Em constante mudança, Vídeo Show perde o rumo




O Vídeo Show já sofreu tantas modificações que já ficou até difícil enumerá-las. Afinal, está há 35 anos no ar. E, nos últimos anos, houve até uma certa estabilidade na atração. Após vários tropeços, o formato tinha se encontrado com a dupla Mônica Iozzi e Otaviano Costa em 2015. Porém, o período turbulento voltou com a saída dela (a atitude mais equivocada da apresentadora, vale ressaltar). Ao menos, a produção conseguiu um equilíbrio com o tempo fixando Otaviano ao lado de Joaquim Lopes e depois Sophia Abrahão. Parecia tudo certo. Todavia, um novo maremoto surgiu: Otaviano deixou a apresentação.

Foram cinco anos no comando do programa vespertino da Globo. O apresentador mostrou um projeto para a emissora e o mesmo acabou aprovado, ou seja, ele ganhou uma atração para chamar de sua com previsão de estreia para janeiro de 2019. Nada impediria, portanto, sua permanência ao menos até dezembro. Mas ele deixou a apresentação assim que o Vídeo Show voltou do período de recesso da Copa do Mundo, em julho. E a mudança foi drástica.

Saiu Otaviano e três ex-BBBs foram escolhidas para a composição do time. Sophia ganhou a companhia de Vivian Amorim, Fernanda Keulla e Ana Clara. Já a repórter Marcela Valente (a mais antiga na função) agora passou a dividir as reportagens com o ator Felipe Tito, além de Vivian e Fernanda que também fazem algumas matérias. O resultado não foi bom. Ficou gente demais para espaço de menos. E inexperiência demais para uma estreia conjunta, sem qualquer preparação anterior.

Quando Sophia estreou na atração, a segurança de Otaviano a ajudou muito. Tanto que aos poucos os dois foram se entrosando e o mesmo ocorreu com ela e Joaquim Lopes. Sophia foi se soltando mais e entrando nas brincadeiras, deixando de ser apenas uma leitora de "TP" (Teleprompter - equipamento acoplado às câmeras que exibe o texto para o apresentador). Agora, no entanto, ela virou a 'referência' para as novatas. E, obviamente, ainda não há bagagem para tal. Então, a insegurança geral acaba virando uma constante. O ideal seria a Vivian Amorim escolhida como apresentadora fixa ao lado de Sophia. Ela se saiu muito bem no comando da Rede BBB no início do ano e suas reportagens eram ótimas. Fernanda também faz boas matérias, mas não deveria estrear junto no comando da atração. Resolveram mexer demais.

A produção ainda inseriu Ana Clara no estúdio, isolada no canto com um laptop na frente. Sua função é ler os comentários no Twitter de uns internautas e algumas notícias publicadas no GShow, por exemplo. A questão é que isso tudo já era feito por Sophia e o próprio Otaviano. Não precisava de uma outra pessoa. Fica evidente que o intuito de colocá-la ali é aproveitar o elevado número de seguidores que a ex-BBB da décima oitava edição tem no Instagram. Porém, números na internet nem sempre refletem em audiência. E não há espaço para três apresentadoras em uma atração com pouco mais de uma hora de duração e composta por muitas matérias gravadas. Ou seja, a menina fica nitidamente avulsa.

O fato que escancarou isso foi a participação de Cauã Reymond no quadro Meu Vídeo é um Show. Brincalhão e debochado, o ator se divertiu com a natural insegurança de Sophia e Vivian e não se aguentou vendo Ana Clara deslocada. "Ela não fala, não?", perguntou ironicamente após uma breve conversa sobre um vídeo exibido sobre sua carreira. Os sorrisos amarelos foram inevitáveis.

Portanto, fica evidente que uma alteração mais ''sutil" seria bem mais receptível. A escolha apenas de uma substituta para Otaviano era o suficiente e não provocaria tanto estranhamento. Agora, inclusive, a produção tem tentado chamar algum ator ou atriz para ser apresentador "por um dia". Bruno Cabrerizo e Caio Paduan foram os primeiros escolhidos como parceiros de Sophia. Essa situação expõe o clima de bagunça do atual período do programa, infelizmente. Não sabem ainda o que fazer.

E as mudanças não pararam. Márvio Lúcio, o eterno Carioca do extinto Pânico na Band, foi contratado para a atração, assim como Maurício Meirelles, ex-CQC, também da Band, que esteve recentemente no Sportv durante a Copa do Mundo. A ideia é inserir mais humor através da experiência da dupla. E Matheus Mazzafera, que faz sucesso com suas entrevistas com celebridades no You Tube, é outro novo contratado. O estranho é que Matheus faz algo bem parecido com o que Mônica Salgado promove na Selfie da Verdade, quadro já existente no programa vespertino de perguntas e respostas rápidas. Resta saber como esse excesso de gente vai se acomodar em um formato que tem apenas uma hora e quinze de duração.

O Vídeo Show é uma das produções mais antigas da Globo e, apesar dos últimos tropeços, não merece acabar. Ver os bastidores da televisão, os erros de gravações e as homenagens aos atores da emissora sempre vale a pena. Não por acaso é uma atração tão querida por público e artistas. Porém, é necessária uma maior cautela nessa avalanche de modificações desenfreadas com o objetivo de aumentar a audiência. O sucesso do quadro A Hora da Venenosa, da Record, não pode ser motivo para a descaracterização de um formato tão longevo. Essa última mudança se mostrou bastante atrapalhada e tomara que aos poucos tudo se acerte. Porque até agora parece mais um ensaio com o programa no ar.


Deixe sua opinião


Leia também