Após série que terminava há oito anos, astros tomaram rumos diferentes na carreira - TV História

Após série que terminava há oito anos, astros tomaram rumos diferentes na carreira

Whatsapp

Em 10 de dezembro de 2006, a Globo exibia o especial de fim de ano Os Caras de Pau, produto da esquete de êxito do humorístico Zorra Total. A atração ganhou espaço fixo nas tardes de domingo em 2010.

Marcius Melhem e Leandro Hassum, então dois emergentes talentos do humor nacional, viviam os seguranças Pedrão e Jorginho, sempre metidos em confusões.

A série terminou em 3 de fevereiro de 2013, há exatamente oito anos, após relativo sucesso, e, desde então, a carreira dos dois protagonistas tomou rumos distintos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Hassum sobe

Hassum estreou na televisão em 1998, com uma ponta no remake de Pecado Capital. Depois de Os Caras de Pau, esteve em Cheias de Charme, como ele mesmo; na fracassada série O Dentista Mascarado; Flor do Caribe, em reexibição pela Globo; no mal-sucedido Divertics, que durou pouco; teve papel de destaque em Geração Brasil; e ainda esteve em Tomara que Caia e Chapa Quente.

Em 2016 e 2017, estrelou o seriado A Cara do Pai, ao lado de Mel Maia, e ainda esteve no remake da Escolinha do Professor Raimundo, como Mazarito, papel do eterno Costinha.

Além da televisão, fez carreira de sucesso no cinema, com os três filmes Até que a Sorte nos Separe e outros, como O Candidato Honesto. Até Os Caras de Pau virou longa, em 2014.

Em 2014, fez uma cirurgia bariátrica e perdeu mais de 65 kg, passando a fazer dieta e exercícios físicos.

Quando o povo reclamou que ele perdeu a graça ao emagrecer, o humorista brincou. “Sou um comediante muito à frente da minha barriga. Estou a mesma coisa, não tem diferença nenhuma na minha graça. O que muda é o tipo físico. Ser gordo era uma das minhas piadas e tenho muitas outras”, declarou. Em outra entrevista, disse que estava com sérios problemas de saúde e corria risco de vida.

Em maio de 2019, após 21 anos, Hassum deixou a Globo ao não renovar seu contrato. Estava livre para fazer os mais variados projetos, sem obrigatoriedade de exclusividade com uma emissora.

Em alta desde então, estrelou dois programas no TNT, Tá Pago e 2000 e Vishhh, e lançou o filme Tudo Bem no Natal que Vem, na Netflix.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Melhem desce

Já Marcius Melhem acabou fazendo o caminho oposto. Depois de Os Caras de Pau, esteve em produções como Cheias de Charme, Tapas & Beijos, A Grande Família e Geração Brasil.

Foi um dos criadores do Tá no Ar: a TV na TV, que oxigenou o humor da Globo depois de muitos anos; ainda esteve à frente da nova versão da Escolinha do Professor Raimundo, também participando como Seu Boneco.

Em 2018, chegou ao auge da carreira: tornou-se chefe do departamento de humor da Rede Globo, sendo o responsável por gerenciar esse setor e decidir o que iria ou não ao ar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mas esse reinado não durou muito. No final de 2019, Melhem pediu licença de suas funções alegando motivos pessoais. Em 14 de agosto de 2020, a Globo encerrou o contrato de Melhem após 16 anos – a emissora ainda anunciou que os atuais humorísticos serão extintos em 2021 e novos formatos serão apresentados.

Mas o pior ainda estava por vir. Melhem está envolvido em uma série de denúncias de assédio moral e sexual realizadas por atrizes da Globo, especialmente Dani Calabresa. O caso estourou de vez em dezembro, quando a revista piauí revelou detalhes do processo, deixando muita gente chocada.

Evidentemente, Melhem se defendeu e negou algumas acusações, prometendo, ainda, processar Calabresa e sua advogada, mas dificilmente terá espaço na televisão brasileira depois do ocorrido.



Leia também