Cinco novelas rejeitadas que você provavelmente nunca vai ver na Globo - TV História

Cinco novelas rejeitadas que você provavelmente nunca vai ver na Globo

Whatsapp

Ano após ano, várias projetos de novelas são submetidos ao núcleo de teledramaturgia da Rede Globo, que é atualmente chefiado por Silvio de Abreu. Enquanto algumas dessas tramas são aprovadas e produzidas, outras são simplesmente rejeitadas e descartadas.

Por isso, hoje vamos conhecer cinco novelas que foram recusadas pela Globo. Confira!

PANTANAL (1990)

Antes de cair nas graças do público da Rede Manchete no ano de 1990, o projeto inicial da novela Pantanal, de Benedito Ruy Barbosa, havia sido apresentada pelo autor à alta cúpula da líder de audiência. Na Globo, Benedito estava escrevendo apenas novelas do horário das 18h, mas, com Pantanal, ele sonhava com o horário nobre. Uma comitiva da emissora, formada pelo próprio Benedito e os diretores Herval Rossano e Atílio Riccó, viajou ao Pantanal, em busca das locações prometidas por Benedito. Como era época de chuvas, eles só encontraram água e mato. Com o projeto engavetado, a Globo ofereceu ao autor produzir a novela de duas forma: como minissérie e gravada numa fazenda do Rio de Janeiro, simulando o Pantanal. Benedito negou. Só depois que Jayme Monjardim, então diretor artístico da Manchete, topou produzir Pantanal e exibir no horário nobre da emissora. Sucesso avassalador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


ESCÂNDALO (1998)

Em 1998, o autor Miguel Falabella (foto) estava escrevendo uma novela chamada Escândalo, que misturava jornalismo e política. De acordo com o autor, a trama teria um jornal decadente, que estaria cheio de dívidas. Precisando de um escândalo para sobreviver, eles arrumariam uma mocinha para acabar com a vida dela e noticiar no impresso. Sem maiores explicações, a Globo elegeu a regionalista Meu Bem Querer, de Ricardo Linhares, para substituir Corpo Dourado, de Antônio Calmon. Alguns elementos de Escândalo foram reaproveitados em A Lua Me disse, obra que o autor levou ao ar em 2005.

O DESCOBRIDOR DOS SETE MARES (2010)

A autora Márcia Prates (foto) iria escrever a substituta do remake de Ti Ti Ti no horário das 19h da Rede Globo. Ela entregou a sinopse de O Descobridor dos Sete Mares, que seria toda ambientada em um navio. Os altos custos que a produção teria foi um dos motivos que a fizeram ser cancelada. O outro motivo é que o autor João Emanuel Carneiro estava cotado para ser o supervisor da novela, porém ele já estava ocupado demais preparando o que viria a ser o mega sucesso Avenida Brasil. O Descobridor dos Sete Mares acabou sendo substituída por Morde e Assopra, de Walcyr Carrasco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


TREM BOM (2016)

Prevista inicialmente para estrear em janeiro de 2016, na faixa das 18h, a novela Trem Bom foi definitivamente cancelada pela TV Globo. A direção de teledramaturgia da emissora reprovou os primeiros capítulos apresentados pelo estreante Maurício Gyboski. A produção, sobre uma dupla de música sertaneja, já tinha perdido a vez na fila das novelas do horário para Êta Mundo Bom, de Walcyr Carrasco. A produção, que já tinha até diretor (Jayme Monjardim), se passaria em uma cidade fictícia do interior de São Paulo. Teria duas famílias rivais: uma dona de uma gravadora e outra, com dois talentos do sertanejo, os irmãos Cairo e Argel. Cairo, um habilidoso peão de boiadeiro, trabalharia para o vilão da história, Juca Jobim. Astros da música como Luan Santana (foto) e Michel Teló foram cogitados para serem os protagonistas.

ANOS MODERNOS (2016)

Ainda em 2016, a novela que substituiria Sol Nascente, de Walther Negrão, seria uma trama de Claudia Lage (foto), coautora de Lado a Lado, chamada Anos Modernos. No entanto, a sinopse de Claudia, sobre uma médica sufragista nos anos 1920, foi reprovada pela direção de teledramaturgia da Globo. No lugar de Anos Modernos, a Globo escalou Novo Mundo, que agora ganhou reprise em edição especial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


E aí, qual dessas novelas seria bacana assistir?

SOBRE O AUTOR
Alexandre Pequeno é jornalista e apaixonado pelas novelas brasileiras desde a infância. A paixão foi tanta que seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) foi sobre a novela Mulheres Apaixonadas, de Manoel Carlos. Em 2018, lançou o canal Novelando, onde aborda, de forma bem humorada, sobre as tramas que marcaram a história da TV. Já publicou contos e crônicas em antologias nacionais.

SOBRE A COLUNA
Listas, análises e notícias sobre o universo da teledramaturgia. A coluna, publicada de forma semanal, aborda os vários aspectos que envolvem as tramas nacionais e internacionais.



Leia também