Artistas da Escolinha do Professor Raimundo que já morreram

Exibida durante muitos anos pela Rede Globo, a versão original da Escolinha do Professor Raimundo teve diversas fases e, além do programa próprio, foi exibida dentro de programas como Chico City, Chico Anysio Show e Zorra Total.

Confira os artistas e humoristas da Escolinha do Professor Raimundo que infelizmente já nos deixaram:

Chico Anysio – Professor Raimundo

Um dos maiores nomes da história da televisão brasileira, dava vida ao Professor Raimundo Nonato, o mestre da Escolinha. Criou o personagem nos anos 1950, ainda no rádio, indo para a televisão em 1957. Chico Anysio morreu em 23 de março de 2012, aos 80 anos, por falência múltipla de órgãos. O humorista já vinha tendo problemas de saúde há alguns anos.



Agildo Ribeiro – Andorinha

Outro dos maiores nomes da televisão brasileira, o “Capitão do Riso” morreu em 28 de abril de 2018, aos 86 anos, em decorrência de problemas cardíacos.



Antônio Carlos Pires – Joselino Barbacena

Humorista pioneiro do rádio brasileiro e pai da atriz Glória Pires, Antônio Carlos morreu em 28 de fevereiro de 2005, aos 78 anos, vítima de infecção generalizada. Ele sofria do Mal de Parkinson e, desde 2002, havia perdido a capacidade de falar.



Brandão Filho – Sandoval Quaresma

Um dos maiores nomes do humor nacional, Brandão Filho morreu em 22 de março de 1998, aos 88 anos, de câncer, após sofrer duas paradas cardiorrespiratórias e permanecer internado por quarenta dias.



Carlos Roberto Escova – Zé do Bicho

Exímio imitador, o humorista, que fez história no Perdidos da Noite, junto com Fausto Silva, morreu em 20 de dezembro de 2015, aos 60 anos, em decorrência de complicações do diabetes.



Carvalhinho – Maurício das Dores

Ator e humorista, Carvalhinho morreu em 1º de março de 2007, aos 79 anos, em virtude de uma parada cardiorrespiratória.



César Macedo – Seu Eugênio

O humorista foi diagnosticado com Mal de Alzheimer em setembro de 2015 e morreu em 30 de abril de 2016, aos 81 anos. Dias antes, fraturou o fêmur em acidente doméstico, passando por cirurgia que lhe causou infecção hospital e pneumonia.



Cláudio Cunha – Gaúcho

Ator e produtor cultural, morreu em 20 de abril de 2015, aos 68 anos, ficando conhecido pelo personagem O Analista de Bagé. Ele sofreu um infarto.



Colé Santana – Waldemar Motta

O veterano humorista, tio de Dedé Santana, morreu em 29 de agosto de 2000, aos 80 anos, por falência múltipla dos órgãos.



Costinha – Mazarito

Grande nome do humor nacional, Costinha morreu em 15 de setembro de 1995, aos 75 anos. Dias antes, foi internado no Hospital Pan-Americano, no Rio de Janeiro, com falta de ar. Morreu vítima de enfisema pulmonar.



David Cunha – Manguaça

O humorista, também conhecido como Espanta, morreu em 24 de novembro de 2006, aos 49 anos, vítima de acidente de carro próximo a Mossoró (RN).



Dicró

Cantor e compositor, participou como ele mesmo da Escolinha. Morreu em 25 de abril de 2012, aos 66 anos, após sofrer um infarto.



Francisco Milani – Pedro Pedreira

Outro grande humorista da história da televisão brasileira, Milani morreu no dia 13 de agosto de 2005, aos 68 anos, vítima de edema pulmonar agudo, consequências de um câncer retal metastático.



George Savalla – Carequinha

Um dos mais notórios palhaços brasileiros, atuou na televisão por muitos anos, a partir dos anos 1950, sendo o primeiro a ter um programa do gênero no veículo. Morreu em 5 de abril de 2006, aos 90 anos, em casa, após sentir falta de ar e dores no peito.



Geraldo Alves – Bill Bebes

Dono de diversos personagens, geralmente imitações de personalidades, como Dom Hélder Câmara, Gugu Liberato, Jânio Quadros, Hebe Camargo e Gil Gomes, entre outros, o humorista morreu em 19 de fevereiro de 1993, aos 57 anos, vítima de uma parada cardíaca.



Grande Otelo – Eustáquio

Ator e humorista reconhecido no mundo inteiro, Grande Otelo morreu em 26 de novembro de 1993, aos 78 anos, em Paris, na França. Ele sofreu um infarto fulminante ao desembarcar na capital francesa, onde receberia uma homenagem em um festival.



Ivon Curi – Gaudêncio

Ator, cantor e compositor, Ivon Curi morreu em 24 de junho de 1995, aos 67 anos, em virtude de falência múltipla dos órgãos e insuficiência respiratória.



Jaime Filho – Suppapau Uaçu / José dos Campos

O humorista morreu em 3 de janeiro de 2017, aos 86 anos.



João Elias – Salim Muchiba

O humorista morreu em 9 de junho de 2017, aos 72 anos, vítima de pneumonia e choque séptico. Meses antes, havia sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).



Jorge Loredo – Zé Bonitinho

O inesquecível intérprete de Zé Bonitinho também exercia a profissão de advogado. Ele nos deixou em 26 de março de 2015, aos 89 anos, após lutar contra doença pulmonar obstrutiva crônica e enfisema pulmonar. A causa da morte foi falência múltipla de órgãos.



José Vasconcelos – Rui Barbosa Sá Silva

o

Grande humorista, muito popular nos anos 1950 e 1960, morreu em 11 de outubro de 2011, aos 85 anos, vítima de uma parada cardíaca.



Lúcio Mauro – Aldemar Vigário

O humorista, que viveu personagens marcantes como Fernandinho (Balança Mas Não Cai/Zorra Total) e Aldemar Vigário (Escolinha do Professor Raimundo), e era pai de Lúcio Mauro Filho, morreu no dia 11 de maio de 2019, aos 92 anos, em decorrência de problemas respiratórios.



Luís Delfino – Diretor

Outro importante nome do humor nacional, foi casado com a cantora Marlene. Viveu o diretor da Escolinha no final da carreira. Morreu em 25 de maio de 2005, aos 83 anos.



Luiz Carlos Tourinho – Pedro Vaz Calminho

O ator teve papeis de destaque em Suave Veneno (1999), Sai de Baixo e Sob Nova Direção. Morreu em 21 de janeiro de 2008, aos 43 anos, vítima de aneurisma cerebral, que tratava desde 2005. Seu personagem na novela Desejo Proibido (2008), que estava em andamento, desapareceu.



Lupe Gigliotti – Dona Escolástica

Irmã de Chico Anysio, a atriz e diretora morreu em 19 de dezembro de 2010, aos 84 anos, vítima de câncer de pulmão.



Marcos Plonka – Samuel Blaustein

O ator e humorista morreu em 8 de setembro de 2011, aos 71 anos, vítima de infarto.



Mário Tupinambá – Bertoldo Brecha

Venhaaaaa! Outro personagem marcante da Escolinha! Mário morreu em 27 de setembro de 2010, aos 78 anos, vítima de um choque cardiogênico, em decorrência de insuficiência cardíaca e do diabetes.



Milton Carneiro – Atanagildo

O veterano humorista, parceiro de longa data de Chico Anysio e Jô Soares, morreu em 8 de dezembro de 1999, aos 76 anos, vítima de ataque cardíaco.



Nádia Maria – Célia Caridosa de Mello / Marta Suplício

A humorista morreu em 16 de fevereiro de 2000, aos 69 anos. Estava afastada da carreira artística desde meados dos anos 1990, quando descobriu um câncer no cérebro.



Nélia Paula – Dona Clara / Amparito Pera / Dona Cora

A atriz e humorista, nascida em Buenos Aires (Argentina), morreu no dia 8 de setembro de 2002, aos 71 anos, vítima de ataque cardíaco fulminante.



Olney Cazarré – João Bacurinho

Irmão mais novo de Older Cazarré, morreu em 19 de janeiro de 1991, aos 45 anos, em virtude de tromboangiite obliterante. Por causa dessa doença, perdeu os movimentos das pernas, que precisaram ser amputadas.



Orival Pessini – Patropi

Criador e intérprete de tipos inesquecíveis como Fofão, Sócrates e Patropi, entre outros, Orival morreu em 14 de outubro de 2016, aos 72 anos, após lutar contra um câncer no baço.



Paulette – Milha

Paulette era o nome artístico do ator, dançarino e humorista Paulo César Bacellar da Silva. Morreu em 30 de julho de 1992, aos 40 anos, em decorrência do vírus da AIDS.



Paulo Silvino – Seu Tabajara da Silva

Mais um grande mestre do humor brasileiro, morreu em 17 de agosto de 2017, aos 78 anos, lutando contra um câncer de estômago.



Roberto Roney – Simplício Carneiro

O humorista morreu em 3 de janeiro de 2010, aos 70 anos, vítima de insuficiência respiratória. Ele lutava contra um câncer no pulmão.



Rogério Cardoso – Rolando Lero

Um dos maiores humoristas do Brasil, Rogério Cardoso ficou eternizado como Rolando Lero, da Escolinha do Professor Raimundo. Cardoso morreu em 24 de julho de 2003, aos 66 anos, no Rio de Janeiro, vítima de infarto fulminante.



Rony Cócegas – Galeão Cumbica

Popular humorista entre os anos 1970 e 1990, fazendo papeis como Galeão Cumbica e Lindeza (do bordão calma, cocada), morreu em 25 de julho de 1999, aos 59 anos, por insuficiência múltipla dos órgãos. Estava internado devido a uma hemorragia digestiva por conta de uma cirrose.



Silveirinha – Seu Belzonte

O humorista morreu em 15 de novembro de 2012, aos 89 anos.

Walter D’Ávila – Baltazar da Rocha

Outro grande nome do humor nacional, morreu em 19 de abril de 1996, aos 84 anos, vítima de câncer.



Zezé Macedo – Dona Bela

A atriz e humorista, uma das recordistas em participações no cinema nacional, morreu em 8 de outubro de 1999, aos 83 anos, após sofrer um derrame cerebral por conta de um aneurisma cerebral que se rompeu.



Zilda Cardoso – Dona Catifunda

A atriz, famosa pelo papel de Catifunda em diversos humorísticos, morreu no dia 20 de dezembro de 2019, na capital paulista, enquanto dormia.





Leia também