Artistas da Globo escaparam da morte por um triz: “Me lembro de tudo”

Whatsapp

Três artistas que participaram de grandes sucessos da Globo passaram por maus bocados em gravações da emissora.

Confira os detalhes:

Kadu Moliterno

Kadu Moliterno

Em 1978, o jovem Kadu Moliterno interpretou Billy, um típico surfista carioca, na esquecida novela O Pulo do Gato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar de não saber pegar onda na época, o ator aceitou o convite, comprou uma prancha e passou a praticar o esporte diariamente.

No entanto, já no primeiro dia de gravação, na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro (RJ), Kadu quase se afagou e precisou ser substituído por um dublê.

Dois anos depois, em outra novela, Água Viva, Kadu passou mais percalços. Em uma sequência em alto-mar, ele e um cinegrafista nadaram para fugir de um tubarão.

Francisco Cuoco

Francisco Cuoco

Em 1987, durante a novela O Outro, Francisco Cuoco viveu dois personagens, Paulo Della Santa e Denizard de Matos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A produção achou conveniente produzir uma cabeça de acrílico com as feições de Cuoco para facilitar algumas tomadas em que o ator contracenava consigo mesmo.

Para isso, foi contratada uma equipe especializada em máscaras mortuárias, que utilizou um molde de gesso sobre o rosto do artista. No entanto, ao secar, o gesso ficou preso ao rosto dele, grudou em sua barba.

Francisco Cuoco

Durante cerca de cinco horas, Cuoco ficou respirando através de um canudinho no nariz. A máscara precisou ser retirada com o auxílio de martelo e talhadeira.

Segundo o ator, que se recorda da história com bom humor, sua barba tem falhas devido ao episódio até hoje.

Em outro episódio, ainda na mesma trama, o protagonista quase se enforcou com uma corda durante a gravação de um pesadelo de Paulo, em que ele se via sufocado por Denizard.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Danton Mello

Torre de Babel

Atualmente em Um Lugar ao Sol, Danton Mello foi apresentador do Globo Ecologia entre 1997 e 1999. Em 14 de setembro de 1998, sobrevoando o Monte Roraima para a gravação de uma reportagem para o programa, o helicóptero em que estava sofreu uma pane e caiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O operador de áudio, Ricardo Cardoso, conhecido como Cuca, morreu no local. Devido às dificuldades de acesso que haviam, o ator e sua equipe só foram encontrados 30 horas depois do acidente por índios não-reclusos da Reserva Indígena Raposa Serra do Sol. Estes avisaram a FUNAI, para que fosse feito o resgate completo.

Danton Mello

Danton apresentava uma grave hemorragia interna e foi operado às pressas, correndo risco de morrer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Me lembro de tudo, perfeitamente. O dia 14 de setembro é uma data que eu comemoro (…) E me lembro nitidamente da queda, do tempo em que a gente ficou lá, do resgate, de quando passou o primeiro helicóptero e não viu a gente, depois um avião também não viu, até que chegou o terceiro helicóptero e como eu sentia tanta dor, falei: ‘Vou embora nesse, não aguento ficar aqui mais tempo. Sempre penso com muito carinho no Cuca (Ricardo Cardoso, operador de áudio), meu parceiro de trabalho, que infelizmente não resistiu e se foi. São muitas lembranças”, relembrou o ator ao Gshow em 2020.

Na época, ele atuava também na novela Torre de Babel e precisou se ausentar das gravações por cerca de dois meses.

Quando se recuperou, em novembro do mesmo ano, o ator voltou às gravações da trama, em uma cadeira de rodas e também com auxílio de uma muleta.

Whatsapp


Leia também