Morta em 2018, atriz da Globo roubou colega em "momento em desespero"

Morta em 2018, atriz da Globo roubou colega em “momento em desespero”

Whatsapp

Atriz que ficou conhecida por atuar em novelas da Globo nos anos 1980, Desirée Maria Vignolli Hoagland nasceu em 1º de julho de 1965, em Nova York, nos Estados Unidos.

Filha de uma diplomata brasileira e um advogado norte-americano, ela chegou ao Brasil aos 12 anos. Em Brasília (DF), onde foi morar, iniciou sua trajetória nas artes cênicas, ampliada a partir da mudança para o Rio de Janeiro (RJ).

Após fazer teatro, estreou na televisão ainda nos anos 1970, no Sítio do Picapau Amarelo, da Globo. Sua primeira novela foi Jogo da Vida (1981). Depois, esteve em Louco Amor (1983).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Destaques em Que Rei Sou Eu? e Mico Preto

Desiree Vignolli

Voltou ao vídeo em 1989, como a Denise de Que Rei Sou Eu?; em 1990, foi a Lucilene em Mico Preto, seus dois papeis mais destacados na televisão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda participou da minissérie Ilhas das Bruxas (1991), da Manchete, e das novelas De Corpo e Alma (1992) e O Mapa da Mina (1993), na Globo, quando foi dispensada.

Após uma pequena participação em Confissões de Adolescente (1994), voltaria à tela na minissérie Chiquinha Gonzaga (1999), da Globo, mas foi cortada do elenco.

Após aparecer em humorísticos como Zorra Total e A Praça é Nossa, seu último trabalho foi na novela Vidas Cruzadas (2000), da Record.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vida pessoal

Luis Gustavo

A atriz foi casada três vezes, uma delas com o ator Luis Gustavo, que morreu no ano passado. Teve três filhos: Jéssica Blanco, Antônio e Anna Camilla. Tinha uma neta, Marina.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após sair da televisão, a atriz, que declarou nunca ter recebido pensão de seus ex-maridos, passou por dificuldades financeiras.

Ela chegou a ser presa em 1999, após roubar a bolsa de uma colega em uma academia. Em 2012, disse ao jornal Extra que agiu assim por conta desses problemas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Tudo o que falaram de mim até hoje foi invenção. Fui discriminada pela imprensa. Nunca recebi pensão dos meus ex-maridos. E as pessoas só gostam de lembrar um momento de desespero que eu tive”, explicou.

Na mesma entrevista, ela também disse que tentou trabalhar como vendedora, mas não deu certo.

“Tentei trabalhar como vendedora, mas chamava mais atenção do que os produtos”, contou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Morte

Desirée morreu no dia 21 de janeiro de 2018, aos 52 anos, após sofrer um infarto fulminante em sua casa.

Ela foi encontrada morta por sua mãe, que morava no mesmo prédio.

“Mãe, quando imaginei que esse seria nosso último momento feliz juntas, e você estava tão feliz! Que você possa enfim descansar em paz, será recebida com muito amor e muita luz, porque as dores desse mundo louco acabaram para você… descanse, meu amor”, escreveu Jéssica nas redes sociais.



Leia também