Autor nunca perdoou deslize de estrela da primeira versão de Pantanal

Whatsapp

No último sábado (21), uma das principais personagens do remake de Pantanal sofreu um acidente de avião e foi dada como morta. Seguindo o mesmo que ocorreu no original, Madeleine (Karine Teles) perdeu a vida ao tentar reencontrar José Leôncio (Marcos Palmeira) e Irma (Camila Morgado).

Pantanal

A influencer digital acabou deixando a trama por conta de uma decisão da atriz que viveu Madeleine na primeira versão da novela, exibida em 1990 pela Manchete. Por causa disso, ela nunca foi perdoada pelo autor da trama, Benedito Ruy Barbosa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois de Ingra Liberato na primeira fase, Ítala Nandi assumiu o papel na segunda etapa. A atriz vinha de um trabalho bem-sucedido na Globo em Que Rei Sou Eu?, quando viveu Loulou Lion.

Leia mais

Que Rei Sou Eu

Foi um dos poucos trabalhos da artista na emissora que lidera o ranking de audiência. Ela nasceu em Caxias do Sul (RS) em 4 de junho de 1942. Após iniciar sua carreira no teatro amador, mudou-se para São Paulo nos anos 1960, atuando em peças do Teatro Oficina.

No cinema, foi destaque em vários filmes e concorreu a prêmios no Festival de Cannes e Urso de Prata. Foi uma das fundadoras do Festival de Gramado, principal evento do cinema brasileiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Papéis de destaque na televisão

Benedito Ruy Barbosa

A estreia de Ítala na televisão foi na novela Melodia Fatal (1964), exibida pela extinta TV Excelsior. Ela só voltaria a atuar no gênero 15 anos depois, em O Pulo do Gato (1979), da Globo. Antes de Que Rei Sou Eu?, esteve presente em Direito de Amar (1987).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao receber o convite para atuar em Pantanal, ela resolveu apostar todas as fichas na novela.

“A ideia de gravar uma novela em pleno Pantanal matogrossense bateu fundo na minha origem. Por isso, deixei muitos projetos para trás”, revelou a atriz, na época, ao jornal O Dia.

Para Ítala, a personagem era muito apegada aos seus parentes e por isso seu relacionamento não deu certo.

“A Madeleine é tão condicionada à família que não conseguiu viver ao lado de José Leôncio, apesar de continuar apaixonada por ele todo esse tempo”, enfatizou.

Mágoa do autor

Ítala Nandi

O sumiço da personagem, no entanto, só ocorreu por conta de um pedido da própria Ítala, que teve que sair da produção para dirigir um documentário na Índia, chamado O Caminho dos Deuses.

Dessa forma, a Madeleine atual “pagou o pato” por isso também. Ou teria o Bruno Luperi, neto de Benedito que adapta a história, reservado uma surpresa para a nova versão?

Antes disso, estava previsto que ela sobreviveria ao acidente, seria acolhida pelo Velho do Rio, se tornando mais uma criatura protetora do Pantanal. Com a mudança, Ítala acabou magoando Benedito, que nunca a perdoou – ela disse, contudo, que entende o lado dele.

“Foi a decisão mais difícil da minha vida. Foi duro demais. Estava amando fazer a novela. O Jayme Monjardim foi super compreensivo, quem não compreendeu foi o autor, mas eu entendo ele também”, declarou a veterana recentemente ao jornal Extra.

Com o sucesso de Pantanal, Ítala Nandi esteve em outras produções, como 74.5 Uma Onda no Ar (1994), Colégio Brasil (1996), A Casa das Sete Mulheres (2003), Caminhos do Coração (2007), Dona Xepa (2013) e Milagres de Jesus (2015), sendo este, até o momento, seu último trabalho na televisão.

Com quase 80 anos, a atriz continua firme e forte em sua profissão, com planos e vontade de trabalhar.

“Sou de origem italiana, todos morrem muito tarde. Não me sinto com essa idade. Também posso dizer que não vivi a época do desbunde, me preservei muito. Não entrei nas drogas e saí nos anos 70 do Teatro Oficina por isso”, contou ela ao jornal Extra.

Whatsapp


Leia também