O show de Marieta Severo em O Outro Lado do Paraíso




Todo ator prefere interpretar vilões, por mais que alguns neguem e digam que gostam de qualquer bom personagem. Afinal, o malvado, inevitavelmente, acaba tendo mais cenas impactantes e é o responsável pela movimentação de todo roteiro, fazendo a história andar. Não por acaso, há tantos 'diabos' na lista de tipos marcantes da teledramaturgia. E, após 13 anos se dedicando ao seriado A Grande Família, Marieta Severo conseguiu uma víbora no horário nobre em O Outro Lado do Paraíso.

Ao contrário da doce e simpática Dona Nenê, Sophia tem tudo o que uma boa vilã precisa: é fria, cruel, só pensa em si, manipula e humilha os filhos, desgraçou a vida da mocinha e ainda só pensa em dinheiro. É um tipo maniqueísta, sem nuances, o que não é um demérito e nem uma qualidade, apenas uma característica do papel. E Marieta estava precisando demais de um tipo assim, depois de tanto tempo vivendo uma senhora tão querida por todos, cuja maior identidade era a paixão pela família.

A obsessão da vilã é pelas esmeraldas de Clara (Bianca Bin), usando a família para conseguir atingir seu maior objetivo. Walcyr Carrasco criou uma mulher maquiavélica e todo o processo de destruição da vida da mocinha foi construído ao longo da primeira fase, até a vilã interná-la em um hospício, isolado em uma ilha deserta, ficando com as terras da protagonista, após ter arranjado o casamento dela com o seu violento filho (Gael - Sérgio Guizé). A atriz não demorou para dominar a personagem, imprimindo um tom debochado que caiu como uma luva para a poderosa mulher.

As suas cenas com Bianca Bin, Sérgio Guizé e Grazi Massafera são sempre boas e carregam uma dose de tensão, expondo a frieza da personagem, que não se preocupa com os sentimentos de ninguém. Vale citar ainda as sequências que expunham a relação da vilã com seus antigos comparsas, agora devidamente aniquilados por Clara. Os momentos de Marieta com Luis Melo (Gustavo), Eliane Giardini (Nádia), Flávio Tolezani (Vinícius) e Eriberto Leão (Samuel) também merecem menção, valorizando o desempenho da atriz.

Ao longo do enredo, todavia, a crueldade de Sophia foi se agravando. A víbora virou uma assassina que elimina qualquer inimigo chantagista a tesouradas. A tesoura se transformou em um 'complemento' da ricaça. Ela matou Laerte (Raphael Vianna), a prostituta Vanessa (Fernanda Nizatto), Rato (César Ferrario) e tentou eliminar Mariano (Juliano Cazarré), seu ex. Todos com golpes de tesoura, desfazendo-se do corpo em seguida. Foram cenas fortes que destacaram o brilhantismo de Marieta, sempre entregue.

A atriz vem dominando os capítulos da reta final da trama. Sophia é a última vítima de Clara e essa aguardada revanche finalmente chegou. Marieta se destacou recentemente na cena em que Caetana (Laura Cardoso) manipulou a vilã, obedecendo as ordens da mocinha. Ela até tentou matar a cafetina a tesouradas, mas acabou pega em flagrante pela polícia. Conseguiu fugir, mas o cerco está se fechando cada vez mais.

Outra grande sequência que merece menção foi o confronto da ricaça com o filho, contando a ele todo o seu passado de crimes, deixando claro que tudo o que conseguiu foi banhado em sangue. Uma cena de dez minutos que fez a intérprete brilhar do início ao fim. Mas ainda tinha outro show no capítulo seguinte. O início do julgamento da víbora destacou seu trabalho corporal, impressionando no instante em que Sophia sofreu um AVC assim que viu Xodó (Anderson Tomazini) como testemunha de acusação. A boca tremendo e os lábios afrouxando remeteram aos casos reais de pessoas que sofreram Acidente Vascular Cerebral, expondo uma profissional irretocável. Pareceu real.

Essa é a segunda novela que a atriz faz com Walcyr. O autor foi o responsável pelo seu retorno aos folhetins em Verdades Secretas (2015), lhe presenteando com a interesseira Fanny. A personagem já era totalmente diferente da Dona Nenê, motivando a intérprete a retornar logo, sem conseguir tirar umas férias da televisão. E foi um excelente papel. A cafetina disfarçada de agenciadora de modelos não era propriamente uma vilã, pois não tecia planos para destruir a vida de ninguém, e tinha como único objetivo ganhar dinheiro. Achava, inclusive, que fazia um ''bem'' para várias de suas agenciadas. E Marieta deu um show, motivando o escritor a criar essa rainha da maldade especialmente para ela, marcando sua volta ao horário nobre, após 18 anos - sua última novela na faixa foi Laços de Família (2000), onde viveu maravilhosamente bem a arrogante Alma, no enredo de Manoel Carlos.

Marieta Severo é uma profissional que sempre merece reverências. E nada mais prazeroso do que vê-la na principal faixa de novelas da Globo, vivendo a grande vilã de O Outro Lado do Paraíso, sendo valorizada como merece.


Deixe sua opinião


Leia também