Ameaças de morte e doença escondida: Wagner Montes nos deixava há dois anos - TV História

Ameaças de morte e doença escondida: Wagner Montes nos deixava há dois anos

Whatsapp

Há exatamente dois anos, em 26 de janeiro de 2019, o Brasil perdia Wagner Montes.

Nascido em Duque de Caxias (RJ) em 18 de julho de 1954, Wagner Montes dos Santos se formou em direito pela Universidade Gama Filho, mas a paixão pelos microfones o levou para a Super Rádio Tupi, do Rio, em 1974.

Em 1979, estreou na televisão, participando do polêmico programa Aqui e Agora, da Rede Tupi. Com a cassação do canal dos Diários Associados, ele foi para o SBT, passando, antes pela TVS, de Silvio Santos.

Na nova emissora, foi um dos comandantes do não menos polêmico O Povo na TV, além de apresentar programas como Jornal Policial, Clube dos Artistas, Musicamp e Musidisc, entre outros.

Se consagrou nacionalmente como um dos jurados do Show de Calouros, participando da atração durante toda a década de 1980 até a extinção da produção, em meados dos anos 1990.

No Show de Calouros, conheceu Sônia Lima, também jurada, com quem se casou em 1987. Juntos, eles tiveram um filho, o ator Diego Montez. Ele já tinha outro filho do primeiro casamento, com a miss Catia Pedrosa.

Também se destacou no jornal popular Aqui Agora, grande sucesso do SBT a partir de 1991. Após deixar a emissora, passou pela CNT antes de ingressar na Record, onde ficou até a morte.

No canal de Edir Macedo, apresentou atrações como Verdade do Povo, Cidade Alerta Rio, RJ no Ar e, finalmente, o Balanço Geral da capital fluminense, que seguidamente alcançava a liderança no Ibope.

Montes também se tornou político, sendo deputado estadual pelo Rio de Janeiro entre 2007 e 2019. Foi eleito deputado federal nas eleições de 2018, mas não chegou a tomar posse.

Outro fato que marcou a vida do apresentador foi a perna da perna direita, amputada após um acidente de triciclo na Zona Sul do Rio em 5 de novembro de 1981. Montes ainda passou pelo cinema, em dois filmes (A Morte Transparente e A Pantera Nua) e gravou um disco.

Ameaças de morte

Um dos principais nomes à frente de programas policiais da televisão brasileira, Montes sofria ameaças devido ao trabalho que desenvolvia. Ao menos é o que afirma Sônia Lima, em entrevista ao programa A Noite é Nossa, da Record.

“Ele andava com seguranças e até colete à prova de balas ele usava”, confessa Sônia, em entrevista exclusiva a Geraldo Luis. “Wagner não gostava de se parecer vulnerável. Ele queria se mostrar forte a qualquer custo”, completa.

Talvez por essa razão ele tenha, segundo a esposa, lutado, em segredo do público, contra uma doença nos últimos nove anos de vida.

Wagner Montes morreu no dia 26 de janeiro de 2019, aos 64 anos, após dois dias de internação para se tratar de uma infecção urinária. Um ano antes, ele havia sofrido um infarto, mas se recuperou.



Leia também