tona com a sua participação.

2020, porém, não foi o único ano em que o BBB fez a alegria de José Luiz Datena e Luiz Bacci. Em suas quase duas décadas no ar, o reality global já viu seus ex-participantes virarem manchete por casos de pedofilia, estupro e até mesmo deportação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Relembre 10 vezes em que o BBB virou notícia nos telejornais policiais:

Participante: Sérgio Tavares
Temporada: BBB1
Ocorrência: Imigração ilegal / deportação

O angolano Serginho estava com o visto expirado e quase foi deportado. A produção foi atrás da regularização e o brother conseguiu permanecer na casa.

Participante: Daniel Echaniz
Temporada: BBB12
Ocorrência: Suspeita de estupro

Na madrugada de 15 de janeiro, após uma festa no reality, ele foi visto embaixo do edredom com a participante Monique Amin. A polícia abriu investigação para apurar a suspeita de estupro, e Daniel foi expulso da casa.

A repercussão foi tanta que o caso chegou a ser noticiado pelo Jornal Nacional. O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro encerrou o inquérito após o depoimento de Monique, que negou o abuso sexual. Ele foi absolvido por insuficiência de provas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Participante: Dhomini
Temporada: BBB13
Ocorrência: Maus tratos a animais

Em sua segunda participação no reality, o brother afirmou que em um momento de irritação teria arrancado todos os dentes de seu cachorro. Ele justificou o maltrato com o argumento que o animal havia o mordido três vezes.

“Na terceira vez, ele me pegou lá no curral onde nós tirávamos leite de vaca e tirei os dentes dele da boca. Não aguentei. Segurei ele pela corrente e fui trazendo. Peguei o machado, todo mundo gritando e eu extraí todos os dentes. Aí, ele ficou, meu amigo, banguelo”, descreveu.

Participante: Cássio
Temporada: BBB14
Ocorrência: Racismo

Um comentário dele na primeira festa da temporada causou polêmica fora da casa e nas redes sociais. Em conversa com Tatá Werneck, que fez uma participação especial no reality, o gaúcho afirmou que “matou” uma negra durante um ato sexual.

“Eu acho que assim, uma afrodescendente costuma se relacionar com afrodescendentes. E eu pensei ‘pô, aguenta tudo’. E eu atravessei. E até hoje sou acusado de assassinato, entende?”, contou. Após o comentário, o Ministério Público Federal recebeu uma representação contra o brother.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Participante: Laércio de Moura
Temporada: BBB16
Ocorrência: Pedofilia

Dentro do confinamento, ele foi acusado por Ana Paula Renault de pedofilia. O brother chegou a afirmar que usava álcool para facilitar o sexo com menores de idade e que tinha duas namoradas, uma de 17 anos e outra de 19.

Depois de sua eliminação, ele foi preso por suspeita de estupro de vulnerável e de fornecimento bebidas alcoólicas a menores de idade.

Participante: Marcos Harter
Temporada: BBB17
Ocorrência: Agressão

Na edição de 2017, o caso de polícia foi com o médico Marcos Harter. Ele foi indiciado após investigação sobre o caso de agressão à ganhadora da edição Emilly Araújo. O médico foi indiciado por lesão corporal com base na Lei Maria da Penha.

Em agosto de 2020, vazou um vídeo em que Emilly foi chamada no confessionário na presença de uma advogada e um médico para falar sobre a relação com Marcos e as agressões. Horas depois, o participante foi eliminado do programa.

Participante: Vanderson
Temporada: BBB19
Ocorrência: Estupro e violência doméstica

Na edição de 2019, o participante Vanderson foi desclassificado logo no início do programa. Ele deixou a casa ao ser intimado a prestar depoimento em inquérito instaurado, após receber denúncias por importunação sexual, estupro e violência doméstica.

As denúncias foram feitas um dia antes dele entrar na casa do BBB, mas em agosto de 2019, o processo de lesão corporal leve foi arquivado por falta de provas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Participante: Paula Sperling
Temporada: BBB19
Ocorrência: intolerância religiosa

Também na edição de 2019, a então sister fez uma série de comentários que foram considerados preconceituosos por vários internautas.

Em uma conversa com Diego e Hariany, ela disse ter medo de Rodrigo França por ele ter contato “com esse negócio de Oxum”. A ganhadora do prêmio 1,5 milhão, foi indiciada por intolerância religiosa e o Ministério Público arquivou o inquérito.

Participante: Pétrix Barbosa
Temporada: BBB20
Ocorrência: Assédio

A edição bombada de 2020 também foi a favorita do Cidade Alerta: o ginasta Pétrix Barbosa teve duas acusações de assédio durante o confinamento na casa mais vigiada do país.

Na primeira delas, o ginasta massageou as costas de Bianca Andrade, a Boca Rosa, e um de seus dedos estava nos seios dela. A influenciadora foi chamada ao confessionário e negou que tivesse se sentido assediada.

A segunda situação também envolveu a blogueira: ele a abraçou e a chacoalhou com o corpo colado ao dela. O ginasta foi acusado pela internet de ter “sarrado” em Bianca.

Participante: Felipe Prior
Temporada: BBB20
Ocorrência: Suspeita de estupro

O ex-BBB Felipe Prior virou réu em outubro deste ano pelo crime de estupro. A Justiça de São Paulo recebeu a denúncia feita pelo Ministério Público em agosto, mas, por conta da pandemia do novo coronavírus só chegou dois meses depois.

Três mulheres denunciaram o arquiteto. Um estupro, em 2014, pelo qual se tornou réu. Um estupro em 2016 e uma tentativa de estupro em 2018.



Leia também