Gugu revolucionou o modo de se fazer um programa ao vivo na televisão





Não quero aqui falar como colunista do TV História, ou como pesquisador da história da TV. Quero falar como telespectador.

Algumas das primeiras lembranças da televisão são o Show de Calouros e o Viva a Noite. Nesse último, o que de fato me marcou era a brincadeira das taças.

Dali pra frente, o universo audiovisual tomou conta da minha vida e virou uma paixão: passei a olhar a televisão com curiosidade, buscando a história desse fascinante veiculo de comunicação.

Quem viveu os anos 90 sabe muito bem que a principal forma de comunicação e entretenimento era a televisão.

Muitas vezes, minha família não tinha dinheiro para sair e ficávamos assistindo televisão aos domingos. Era a nossa diversão, a nossa companhia.

Gugu trouxe aos domingos um jeito diferente de fazer programa de auditório: informação, diversão, tudo muito rápido e, às vezes, caótico.

Ele revolucionou o modo de se fazer um programa ao vivo, e isso o levou a desbancar a Globo na audiência.

A minha família se reunia para assistir ao Domingo Legal e, assim, esquecia os problemas do dia a dia.

Pessoalmente, é uma memória afetiva que me deixa feliz, pois estava com meus entes queridos descobrindo no que gostaria de trabalhar: a televisão.

Falo isso, pois o Gugu reuniu minha família e provavelmente deve ter feito o mesmo com a sua.

Polêmicas e gosto duvidoso dos quadros apresentados à parte, o que fica mesmo pra mim é isso: minha família reunida na sala de casa assistindo ao Gugu Liberato, no canal 4 de São Paulo.

A história do Gugu na televisão é para sempre e está tudo registrado em vídeos e fotos.

Eu mesmo registrei, gravando no meu velho VCR e tendo a chance de compartilhar com vocês alguns vídeos da sua brilhante carreira lá no meu canal. E que sorte poder compartilhar isso tudo com vocês!

O que me dói mesmo é que não pude compartilhar essa história com ele. Mas hoje, é isso que tenho a dizer: obrigado, Gugu.


Deixe sua opinião



Leia também