As 10 novelas mais inesquecíveis da década de 90 - TV História

As 10 novelas mais inesquecíveis da década de 90

Não foi fácil, mas elegi, na minha opinião, é claro, as 10 novelas inesquecíveis dos anos 1990. Como cito no final do texto, a década foi intensa e outras tramas poderiam estar na lista.

Confira as escolhidas e os motivos para cada uma estar na lista:

Pantanal

Exibida entre 27 de março e 10 de dezembro de 1990, Pantanal foi o maior sucesso da história da Rede Manchete e uma das maiores proezas da história da televisão brasileira. A saga de José Leôncio (Cláudio Marzo) e sua família já havia sido apresentada por Benedito Ruy Barbosa à Globo, que recusou a história. O canal dos Bloch embarcou nessa aventura e o sucesso foi arrebatador. Pantanal fechou sempre com médias superiores a 20 pontos, com picos superiores a 30 – a média final foi de 34 pontos, vencendo a Globo quase que diariamente. A trama tinha tipos inesquecíveis, como Juma Marruá (Cristiana Oliveira), que se transformava em onça. Além de Cristiana Oliveira, artistas como Paulo Gorgulho e Marcos Winter se transformaram em estrelas do dia para a noite.

Barriga de Aluguel

Novela das seis exibida entre 20 de agosto de 1990 e 1º de junho de 1991, a trama de Glória Perez inicialmente seria exibida na faixa das oito da noite. O Brasil parou para saber como terminaria a disputa das personagens Clara (Cláudia Abreu) e Ana (Cássia Kiss) pela guarda do bebê em questão. Além das protagonistas, também se destacaram nomes como Victor Fasano, Humberto Martins, Denise Fraga, Adriano Reys e Renée de Vielmond, entre outros. Mesmo com grande duração – 243 capítulos – a produção teve grande audiência e ficou marcada na história da teledramaturgia nacional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mulheres de Areia

Remake de um grande sucesso da Tupi, Mulheres de Areia foi exibida entre 1º de fevereiro e 25 de setembro de 1993. A trama de Ivani Ribeiro conquistou o Brasil, com um elenco bem escalado e a direção primorosa de Wolf Maya. Glória Pires brilhou no papel das gêmeas Ruth e Raquel. Também se destacaram nomes como Marcos Frota, como o inesquecível Tonho da Lua, Paulo Goulart, Guilherme Fontes, Raul Cortez e Vivianne Pasmanter, entre outros. Para se ter uma ideia do sucesso, a média final da novela foi de 50 pontos.

Renascer

Mais um grande sucesso de Benedito Ruy Barbosa, Renascer foi exibida entre 8 de março e 14 de novembro de 1993. Com uma primeira semana inesquecível, onde despontaram nomes como Leonardo Vieira e Patrícia França, e uma trama que lembrava, em alguns momentos, Pantanal, a novela contou com grandes nomes, como Antônio Fagundes, Marcos Palmeira e Adriana Esteves, entre outros. Além do enredo principal, o público ficou curioso por causa de Buba (Maria Luísa Mendonça), que era hermafrodita. No final, a belíssima e emocionante cena da reconciliação entre Zé Inocêncio e seu filho rejeitado, João Pedro, com um abraço entre os dois pouco antes da morte do coronel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A Viagem

Outro remake de sucesso escrito por Ivani Ribeiro que a Globo fez nos anos 1990, A Viagem foi exibida entre 11 de abril e 22 de outubro de 1994, com 167 capítulos. A novela das sete, estrelada por Christiane Torloni, Antônio Fagundes, Guilherme Fontes e outros nomes, abordou o espiritismo e a vida após a morte. Além da trama principal, o público ficou comovido pela história do Mascarado. A exibição de A Viagem, inclusive, aumentou bastante a venda de livros espíritas. Um grande sucesso, que voltará no Viva em breve, inclusive.

Éramos Seis

Sem grande tradição na produção de novelas, tendo feito, até então, praticamente apenas simples montagens de textos mexicanos, o SBT montou um núcleo de teledramaturgia, comandado por Nilton Travesso, contratou grandes nomes, inclusive da Globo, e caprichou na realização de Éramos Seis, adaptação do romance de Maria José Dupré. A saga de Lola (Irene Ravache) e a família Lemos foi bem recepcionada pelo público, que podia acompanhar a produção em dois horários (após as novelas das sete e das oito da Globo). O investimento milionário do canal de Silvio Santos foi recompensado pela boa audiência e a excelente recepção da crítica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Quatro por Quatro

Novela de Carlos Lombardi exibida entre 24 de outubro de 1994 e 22 de julho de 1995, Quatro por Quatro foi mais uma produção a marcar a década de 1990, com muito humor escrachado e excelente resposta do público. O casal formado entre Babalu (Letícia Spiller) e Raí (Marcello Novaes) caiu no gosto dos brasileiros. Também se destacaram Elizabeth Savalla, Cristina Oliveira, Humberto Martins e Betty Lago, entre outros.

A Próxima Vítima

Quem será a próxima vítima? Quem é o assassino? A obra-prima de Silvio de Abreu literalmente parou o Brasil no dia 4 de novembro de 1995 para saber quem era o criminoso. Além do thriller policial, a novela ainda teve destaques como o romance de Sandrinho (André Gonçalves) e Jeferson (Lui Mendes), o uso de drogas, os menores abandonados, a prostituição, entre outros temas. Tipos inesquecíveis foram criados, como Filomena Ferreto (Aracy Balabanian). Destaque também para José Wilker, Susana Vieira, Tony Ramos, Lima Duarte, Glória Menezes, Cláudia Ohana e muitos outros. O último capítulo, que revelou ser Adalberto (Cecil Thiré) o assassino do Opala preto, registrou 64 pontos no Ibope.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O Rei do Gado

Mais um fenômeno de Benedito Ruy Barbosa. A saga de Bruno Mezenga (Antônio Fagundes) e sua rivalidade com Jeremias Berdinazzi (Raul Cortez) cativou o público, incluindo uma primeira fase de tirar o fôlego. Outro personagem de destaque foi o senador Caxias, vivido por Carlos Vereza. A novela ainda abordou a reforma agrária, o MST (Movimento dos Sem-Terra) e a violência doméstica. Além dos citados, destaque também para Patrícia Pillar, Glória Pires, Fábio Assunção, a estreante Lavínia Vlasak e Stênio Garcia, entre outros.

Por Amor

Novela de Manoel Carlos exibida entre 13 de outubro de 1997 e 23 de maio de 1998, Por Amor mobilizou o Brasil por conta da troca de bebês realizada por Helena (Regina Duarte). O folhetim também teve outros grandes destaques: a vilã Branca, vivida magistralmente por Susana Vieira; a descontrolada Laura, personagem de Vivianne Pasmanter; e o casal Nando (Eduardo Moscovis) e Milena (Carolina Ferraz), que caiu no gosto do público. Também era comovente a luta da garota Sandrinha (Cecília Dassi) na luta para tirar o pai do alcoolismo. Um grande sucesso, que obteve altos índices de audiência até mesmo na reprise no Vale a Pena Ver de Novo, mais de 20 anos depois, em 2019.

Nesta lista, quis separar somente 10 novelas, mas fica a menção honrosa para outras tramas que se destacaram nessa produtiva década: Rainha da Sucata (1990), Vamp (1991), Pedra Sobre Pedra (1992), Fera Ferida (1993), Xica da Silva (1996), A Indomada (1997) e Terra Nostra (1999).



Leia também