Espelho da Vida: o que esperar da próxima novela das seis?




O desafio da próxima novela das seis da Globo será dos maiores: substituir uma trama que caiu nas graças do público e da crítica com um enredo apaixonante, baseado em vários sucessos da escritora Jane Austen. São linguagens totalmente distintas. Sai de cena Orgulho e Paixão, um folhetim solar e repleto de tipos sonhadores, e entra em seu lugar um enredo mais misterioso em torno de vidas passadas. Sim, a autora é Elizabeth Jhin, que não esconde seu fascínio pelo tema do espiritismo e reencarnações.

Após explorar a temática na boa Escrito nas Estrelas (2010), na equivocada Amor Eterno Amor (2012) e na primorosa Além do Tempo (2015), a escritora vai repetir a investida em Espelho da Vida, trama que estreia hoje, 25 de setembro. A premissa da nova novela, por sinal, é bastante parecida com a da última história de Elizabeth. Incluindo até a personalidade dos quatro personagens principais. A maior diferença é a divisão de fases. A anterior teve uma emblemática passagem de tempo de 150 anos, com todos os personagens reencarnados. A nova já começará, digamos, na segunda fase, que terá constantes intervenções de flashbacks de vidas passadas.

Cris Valência - Vitória Strada vivendo seu segundo papel na televisão e sua segunda mocinha, após Tempo de Amar - terá a sensação de estar passando pela mesma situação novamente assim que pisar em Rosa Branca, fictícia cidade de Minas Gerais onde nasceu seu namorado Alain Dutra (João Vicente de Castro). É na localidade mineira que o rapaz vai filmar seu longa-metragem, que terá Cris como Júlia Castelo, a protagonista do filme. Ao pesquisar sobre a personagem, Cris viverá uma experiência de viagem no tempo em que vai se deparar com uma de suas vidas passadas. A trama de amor e mistério ultrapassa as barreiras do tempo e do espaço ao se desenrolar em duas épocas distintas ao mesmo tempo. Ou seja, uma Além do Tempo com algumas modificações.

A história se inicia com um chamado de Vicente (Reginaldo Faria em uma breve participação), avô de Alain, morador de Rosa Branca, que deseja ver o neto antes de morrer. Muito doente, ele deixa em testamento o dinheiro para financiar o filme do rapaz desde que o enredo do longa-metragem seja a história de Júlia Castelo, uma jovem que foi vítima de um crime passional em um casarão da cidade, no início da década de 1930. O cineasta topa, mas sabe que enfrentará muito desconforto com as filmagens. Isso porque Alain foi traído por sua antiga namorada, Isabel (Alinne Moraes), e seu primo e melhor amigo, Felipe (Patrick Sampaio), na cidade e na época prometeu nunca mais voltar.

No passado, Isabel e Felipe estavam deixando Rosa Branca, quando sofreram um acidente. Ao chegar ao local, Alain descobriu a traição e partiu para cima do então amigo. Isabel, então, revelou que estava grávida e, abalado, Alain resolveu ir para o Rio de Janeiro. Logo depois, Felipe morreu, vítima de um aneurisma cerebral e Isabel ficou cuidando sozinha da filha Priscila (Clara Galinari).

Voltando ao drama da mocinha, Cris segue o namorado na jornada de voltar à Rosa Branca e, assim que chega, ganha uma joia que foi de Julia Castelo. Por Margot (Irene Ravache), viúva de Vicente, ela tem acesso ao diário que foi da mesma jovem. Cris fica envolvida pela história e por todos os sinais. É nesse momento que ela vive uma experiência inesperada: em uma visita ao casarão em ruínas onde a protagonista do filme viveu, Cris volta ao passado e na pele da própria Julia. Ou seja, ironicamente, é a reencarnação da personagem que vai interpretar no cinema.

Com a ajuda da espiritualizada Margot, a mocinha busca desvendar o assassinato que abalou os alicerces de Rosa Branca em 1930. Tudo indica que Julia levou um tiro de seu grande amor, Danilo (Rafael Cardoso), mas a atriz não acredita na hipótese. Portanto, o quadrângulo de Além do Tempo se repetirá. Vitória Strada será a Alinne Moraes da vez (Livia), João Vicente de Castro estará na pele de Emílio Dantas (o conturbado Pedro), Alinne Moraes agora será a Paolla Oliveira (a vilã sonsa Melissa) e Rafael Cardoso seguirá com o mesmo tipo (no caso Felipe).

Não será surpresa se Alan for o assassino de 1930 e tente se redimir em 2018 ou então se revele o mesmo canalha. A maior diferença estará em torno de um aparente enigma: Danilo só estará presente no passado e ainda assim despertará o amor de Cris. Um triângulo amoroso contendo um espírito? Ou ao longo do enredo o personagem aparecerá no presente, também reencarnado? Ele mal aparece nas chamadas e o intuito é provocar dúvidas.

O núcleo do cinema terá ainda a atriz e influenciadora digital Mariane (Kéfera Buchmann), o galã de novelas Mauro César (Rômulo Neto) e os atores veteranos Solange (Luciana Vendramini, de volta à Globo após 14 anos), Emiliano (Evandro Mesquita) e Carmo (Vera Fisher, de volta aos folhetins após cinco anos). Júlia Lemmertz viverá Ana, a mãe de Cris, e Felipe Camargo interpretará Américo, o pai que não chegou a criar a filha e tentará se reaproximar por puro interesse. Patricya Travassos, Ana Lucia Torre, Ângelo Antônio, Emiliano Queiroz, Luciana Paes, Flávia Garrafa, Anna Rita Cerqueira e Cadu Libonati são mais alguns nomes do elenco.

Espelho da Vida terá como locações fixas as cidades mineiras de Mariana e Tiradentes, priorizando muitas gravações nos locais com o intuito de não precisar tanto de uma cidade cenográfica. Pedro Vasconcelos estreia como diretor artístico e o parceiro de Rogério Gomes chegou a trabalhar com a autora no seu último sucesso das seis. A premissa se mostra interessante e resta torcer para ser tão boa quanto Além do Tempo.


Deixe sua opinião


Leia também