Amor impossível, persistência e poder: relembre a história completa de Império - TV História

Amor impossível, persistência e poder: relembre a história completa de Império

Whatsapp

Um amor impossível. Um destino guiado pelos acasos da vida. E a persistência de um homem obstinado pelo poder, que fará de sua vida o palco de um grande império. Esta é a trajetória de José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero), narrada em Império, novela exibida entre 2014 e 2015 pela Rede Globo e que está de volta em edição especial.

De cabelos grisalhos e seguro de si, José Alfredo (Alexandre Nero) só se veste de preto. É um homem de origem humilde, mas que batalhou muito, nem sempre da melhor maneira possível, para chegar aonde chegou: hoje é o Comendador José Alfredo de Medeiros, casado com a aristocrata Maria Marta Mendonça e Albuquerque (Adriana Birolli/Lilia Cabral), pai de três filhos e dono de uma famosa rede de joalherias, a “Império”. A estrutura desta família lembra um reinado. E estamos falando de um rei cujas ameaças estão dentro de seu próprio território. “É como se fosse uma corte, onde existem os nobres, os subalternos, que servem e que às vezes traem”, adianta Aguinaldo.

É em torno desta família que a trama principal vai acontecer. Muitas perguntas virão à tona no decorrer da história. Até onde as pessoas são capazes de ir pelo dinheiro? Como um acaso – ou uma coincidência – pode revirar toda uma vida? E como viver sabendo que os seus verdadeiros inimigos estão dentro da sua própria casa? Estas são algumas das questões que vão permear a próxima novela das nove da Globo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Uma paixão avassaladora

No alto do Monte Roraima, estão José Alfredo (Alexandre Nero) e sua filha predileta, Maria Clara (Andreia Horta). Diante de uma paisagem suntuosa, ele conta que foi ali que sua vida mudou. Após uma decepção amorosa, José Alfredo decidiu nunca mais viver do passado. E seu foco passou a ser sempre o futuro.

Tudo começa quando o jovem pernambucano José Alfredo de Medeiros (Chay Suede/Alexandre Nero) resolve morar no Rio de Janeiro. Desempregado, ele vai tentar a vida na cidade grande e se hospeda na casa do irmão, Evaldo (Thiago Martins). Ele jamais poderia imaginar que na casa que o abrigou também estaria seu grande amor: Eliane (Vanessa Giácomo/Malu Galli), sua cunhada, mulher de seu único irmão.

Um amor proibido, mas genuíno. Um amor daqueles de tirar o fôlego, de sonhar acordado, capaz de tudo. O romance de Eliane (Vanessa Giácomo/Malu Galli) e José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero) é incontrolável. Tão incontrolável, que o desejo de permanecer juntos é maior que o remorso provocado pela dupla traição. Diante desta paixão avassaladora, o casal só enxerga uma saída: armar um plano e fugir.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para tentar amenizar o sofrimento de Evaldo (Thiago Martins) eles resolvem cada um escrever um bilhete pedindo perdão e contando o que aconteceu. José Alfredo deixaria o seu no trabalho do irmão. Já Eliane, em sua própria casa.

No dia combinado, Eliane passa muito mal. Cora (Marjorie Estiano/Drica Mores) resolve ajudá-la, mas o que Eliane não imagina é que sua irmã já sabe de tudo há tempos. Cora é mais experiente, sabe que os sintomas de Eliane são de gravidez e consegue convencê-la a não fugir, argumentando que, pelas suas contas, provavelmente o filho que ela espera é de Evaldo, e não de José Alfredo.

Sem saber o que fazer, Eliane pede, então, que Cora vá atrás de José Alfredo, a fim de explicar para ele o que aconteceu e impedir que ele entregue o bilhete a seu irmão. Ela promete fazer isso, mas não cumpre com a sua palavra.

Primeiro, ela faz questão de se certificar de que a carta já foi entregue. Depois, vai ao encontro de José Alfredo e diz que Eliane desistiu de fugir com ele, distorcendo a história e deixando-o inconformado.

Desesperado, ele diz que vai voltar para convencê-la, mas é surpreendido quando Cora afirma que ela está esperando um filho. Mas não seu, e sim de seu irmão Evaldo. Ele cai em si e desiste de lutar por Eliane. Para o bem de todos, toma a decisão de sumir pelo mundo sem deixar vestígios.

A história, no entanto, vai mostrar que nada acontece por acaso. O plano não deu certo, mas vai levá-lo a lugares onde jamais imaginou um dia poder chegar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os acasos do destino

Sem rumo, José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero) não tem nada a perder. Está sozinho em meio às lágrimas de dor em uma rodoviária no Rio de Janeiro.

É neste momento que ele se depara com Sebastião Feliciano (Reginaldo Faria). Sem saber quem ele é, José Alfredo começa a falar. Só quer desabafar. Acabar com aquela angústia que parece não ter fim. Ele conta sua história, fala sobre a perda de seu grande amor que agora não tem mais volta. Não tem para onde ir. Não pode voltar para casa e muito menos rever o irmão.

Verdadeiramente comovido com o que José Alfredo acabara de contar, Sebastião resolve lhe fazer uma proposta: “por que não viaja comigo a meu serviço?”. E conta o que faz: trabalha para uma empresária portuguesa, que mora na Suíça e negocia pedras preciosas brasileiras. O papel de Sebastião é buscar pedras nos garimpos brasileiros e depois transportá-las, de forma irregular, para a Europa.

Sem nada a perder, José Alfredo passa a considerar a proposta. É, ao menos, um trabalho com algum tipo de remuneração. Mal sabe ele que ali começa sua nova história. Ou melhor, seu império.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O Monte Roraima

Quando chega ao Monte, junto com Sebastião (Reginaldo Faria), ele se depara com um enorme garimpo. A paisagem estonteante é de tirar o fôlego e esconde o perigo do trabalho que ali é praticado.

Sebastião lhe conta que nesse mundo dos garimpos há muitos inimigos e pede para que José Alfredo fique de olho em tudo o que acontece ao redor deles durante a noite. Mas, exausto por tudo o que lhe aconteceu e sem forças por conta da longa viagem, ele acaba pegando no sono. No calar da madrugada, é surpreendido com a presença de um homem que mata Sebastião e pretende assassiná-lo também. Sem pensar, pega a arma dada por Sebastião, que estava na sua mochila, e dá dois tiros no agressor, que cai morto bem na sua frente. Mais uma vez José Alfredo se vê sozinho, desesperado, mas agora sabe o seu destino: a cidade de Genebra, na Suíça.

Antes de morrer, Sebastião consegue passar todas as informações sobre como deve proceder com as pedras preciosas e como chegar à tal empresária portuguesa. José Alfredo realmente não imaginava que no momento em que colocasse os pés no Monte Roraima, sua vida tomaria um rumo tão inesperado…

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A família e a busca insana pelo poder

José Alfredo chega à Suiça. E, diante do Braga, que na verdade é Maria Joaquina Braga (Regina Duarte), conta o que foi capaz de fazer para chegar até ali: “Perdi o amor da minha vida! Matei um homem! Enterrei meu melhor amigo!”.

E o acaso, mais uma vez, junta o nordestino à sua rainha, Maria Marta (Adriana Birolli/Lilia Cabral), uma aristocrata falida e cheia de ex-maridos. Os dois se conhecem quando José Alfredo vai depositar, em um banco suíço, seu primeiro pagamento pela entrega dos diamantes.

Maria Marta chega cheia de pompa e mal olha para aquela “figura pobretona” que em nada lhe interessa. A situação logo se inverte quando ela percebe que vai sair sem um tostão daquele banco. O ex-marido lhe pregou uma peça e agora é Maria Marta que não tem para onde ir…

Os dois acabam iniciando um relacionamento e, após alguns meses, Maria Marta descobre que está grávida. José Alfredo a pede em casamento. Afinal, os dois se dão muito bem e a união é interessante para ambos. Maria Marta lhe empresta o sobrenome importante e José Alfredo lhe promete um reino com muitos herdeiros. E assim será. Logo nos primeiros anos de casamento, Maria Marta tem três filhos: José Pedro (Caio Blat), Maria Clara (Andreia Horta) e João Lucas (Daniel Rocha), irmãos que mais tarde vão disputar a todo custo a herança deste império.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A família real hoje

De volta ao Monte Roraima, onde tudo começou…

José Alfredo (Alexandre Nero) desembarca no seu local sagrado, agora nos dias atuais, com sua filha predileta, Maria Clara (Andreia Horta). Ele não esconde a predileção, mas vai manter em sigilo a primeira viagem com ela ao Monte, já que Maria Marta, José Pedro e João Lucas não sabem da forte relação que ele tem com aquele lugar. Maria Marta (Lilia Cabral), no entanto, hoje mais uma rainha exilada por conta da relação desgastada, descobre a viagem do marido com a filha.

O preferido da mãe para ficar à frente dos negócios do pai é José Pedro (Caio Blat).  Casado com Danielle (Maria Ribeiro), uma mulher fútil e consumista, José Pedro já foi um playboy e agora vive submisso à esposa. Diz que tem nela tudo o que precisa. O casal tem uma filha adotiva chamada Bruna (Kiria Malheiros).

Já Maria Clara, a filha do meio, é uma renomada designer de joias e a menina dos olhos do pai. E João Lucas (Daniel Rocha) é o caçula. Um exemplo claro de rebelde sem causa, com uma personalidade problemática. Tão diferentes entre si, mas todos com um objetivo comum: conquistar o trono de José Alfredo.

O Comendador também tem uma vida amorosa paralela. A sua eleita é Maria Ísis (Marina Ruy Barbosa), uma jovem linda, mas extremamente frágil. Ela é uma menina pobre, de uma cidade da região serrana do Rio de Janeiro, que se apaixonou verdadeiramente por José Alfredo. Seus pais, Magnólia (Zezé Polessa) e Severo (Tato Gabus Mendes), quando descobrem do romance da filha, tratam de se aproveitar da situação. Eles acabam sustentados pela mesada que Maria Ísis recebe de seu amante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A heroína

Do passado obscuro e misterioso de José Alfredo, abre-se um novo capítulo em sua vida. O reaparecimento de Cristina (Leandra Leal), filha daquela que foi seu grande amor, Eliane (Vanessa Giácomo/Malu Galli).

Depois da partida de José Alfredo, Eliane manteve-se casada com Evaldo (Thiago Martins) e teve dois filhos, Cristina (Leandra Leal) e Elivaldo (Rafael Losso). A morte prematura do marido fez com que ela tivesse uma vida solitária e muito difícil. Eliane lutou dia após dia para criar os dois com poucos recursos. Com muito esforço, ela conseguiu construir uma barraca no camelódromo no centro do Rio de Janeiro.

Cristina tem enorme admiração pela mãe e faz tudo para manter sua família unida. Seu irmão, Elivaldo (Rafael Losso), atualmente tem um filho de um relacionamento adolescente, que também mora com eles, fruto de um romance com Tuane (Nanda Costa). Assim que o bebê nasceu, ela tratou de entregá-lo para o pai e sumiu no mundo. Muito tempo depois, reaparece, casada com um homem riquíssimo e bem mais velho que ela, Reginaldo (Flávio Galvão), e anuncia, sem a menor cerimônia, que quer seu filho de volta.

A família fica completa com Cora (Marjorie Estiano/Drica Moraes), que ninguém desconfia ser “um lobo em pele de cordeiro”. Durante anos a fio, Cora pesquisou a vida de José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero) e fez um álbum com dezenas de reportagens sobre a vida do Comendador, sem que ninguém soubesse.

É através deste álbum que Cristina descobre toda a história do passado da mãe. Cora, sua tia, é quem conta o caso proibido para a sobrinha. Tudo, claro, com uma bela pitada de romantismo. Cristina fica na dúvida se é, ou não, filha de José Alfredo. Em condições “normais”, ela não teria a menor curiosidade em saber se o tal Comendador é, de fato, seu pai. Para Cristina, sua família é sua mãe, sua tia, seu irmão e seu sobrinho.

O destino, no entanto, faz com que ela mude de ideia. É em uma festa de lançamento de mais uma coleção da “Império” que Cristina (Leandra Leal) faz a revelação diante da imprensa: ela pode ser filha bastarda de um dos homens mais poderosos do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O cerimonialista

Todos os lançamentos da “Império” são feitos por Cláudio Bolgari (José Mayer), cerimonialista de referência no mundo dos ricos. Figura importante nas principais festas do Rio de Janeiro, ele é casado com a ex-miss Brasil Beatriz (Suzy Rêgo), com quem tem dois filhos: Enrico (Joaquim Lopes) e Bianca (Juliana Boller). Por trás desta família, há um grande segredo que Cláudio esconde de toda a sociedade e divide apenas com a mulher, Beatriz. Nem mesmo seus filhos desconfiam da vida paralela do cerimonialista.

Enrico, o mais velho, é dono de um restaurante renomado, que leva o seu nome, e estudou na melhor escola de gastronomia da Suíça. Logo após a inauguração, o local se torna rapidamente o ponto de encontro preferido dos abastados da cidade, e é lá que ele conhece Maria Clara (Andreia Horta), a filha do meio do Comendador. Já Bianca é uma menina estudiosa e aplicada. O que ninguém imagina é que por trás do seu rosto angelical, existe uma paixão disfarçada por João Lucas (Daniel Rocha), o filho mais novo de José Alfredo. De alguma forma, todos estão ligados ao Comendador.



Leia também