5 de outubro na história da TV: em 2009, Cama de Gato estreava na Globo

Whatsapp

No dia 5 de outubro de 1972, estreava a novela Camomila e Bem-Me-Quer (Tupi).

Margô (Nicette Bruno) e Bruno (Juca de Oliveira) precisavam resolver suas diferenças por conta do casamento de seus filhos, Verinha (Liza Vieira) e Bob (Adilson Vladimir). Para apaziguar os ânimos, Tio Romão (Cláudio Corrêa e Castro) servia chazinhos calmantes, enquanto o sovina Olegário (Gianfrancesco Guarnieri) despertava para a vida graças ao órfão Tatá (Haroldo Botta). Última trama das 18h30, Camomila e Bem-Me-Quer ganhou remake na Globo, Amor com Amor se Paga (1984).

No dia 5 de outubro de 1973, terminava a novela O Bem-Amado (Globo).

Primeira novela em cores da TV brasileira e primeiro texto a ser exportado, O Bem-Amado fez da pitoresca Sucupira um microcosmo do Brasil assolado pela ditadura militar. No centro do enredo de Dias Gomes, o prefeito corrupto Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), cuja grande obra, o cemitério, não pode ser inaugurada por falta de defunto. Ele então contrata o pistoleiro Zeca Diabo (Lima Duarte) para resolver a situação – e acaba, no fim das contas, vítima do aliado, “estreando” seu empreendimento.

No dia 5 de outubro de 1981, estreava o jornalístico Noticentro (SBT).

Primeiro telejornal do SBT, o Noticentro foi concebido apenas para cumprir a lei de jornalismo obrigatório. A princípio exibido às 7h30, foi deslocado para 18h30 no ano seguinte. Foi neste noticiário que Silvio Santos entrou ao vivo, em outubro de 1987, para anunciar a contratação de Jô Soares, então bombando nas segundas-feiras da Globo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No dia 5 de outubro de 1984, terminava a minissérie Marquesa de Santos (Manchete).

A Manchete se lançava na teledramaturgia com esta superprodução! O roteiro de Wilson Aguiar Filho reconstituía o romance de Dom Pedro I (Gracindo Jr) e Domitila, a Marquesa de Santos (Maitê Proença), em meio à efervescência do processo de independência do Brasil. Sucesso de audiência, a minissérie ganhou cinco reprises.

No dia 5 de outubro de 1987, estreava a novela Carmem (Manchete).

José Wilker, então diretor do departamento de teledramaturgia da Manchete, levou para o canal a autora Gloria Perez e a atriz Lucélia Santos, estrela do primeiro time da emissora-líder. Carmem (Lucélia) era um jovem ambiciosa, que estabelecia um pacto com a Pomba-gira (Neuza Borges) para exercer fascínio e poder sobre todos os homens. Silvio Santos, já à frente do SBT, participou do folhetim, recebendo uma personagem da novela (Creuza, Bia Sion) no quadro Namoro na TV.

No dia 5 de outubro de 1990, terminava a minissérie Riacho Doce (Globo).

Com Riacho Doce, a Globo minimizou o impacto de Pantanal, da Manchete, na linha de shows pós-novela das oito. A obra de Aguinaldo Silva e Ana Maria Moretzsohn, inspirada no romance de José Lins do Rêgo, foi gravada na paradisíaca Fernando de Noronha. Neste cenário deslumbrante, a sulista Eduarda (Vera Fischer) se apaixona pelo caiçara Nô (Carlos Alberto Riccelli), um homem que teve seu corpo fechado para o amor por sua avó, a mística Manuela (Fernanda Montenegro).

No dia 5 de outubro de 1998, estreava a temporada “.com” de Malhação (Globo).

Com a academia de ginástica desmontada na temporada anterior, o “muquifo” do Mocotó (André Marques) passou a ser o principal cenário da Malhação. A Globo apostou numa homepage para estimular a interação com o público, que também participava via telefone. Embora tenha se saído bem no início, o formato “.com” logo se desgastou. A novela reencontrou o sucesso no ano seguinte, quando migrou para o colégio Múltipla Escolha.

No dia 5 de outubro de 1998, estreava a segunda versão da novela Pecado Capital (Globo).

Pupila de Janete Clair, Gloria Perez se encarregou de atualizar os originais da autora, datados de 1975. Embora muito bem em seus personagens – Lucinha e Salviano Lisboa – Carolina Ferraz e Francisco Cuoco não funcionaram como casal, o que comprometeu o bom andamento do remake. Destaque para Eduardo Moscovis, ratificando seu talento como Carlão, taxista corrompido pelo dinheiro de um assalto a banco esquecido em seu carro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No dia 5 de outubro de 2004, terminava o programa É Show (Record).

Adriane Galisteu deixou a RedeTV! em 2000 para estrelar esta atração na Record. O É Show talvez tenha sido o maior sucesso da carreira da apresentadora, que contava com o apoio do DJ Zé Pedro, no palco e em matérias externas. O programa chegou ao fim por conta da transferência de Galisteu para o SBT.

No dia 5 de outubro de 2009, estreava a novela Cama de Gato (Globo).

João Emanuel Carneiro, bem quisto após o êxito de A Favorita (2008), cuidou da supervisão deste segundo trabalho de Duca Rachid e Thelma Guedes como titulares. No centro da trama, a faxineira Rose (Camila Pitanga), que acolhe o milionário Gustavo Brandão (Marcos Palmeira), seu ex-patrão carrasco, dado como morto após um ardiloso plano de sua esposa Verônica (Paolla Oliveira).

No dia 5 de outubro de 2012, terminava o programa Muito+ (Band).

Último projeto de Adriane Galisteu na Band. Transmitido ao vivo, nas tardes de segunda-feira a sexta-feira, o Muito+ trazia notícias de famosos, entrevistas no palco e matérias sobre atualidades. Na equipe da atração, a jornalista Rita Batista, o repórter Gominho e Lysandro Kapilla, que atuava como redator do Caldeirão do Huck (Globo) antes de migrar para o canal do Morumbi.

No dia 5 de outubro de 2016, estreava a quinta temporada do programa The Voice Brasil (Globo).

No dia 5 de outubro de 2018, terminava o programa Denúncia Urgente (RedeTV!).

No dia 5 de outubro de 2020, estreava o programa Vou Te Contar (RedeTV!).



Leia também