Polícias de Paraná e São Paulo batem cabeça e não confirmam prisão de Cupertino - TV História

Polícias de Paraná e São Paulo batem cabeça e não confirmam prisão de Cupertino

Whatsapp

Dias depois de anunciar que o empresário Paulo Cupertino Matias tirou um documento de identidade com nome falso no interior do Paraná, a polícia teria prendido o assassino do ator Rafael Miguel, ator que fez Chiquititas, no SBT, e dos pais do garoto.

Cupertino teria sido preso durante uma blitz de trânsito na cidade de Centenário do Sul (PR) e seria transferido para São Paulo (SP). No entanto, uma confusão está acontecendo entre as polícias do Paraná e de São Paulo e a prisão ainda não foi confirmada oficialmente.

Luís Adorno, repórter do UOL, informou no Twitter que provavelmente não se trata de Cupertino.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Documento com nome falso

Segundo as investigações, Paulo usa o nome falso de Manoel Machado da Silva e conseguiu dar entrada num documento de identidade falso, feito no interior do Paraná.

A fraude foi descoberta pela Polícia Civil do Paraná, que alertou a polícia paulista. Paulo teria apresentado uma certidão de nascimento falsa a um funcionário público de Jataizinho (PR) para conseguir o novo documento.

A polícia pensava que Paulo poderia ter usado o documento para fugir do País – acreditava-se que ele esteja no Paraguai ou na Argentina. Dessa forma, seu nome também foi incluído na lista de procurados pela Interpol em todo o mundo.

O crime foi cometido porque Paulo não aceitava o namoro da filha com o ator. Em junho de 2019, na frente da casa onde morava, ele atirou 13 vezes nas vítimas, que morreram no local. Rafael tinha 22 anos, seu pai João Miguel tinha 52, e sua mãe, Miriam Miguel, 50.



Leia também