Após levar troco da Venezuela, Globo ficou de mãos atadas em Império

Após levar troco, Globo não conseguiu fazer cenas fundamentais em Império

Whatsapp

Muita gente não sabe, mas apesar do Monte Roraima ter uma importância fundamental na trama de Império, a Globo não conseguiu gravar no local. Apesar de muitas tentativas, a emissora não obteve autorização do governo venezuelano para produzir as cenas em 2014.

O veto foi revelado pelo jornal El Universal em 8 de abril daquele ano. O veículo informou que a Globo tentou, durante vários meses, os vistos e a autorização para filmar no topo do Monte Roraima, mas não teve sucesso. O local fica exatamente na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, com seu ponto culminante a 2.810 metros de altitude, justamente nas terras comandadas por Nicolás Maduro desde 2012.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“De acordo com o diário, o motivo é a exibição de cenas violentas envolvendo os protestos estudantis, cuja exibição está proibida pelas TVs venezuelanas”, informou a Folha de S.Paulo do dia seguinte.

O jornal informou que a Globo tentou os vistos diretamente no consulado do país no Rio de Janeiro (RJ), mas, diante da recusa, procurou a intermediação do Itamaraty, em Brasília (DF), igualmente sem êxito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Fontes diplomáticas ouvidas pela Folha atribuem a decisão à Chancelaria venezuelana. Seriam dois os motivos. Um deles é a entrevista recente do líder oposicionista Henrique Capriles ao Programa do Jô”, destacou a reportagem.

“Outro empecilho aos vistos seria de que a equipe da Globo incluía técnicos norte-americanos, levantando a suspeita de que se tratava de espiões”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

À Folha, a Globo confirmou o veto. “De fato, não obtivemos os vistos, mas isso não prejudicou a novela. Vamos usar imagens de arquivo, o que já estava previsto”, explicou a nota.

Para recriar grande parte dos takes de garimpo da história, o diretor Rogério Gomes buscou locações em Carrancas, no interior de Minas Gerais. “Estou muito acostumado a gravar em Carrancas. Conheci o lugar há 30 anos. Fiquei 10 dias escolhendo locações”, contou na época da produção das cenas.

Mais de 120 pessoas da equipe viajaram durante quase 20 dias para gravações em cachoeiras, grutas e fazendas. Do Rio, saíram três caminhões, dois ônibus e cinco veículos grandes.

Ao todo, foram quase 50 cenas, entre elas uma grande operação para prender garimpeiros, que contou com 70 figurantes. Viajaram para Carrancas os atores Lilia Cabral, Alexandre Nero, Andreia Horta, Chay Suede, Reginaldo Faria, entre outros.

Whatsapp


Leia também