10 astros que terminaram no Retiro dos Artistas: “Não tinha para onde ir”

Whatsapp

Criado em 1918, o Retiro dos Artistas é uma instituição que acolhe artistas que estão com problemas financeiros e vivem sozinhos. Grandes nomes da história da televisão vivem ou passaram por lá.

Listamos 10 artistas que viveram no local, de forma digna, até o fim de suas vidas:

Cláudio Corrêa e Castro

A Gata Comeu

Um dos maiores nomes da história da teledramaturgia brasileira, Cláudio Corrêa e Castro passou por momentos difíceis no fim da vida.

Em 2003, o ator, então com 75 anos, havia acabado de passar por um episódio muito traumático: a separação da então esposa Miriam, com quem viveu 20 anos e teve dois filhos.

Entre outras coisas, ele precisou deixar sua luxuosa casa no bairro de São Francisco, em Niterói (RJ). Doente e sem dinheiro, não teve escolha: foi morar no Retiro dos Artistas.

“Tinha problemas pessoais graves e não tinha para onde ir. Precisava estar num lugar como o Retiro, onde eu não gastasse nada e cuidassem de mim. Sou péssimo administrador. Comprava tudo sem pensar. Nunca soube dizer não. As dívidas são as únicas coisas que me atormentam”, declarou à imprensa, na época.

O ator morreu em 16 de agosto de 2005, aos 77 anos, após uma operação cardíaca de ponte de safena.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dirce Migliaccio

Dirce Migliaccio

Atriz talentosa e de grande sucesso, Dirce Migliaccio foi intérprete da Emília mais famosa da clássica versão do Sitio do Picapau Amarelo na década de 1970, além de ter sido uma das irmãs Cajazeiras de O Bem-Amado.

Em 2008, a atriz sofreu um AVC (acidente vascular cerebral), que a fez perder os movimentos das pernas e dos braços. Como ela vivia sozinha em sua residência na capital paulista, acabou sendo levada o Retiro dos Artistas.

Dirce morreu em 22 de setembro de 2009, aos 75 anos, vítima de doença arterial coronariana, hipertensão e infecção urinária.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Yolanda Cardoso

Nicette Bruno, Yolanda Cardoso e Paulo Goulart

Grande atriz do teatro brasileiro, Yolanda Cardoso também marcou presença em diversas novelas de várias emissoras, como A Viagem, O Amor é Nosso, Sétimo Sentido, Louco Amor, Transas e Caretas e Que Rei Sou Eu?, entre outras produções.

Sem parentes, Yolanda passou a morar no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, em 2001.

“Eu queria conhecer o Retiro e ela me trouxe. Fiquei encantada! Lembro que tomamos um chá aqui enquanto eu ficava admirada com o local. Hoje, já há anos aqui, me sinto muito feliz”, declarou em entrevista, citando a amiga Beatriz Veiga.

Yolanda Cardoso morreu em 10 de julho de 2007, aos 78 anos, de pneumonia e infecção generalizada.

Berto Filho

Berto Filho

Famoso apresentador de programas como Jornal Nacional, Jornal Hoje e Fantástico, da Globo, além de ter passado por outros canais, Berto Filho terminou sua vida sendo acolhido no Retiro dos Artistas.

Berto deixou a Globo em 2008; antes disso, processou a RedeTV! pela falta de pagamento referente aos meses que trabalhou na transição entre a Manchete e a nova emissora.

O jornalista morreu em 12 de março de 2016, aos 75 anos, em decorrência de um câncer na garganta que se espalhou pelo cérebro.

Telmo de Avelar

Telmo de Avelar

Famoso por ter sido o dublador de diversos personagens da Disney no Brasil, tendo sido o primeiro a dublar o Pateta, Telmo participou de diversas novelas da Globo, como Irmãos Coragem, Nina e Pai Herói, além de séries e programas.

O profissional, que passou seus últimos tempos no Retiro dos Artistas, morreu em 9 de janeiro de 2017, aos 93 anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Edyr de Castro

Edyr de Castro

Integrante do grupo As Frenéticas, a cantora e atriz Edyr de Castro foi morar no Retiro dos Artistas em 2011, após descobrir que sofria do mal de Alzheimer.

Ela, que atuou em novelas como Roque Santeiro, Cabocla e Sinhá Moça, entre outras, morreu em 15 de janeiro de 2019, aos 72 anos, por falência múltipla dos órgãos.

Sérgio Noronha

Sergio Noronha

Famoso cronista esportivo, com passagens por canais como Globo e Band, Sérgio Noronha passou seus últimos anos de vida no Retiro dos Artistas.

Com dificuldades financeiras e sofrendo do Mal de Alzheimer, Noronha foi levado ao local pelo amigo e ex-companheiro de trabalho Arnaldo César Coelho, que pediu ajuda pessoalmente ao presidente da instituição, Stepan Nercessian.

“Eu contratei um pedreiro. Fiz uma casa nova para ele. Ar condicionado, geladeira, não sei o quê… Botei tudo e pago 1500 pratas por mês”, explicou Arnaldo ao UOL.

Em 2020, Noronha ficou internado durante sete dias depois de contrair uma pneumonia, e morreu em 24 de janeiro, vítima de uma parada cardíaca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Carlos Kurt

Os Trapalhões

Figura inesquecível do humorístico Os Trapalhões, Carlos Kurt, o “Alemão”, como geralmente era chamado por Didi e seus companheiros no programa, se chamava, na verdade, José Carlos Kunstat.

Atuou em diversos filmes do grupo, começando por Os Trapalhões no Planalto dos Macacos (1976). Ainda no cinema, fez breves aparições no filme 007 Contra o Foguete da Morte e Eu, Você, Ele os Outros.

Impossibilitado de continuar trabalhando por causa do Mal de Alzheimer, o ator passou a morar, a partir de 1996, no Retiro dos Artistas. Esquecido pela mídia que o consagrou, o ator morreu em 4 de março de 2003, aos 70 anos, vítima de parada cardíaca.

Lafayette Galvão

Lafayette Galvão

Ator que esteve presente na primeira série da Globo, Rua da Matriz (1965), Lafayette Galvão também foi autor de Sinhazinha Flô (1977), exibida no horário das seis. A trama contava a história de amor entre Sinhazinha Flô (Bete Mendes) e Arnaldo (Eduardo Tornaghi).

O artista ainda esteve presente em A História de Ana Raio e Zé Trovão (1990), Mulheres de Areia (1993), A Viagem (1994), Perdidos de Amor (1996), Mandacaru (1997), Suave Veneno (1999) e Terra Nostra (1999), entre outras produções.

Lafayette se aposentou e foi viver no Retiro dos Artistas em 2017. Em 7 de junho de 2019, o ator morreu aos 87 anos, vítima de complicações de uma sépsis pulmonar.

Isabel Teresa

Isabel Teresa

Isabel Teresa começou sua carreira nos anos 1950, se tornando uma das atrizes do teatro mais prestigiada. Na televisão, esteve presente em peças do Grande Teatro Tupi (1959) e nas novelas O Cafona (1971), O Rebu (1974), Corpo Santo (1987) e Em Família (2014), entre outros trabalhos.

Já aposentada, em 2008 se mudou para o Retiro dos Artistas. Ela faleceu em 29 de julho de 2019, aos 93 anos, em decorrência do Mal de Alzheimer.

Whatsapp


Leia também